ALEPE

ALEPE
ALEPE

GOVERNO DO ESTADO

GOVERNO DO ESTADO
GOVERNO DE PERNAMBUCO - FUNDARPE

sexta-feira, 29 de abril de 2011

ANTÔNIO DE PÁDUA DEIXA O PSB

 Antônio de Pádua (foto), prefeito por três vezes de São João, e aliado histórico do governador Miguel Arraes, pediu desfiliação do Partido Socialista Brasileiro (PSB). O fato foi comunicado a este Blog por Antônio Dantas, do Diretório Municipal do PT no município vizinho, localizado a apenas 12 km de Garanhuns. Num artigo enviado ao repórter, o petista crítica a "esperteza" dos políticos de hoje, que estão aderindo aos governos de plantão, dando a entender que esse oportunismo levou Pádua a sair do partido do governador Eduardo Campos. Militantes do PSB, PT, PC do B e PDT de São João se solidarizaram com o ex-prefeito. abaixo, na íntegra, a carta enviada por Dantas.

POLÍTICA EXCLUDENTE

A pseudo-esperteza de políticos que se vangloriam por estarem, momentaneamente, fortalecidos pelo poder, faz com que sejam portadores potenciais da cegueira ideológica brevemente adquirida.

Esse fenômeno de transformação, motivada pela mudança de personalidade, admite apenas que o seu detentor tenha como objetivo principal a escalada frenética ruma à gloria, muitas vezes efêmera, do poder.
Para atingir os seus objetivos, esse tipo de político se “desincorpora” dos seus ideais democráticos – quando os têm -, passando a assumir o papel de personagens lembrados negativamente pela história, mesmo que disso não se dê conta; porém alguns o fazem de forma consciente, o que é mais grave.

Como exemplo prático dessa conceituação, nos sentimos impelidos a romper mentalmente as barreiras do tempo e nos transportar ao começo do século passado; chegando enfim à turbulência da revolução russa.
Naquela época Stalin executava muito bem a sua política de eliminação de “obstáculos” - embora muitos não o fossem – mesmo que se posicionassem exemplarmente como aliados fiéis à causa. No entanto, aquela liderança, na sua visão doentia, chegava à conclusão que os aliados poderiam transformar-se em empecilho para as suas pretensões insanas de manutenção do poder.

A postura desagregadora de lideranças políticas faz com que aliados de longas datas se afastem, a fim de não se tornarem vítimas do sanguinário “canibalismo” político e partidário a que são submetidos impiedosamente por aqueles que individualmente se acham ou, pensam que estão, fortalecidos pelo poder.

É por esse ângulo de interpretação, que o Dr. Antônio de Pádua Maranhão Fernandes, político sério e honrado, ex-prefeito do município de São João por 3 mandatos, deixa as hostes do PSB, partido no qual militava há muitos anos em companhia do mito Miguel Arraes. 

A história política de Antônio de Pádua referenda a sua biografia socialista em São João e em toda a região do Agreste Meridional do Estado, sobretudo devido ao fato dos momentos de outrora terem sido de muitas dificuldades para se governar, em função da perseguição imposta por modelos ditatoriais de governo nos níveis superiores. 

Esclareça-se, ainda, que Antônio de Pádua foi um dos pouquíssimos prefeitos que estiveram ao lado de Arraes, enquanto muitos dos seus pares de forma oportunista debandaram para o lado de Fernando Henrique Cardoso e Jarbas Vasconcelos, quando estes venceram as eleições, respectivamente, para a presidência da República e para o governo do Estado de Pernambuco.

Hoje está tudo muito mais fácil; qualquer governante medíocre em momentos de bonança se destaca. O Brasil é outro. A inflação está sob controle. Pernambuco está em franco desenvolvimento. Euforicamente muitos dizem que o paraíso é aqui. Governar sem recursos e sem apoio, fatalmente torna o gestor incompetente aos olhos da sociedade. 

Se não formos o maior, somos um dos Estados do Brasil com maior potencial de crescimento na atualidade, face os investimentos aqui realizados pelo governo do Presidente Lula. É tanto que falta-nos mão-de-obra qualificada para absorver os empregos gerados por meio dos empreendimentos que aqui aportaram.

Os dirigentes, filiados, militantes e simpatizantes do PT, do PSB (municipal), do PDT e do PCdoB, em São João, se solidarizam com Antônio de Pádua neste momento. 

O Partido dos Trabalhadores, na condição de componente do grupo político liderado por esse companheiro, está se antecipando e promovendo a abertura interna dos seus espaços partidários, para permitir que o mesmo possa democraticamente empunhar as bandeiras socialistas de lutas históricas e dar continuidade à sua história política em defesa das causas ideológicas em favor da sociedade de São João, da região do Agreste Meridional e de Pernambuco.

Antônio Dantas
Partido dos Trabalhadores – Diretório Municipal de São João

10 comentários:

  1. ''Hoje está tudo muito mais fácil; qualquer governante medíocre em momentos de bonança se destaca. O Brasil é outro. A inflação está sob controle''.

    Gostei dessa parte. Acho que o Sr. Antônio Dantas referiu-se ao partidão no qual milita a sua causa e referiu-se com maestria ao ex-presidente Lula. Sobre a inflação controlada, aí ele já abusa do bom senso e piosteia a verdade. É um típico petista.

    ResponderExcluir
  2. O Governador Eduardo Campos, vem triturando a oposição, seus opositores, vem capitulando, um a um, caem de joelhos, porém, o preço poderá ser a perda de antigos aliados, estes tornam-se vítimas do processo de adesão. Todo adesista é mercenário, cobra a adesão, quer vantagens, suficiente ver o exemplo de São Bento do Una, o Prefeito é Jarbista convicto, o vice é do PSDB, ligado a Bruno Araújo, e usam o deputado Marcantonio do PTB, como porta de entrada no Governo, o Prefeito não aderiu, o vice diz está em processo de adesão, em que pese este não ter ideologia, mínima formação política, na verdade foi ligado a Mendonça. É semi-analfabeto, não ler, não escreve e nunca se pronunciou. Não fala, chega em silêncio e se retira como chegou. É bom financiador de campanhas, assim, cansado de financiar os outros, desta vez, quer financiar a própria filha, que é ausente do município, não tem cacife político e deseja o cargo por ser a filha do vice. Dia destes, o vereador Washington Cadete, disse na Câmara que, pretende o vice e granjeiro, colocar uma porteira na entrada de São Bento, outra na saída, por uma placa com o nome Granja Almeida e se sentir, proprietário de mais uma nova granja. A Câmara é uma vergonha, temos um único vereador capaz, nossa Fera, os demais outros, como diz nosso vereador, são pau mandado de prefeito. É impressionante como determinados políticos se comportam, votei no Padre Aldo, como me arrependo, antes o via como um Padre, um homem de Deus, depois de eleito, tornou-se um ditador, perseguidor, esqueceu os mandamentos, passou a beber, fumar, tornou-se um mau exemplo, agride verbalmente, enriqueceu, enquanto o povo sofre. Convivo muito com o funcionalismo público, e a grande maioria o quer ver pelas costas, exceto seus secretários e diretores, que exploram o município, compram boas casas e veículos de luxo, tudo aos olhos de todos. O que muda um país, é a educação, espero que São Bento mude na próxima eleição.

    ResponderExcluir
  3. Grandes atitudes, no caso aquelas que os honram, só podem ser tomadas por aqueles que possuem honra. Por isso Antônio de Padua, tem esse reconhecimento, pois é um homem de lado, de postura, infelizmente isso nada vale na política de hoje.

    ResponderExcluir
  4. É público e notório o abandono das cidades pequenas do Agreste Meridional, por parte do Governador Eduardo Campos, da Deputada Federal Ana Arraes e toda cúpula do PSB.
    Municípios pequenos não interessam, pois representam poucos votos na urnas.
    Abra os olhos Governador e Deputada Ana Arraes.
    O Povão poderá dar o troco, quando vcs menos esperarem.

    Antonio Ivo - Garanhuns/PE

    ResponderExcluir
  5. Manoel Pedro da Silva29 de abril de 2011 22:18

    Maria Rita, parabéns por sua lucidez, seu comentário foi muito apropriado e verdadeiro, e parabéns ao Roberto Almeida por o ter publicado. Nasci em São Bento do Una, resido em Recife, sou professor da rede estadual, conheço bem a vida política de meu município, e seu relato é verdadeiro. Sinto um imenso orgulho de São Bento do Una, ter um vereador do quilate do Dr. WASHINGTON CADETE, escrevo em letras maiúsculas. Dia desses, fui a um supermercado e encontrei dois conterrâneos, no papo falamos sobre São Bento, o assunto foi nosso vereador. Nós de São Bento do Una, que moramos fora do município, estamos, aos poucos, nos movimentando em apoio ao vereador, é o caminho da mudança. Olha Maria Rita, temos informações que o vereador, usa todo dinheiro do mandato para financiar a educação, em faculdades, de estudantes pobres, isto é único no país. Parabéns a você e ao editor do blog, vocês estão prestando um enorme serviço ao nosso município. Que Deus os proteja e os ilumine.

    ResponderExcluir
  6. É lamentável a saída de um socialista histórico do porte de Pádua. Já está na hora de o Dr. Ivan Rodrigues entregar o comando do PSB no Agreste Meridional ao ponderador, moderador e educadíssimo Alexandre Marinho. Se ALEXANDRE estivesse nesse cargo teria evitado esse choque do médico Dr. Antonio de São João com o governador. Ivan? Reflita melhor!

    ResponderExcluir
  7. Este e o governo do nosso Eduardo campos e sua equipe de faca o que eu digo, mas não faça o que eu faço

    ResponderExcluir
  8. OH alex sarinho quem é mesmo alexandre marinho ?...

    ResponderExcluir
  9. Anônimo(13:37), como diz o Altamir Pinheiro: ALEXANDRE É FEITO MARINA SILVA: SIMPLES E NÃO ROUBA!!! Dá para sacar quem é o alexandre ou não, anônimo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  10. É...uma pena saber que enquanto o Sr. Governador Eduardo Campos andava mal das pernas, devido a questão do PRECATÓRIOS, e os seus "hoje aliados", que na época da 1ª campanha, defendendo ardorosamente o Mendonça Filho, DETONAVAM A QUESTÃO DOS PRECATÓRIOS E GRITAVAM EM ALTO E BOM SOM E TOM "QUE O AGORA GOVERNADOR ERA LADRÃO" e naqueles momentos Antonio de Pádua, fiel e defensor da causa socialista, fazia um trabalho de base em torno da elevação do nome de Eduardo Campos, sendo um dos primeiros a acreditar e propagar, quando Eduardo surgia com parcos 4% de intenção de votos nas pesquisas, que o mesmo seria o novo governador de Pernambuco, pois para isso estava preparado e tinha disposição, chegando a citar em uma pobre e pequena caminhada em Garanhuns, que quando Eduardo começasse a discursar e o povo o ouvisse, teria condição de reversão daquele quadro, na época. O RESULTADO? NÃO É PRECISO FALAR, NÉ?! Pois aí está APESAR DA DECEPÇÃO DA FORMA COMO O EDUARDO TRATOU OS SEUS VELHOS ALIADOS, ESSE FOI O GOVERNO PELO QUAL VOTEI NAQUELE E EM VÁRIOS OUTROS MOMENTOS, PENA QUE QUEM O CONDUZ NÃO NOS PERMITIU SERMOS COMPLETAMENTE FELIZES!!!
    DESCULPE-ME POIS NÃO PRETENDO IDENTIFICAR-ME. PREFIRO O ANONIMATO, ASSIM POSSIBILITO QUE MUITOS SE SINTAM CONTEMPLADOS COM O COMENTÁRIO QUE FIZ, POIS O QUE POSTO AQUI ACREDITO SER A FALA DE MUITOS DOS VERDADEIROS SOCIALISTAS DE SÃO JOÃO!

    ResponderExcluir