Governo de Pernambuco

Governo de Pernambuco
Governo de Pernambuco

A VIDA ENTRE AS PAREDES


19 de março

Acordei cedo e me olhei no espelho.  Mais cabelos brancos, mais rugas. O tempo passou. Ela, ao lado,  perdeu o ar de princesa, porém continua trazendo nos olhos a beleza de outrora. Ainda há amor, apenas mudou a essência, e a culpa é do relógio, que nos faz estar em constante transformação.

Não há pássaros nas gaiolas, na verdade nem gaiolas, elas estão distante, em outro lugar, as pequenas aves cuidadas por mãos cheias de calos, sedentas do pouco lucro.

A televisão é ligada várias vezes ao dia. Filmes, documentários, música. Belchior sempre presente, Chico, Caetano, Gal, Bethânia, Zeca, Chuva de Honestidade e Luiz Gonzaga, com aquela canção bonita que ele fez pra Maçonaria.

Livros nas estantes, no guarda roupa, na sapateira e na cama. Eles me cercam, cheio de letras, como disse um certo presidente. Os últimos que chegaram têm as letras miúdas, parece bula de remédio. Vou ter de comprar um kindle, pois posso aumentar a fonte e evitar sofrimento aos óculos,  que nem sempre me salvam.

Festa em homenagem a São José não aconteceu, tudo culpa do vírus que nos deixa ilhados, separados dos pais, dos filhos, dos netos, dos amigos e das ruas.

Agora, se vive como no filme, com mais medo,  mais até dos que nascem provocados pelos arremedos  de ditadores.

19 de abril

Os casos estão aumentando sem que em nenhum lugar se consiga vencê-lo. O mundo ficou pequeno e a China, Os Estados Unidos, a Espanha, a Itália, a Índia, até Sorocaba, parecem compor um só continente.

Aí, vou do quarto para a sala, passo ao escritório, com pouco vou ao banheiro.

Chove muito e não dá para espiar a rua. A igreja, as casas, as árvores, a farmácia, o movimento dos carros na avenida principal que corta o bairro em direção ao Castainho.

Como se estivesse tudo distante, e tão perto. Encosto as costas na parede, protegido por almofadas,  sonho acordado.

Um filme francês, outro holandês, um cineasta de Lituânia mostra os horrores praticados pelos russos da época de Stalin.

Mas um amigo comunista jura que é tudo intriga dos americanos. Só faltou dizer que o genocida soviético era um santo, agia a serviço da causa, do povo.

A história registra que ele foi terrível, não teve compaixão nem mesmo da mulher e do filho.

Tudo propaganda anticomunista?

Vai ver que apesar de não ter fazendas, nem carrões, imóveis na praia ou dinheiro no banco sou um pequeno burguês, e fui convencido pelos inimigos do proletariado de que Stalin foi tão assassino quanto Hitler.

Faz frio e estou de novo diante do espelho, espantado. Será que é por ver cara a cara a passagem implacável do tempo? Por não ter mais o mesmo pique de quando tinha 30 anos e na cidadezinha, no inverno, envolvida a amada em lençóis e fazíamos amor o dia todo?

19 de maio

Passou o dia das mães e não fui visitá-la. Dar um abraço, levar-lhe o merecido presente.

Fiquei aqui, preso sem ter cometido nenhum crime. Viciado nas tais redes sociais. Quando menino e adolescente, jogava futebol, mesmo nos dias de chuva. Agora corro do Facebook para o Instagram, participo de uma olimpíada pelos sites, leio as notícias de hoje que são as mesmas de ontem, do março e abril.

O sujeito comete um crime atrás do outro, fala todo tipo de sandice, ataca homens, mulheres e instituições. E ninguém faz nada. Vai ver ele além de protegido do exército, de mídia corporativa e de parte do empresariado, fez um pacto com o capeta. E vai viver 500 anos, sem envelhecer, como aquele personagem de Oscar Wilde.

Se a vida imita a arte, estamos muito fodidos. Brasil irá conseguir chegar ao topo entre as nações mais desiguais, mais miseráveis. Campeão de impunidade e da injustiça.

E os militantes de esquerda, inquietos, perguntam nos grupos de WhatsApp, quem mandou matar Marielle?

Era uma mulher negra, que saiu da favela, chegou ao parlamento na segunda cidade do país e lutava pelos pobres, os marginalizados, denunciava a violência policial, as arbitrariedades. Aí, foi morta barbaramente, como nos filmes sobre Al Capone, impiedosamente metralhada na cidade maravilhosa, para incredulidade dos países civilizados.  E alguns aqui ainda aplaudem, gado no Brasil não é mais palavra que define os bovinos, é gente também, gente estúpida, ignorante, desinformada, cheia de medinhos de virarmos a Venezuela ou Cuba. Sem dar a mínima que nos transformem no Afeganistão.

Mas tudo isso está só na minha cabeça. Estou no quarto. Vou ao escritório, escrevo notas.  Vou novamente ao banheiro, deve ser esse frio que me faz mijar tanto.

19 de junho

Caruaru ficou sem São João. Campina Grande não promoveu as festas juninas. Elba não cantou, nem Flávio José, Alcymar ou Flávio Leandro. Na verdade nem teve fogueira. Aqui na rua não. Na cidade inteira ninguém fez fogueira, nem para homenagear Santo Antônio, nosso padroeiro.

Que o santo, os outros santos, São Sebastião, Deus e seu filho afastem de nós esse cálice, levem todo o mal pra bem longe.

Todos em casa, embora uns se arrisquem e saiam às ruas para não fazer nada.

Uns de máscara, outros sem.

Eu quando não está chovendo vou ao supermercado, às pressas. Tomo um banho de álcool gel, saio mascarado como o Zorro. Faço a pequena compra depressa, sem chegar junto de ninguém, tocando somente o necessário. Usando álcool de novo após pegar na maquineta.

Volto mais que rapidamente. Olhos as plantas do jardim, na sala falo com os gatos, embora eles nunca respondam.

Quando estou com o cachorro é diferente, ele fala com os olhos. Às vezes como quem pede socorro, ou um carinho. Outras vezes é pura alegria, saltitante, companheiro, meu melhor amigo entre as paredes verdes do lugar que me coube viver, criar filhos, envelhecer com o mínimo de de dignidade.

Ela faz tudo sempre igual, se levanta às seis horas da manhã, me sorri com um sorriso pontual e não me beija porque ainda não serviu o café.

E assim, entre tapas e beijos, vamos vivendo essa doce loucura, aprendendo, torcendo, esperando que os filhos apareçam e nos tragam as novidades do mundo.

19 de julho

Mais uma vez não tem festival.

Houve um tempo em nós íamos os 10 dias. Chegávamos à praça, 22 ou 23 horas e voltávamos pra casa quatro da manhã.

Veio Zeca Baleiro, Ney Matogrosso, Alcione, Chico César, Milton Nascimento, Gal Costa, Vanessa da Mata, Jorge Vercillo, RPM, Skank, Caetano Veloso. Tanta gente boa.

Assistíamos espetáculos no teatro, íamos aos parques, o povo na rua, gente de todas as tribos, gente bonita, vestindo casacos, se protegendo do frio.

Agora está tudo cancelado, a praça vazia, não tem ninguém para tomar vinho. Faltam os jovens se agarrando por amor, tesão, ou simplesmente desejosos de vencer o frio e o ócio.

Em vez de shows, de arte, à distância acompanhamos as estatísticas indesejadas, a ineficiência da máquina pública, a falta de empatia, de sentimentos, de quem acha que um livro são só letras e nada mais.

A cinemateca pegando fogo, a cultura queimando, como em Roma, e Nero rindo, satisfeito, protegido pelos seus generais.

Como não vou às ruas, às praças, visito o jardim. Tem uma linda rosa vermelha toda emperiquitada, imponente, indiferente às pedras e a cerâmica em seu entorno.

Quarto, sala, rampa, área de serviço, banheiro. De volta pra o quarto e pra o audiovisual.

"Aprendemos com a classe média, que a vida é um tédio sem a televisão". Frase dos anos 70, do compositor Ednardo.

Parafraseando o cearense: "A vida é um tédio, perde o sentido sem o o WhatsApp".

A internet não precisa de rua. Está na casa toda, nos salva no quarto, na sala, no escritório e no banheiro.

Santa tecnologia!


19 de agosto

Mês de desgosto. Que levou meu avô, Luiz Gonzaga, Raul Seixas e o ditador Getúlio Vargas, à época presidente pelo voto popular.

Agora parou de chover. Também não está tão frio.

Também,  estou de camisa e paletó. Calças jeans, janelas fechadas, luzes esquentando a manhã.

Eu sei que à tarde vai esfriar. Vou me enfiar entre lençóis e lembrar de quando vivia na cidade grande.

Fazia muito calor, grandes distâncias, tudo muito caro e o dinheiro sempre curto.

Aqui é diferente. Dá pra ir a pé no supermercado, na farmácia e na feira.

Dá até pra passar uns dias sem dinheiro de papel. E no quintal sempre se pode plantar um jerimum, tomates (minhas filhas sempre gostaram, minha neta adora), beterraba e até morango. Veja que luxo!

Quando tiver grana e a vacina chegar vou convidá-las pra voltar naquele restaurante italiano.

Quem sabe posso ir no rodízio comer picanha, maminha, costela, tomar suco de laranja natural e sem açúcar.

Agora, porém, aqui estou. No escritório, daqui a pouco na sala, na cozinha, no quarto, no aconchego. A vida ficou curta, mas ainda é vida. Gracias a la vida, que me ha dado tanto. Obrigado Violeta Parra. Salves a Elis, que a cantou tão bem.

19 de setembro

Setembro passou, outubro e novembro, daqui a pouco é dezembro, meu Deus que é de nós?

E ele não vai embora. Não nos deixa em paz.

E eu fico aqui, detido, como Lula quando estava em Curitiba lendo enquanto esperava voltar ao seio do povo e aos braços de Janja. Marisa, tão nobre, a lava jato matou.

Tim Maia cantava é primavera! Ora, o Brasil não tem quatro estações bem definidas. Aqui é inverno ou verão. E seca, que castiga o Nordeste e os políticos tiram proveito. Oportunistas e aproveitadores, fazem política até com o vírus, como se o infeliz fosse cabo eleitoral.

Vamos ver o que tem aqui em casa: alguns quadros na parede. Um deles retrata ela ajoelhada no barreiro, lavando roupas.

Você conhecem a música do Gonzaguinha,  a mais bonita dele? "Minha mãe no tanque, minha mãe na cozinha, lavando louça, lavando roupa, cantando um fado, alegrando a labuta. Labutar é preciso..." Quer versos tão lindos. Salve Luiz Gonzaga Júnior, que me visita entre quatro paredes, parece estar tão vivo no YouTube. 

Além dos quadros tem um sofá velho no escritório, outro não tão velho na sala. Dois aparelhos de TV, um no quarto, que nunca está Globo, muito menos no SBT ou Record. A Netflix é americana, mas oferece qualidade.

Do quarto eu posso ir à Inglaterra, ao Japão, à China, à Coréia do Sul, ao Uruguai, à Argentina, ao Chile, Dinamarca ou mesmo Hungria.

Ou posso viajar nos livros, voltar aos anos 50, quando nem era nascido ou engatinhava. Saber mais dos anos 60, da Jovem Guarda, do Tropicalismo, da Bossa Nova e dos atos institucionais da ditadura militar.

Sempre há espaço pra nós dois. Dou-lhe um beijo, passo as mãos nas suas pernas, a provocação surte efeito e voltamos a ser jovens.

Quem disse que o amor tem idade?

"Seu amor ainda tudo".

19 de outubro

Mês das crianças. Dia 12 é aniversário de Vitória. Em fevereiro nasceu João Paulo. Abril é o mês de Carolina. Daniela e Roberta são de maio, Lula chegou em junho, Tiago em novembro.

Dias e meses abençoados. Daqui do quarto eu comemoro filhos, filhas, netos, netas. Na verdade eles é que são tudo. Dão sentido a nossa vida.

Toda  luta é por eles, mesmo depois que crescem, casam, têm os próprios filhos.

E mesmo se eles não nos amam com a mesma intensidade isso não importa, amor de pai é incondicional, não precisa de mão dupla, independente de tempo e distância.

Na sala, no escritório, no jardim, na área de serviço, acordado ou no quinto sono eles estão comigo. Os filhos me fazem suportar esse tal isolamento e tudo mais.

Em outubro também é aniversário do Colégio Diocesano. Foram quatro anos lá. Dois ainda menino, dois já rapaz feito, quando me tomei de amores pela literatura, com estímulo da professora Luzinette, que Deus a tenha. O padre Ademar, o rigor, o medo, o aprendizado e uma paixão que se perdeu no tempo.

Meu filho chegou. Ele é guarda municipal. Funcionário público responsável, homem maduro. Está sem o carro, porém foi a pé mesmo buscar o almoço. Está cansado e foi, quis poupar o pai, que está teclando, entre quatro paredes.

19 de novembro

Mês de lembrar dos mortos. De reverenciá-los, homenageá-los. Quem disse que eu preciso de um dia de finados para lembrar deles? Meus avós, meu pai, alguns amigos queridos, estão aqui na cabeça e no coração e posso vê-los a qualquer momento, conversar com eles e pedir:

- Vocês que já estão no outro plano, que já desvendaram o segredo, que estão junto do Criador, intercedam por nós. Por mim, minha mulher, meus filhos, meus irmãos, minha mãe, meus netos. 

Na casa também tem um som de CD que não funciona mais, centenas de discos que já foram ouvidos, um aparelho de DVD quebrado, objetos que se tornaram obsoletos, porque tudo agora é pela plataforma digital.

A impressora também faz séculos que não é usada, a cadeira de balanço do escritório me espera, na cozinha o cupim faz estragos nas cadeiras e na mesa, as paredes foram danificadas pelo Cebolinha, o cãozinho traquina que apronta de tudo e nunca temos raiva dele.

Nas muitas camas espalhadas em três quartos duas gatas fazem a festa. Dormem muito e quando estão com fome pedem a ração.

Uma mia forte, se faz logo entender. A outra é silenciosa, parece que tímida, chegou aqui enxotada, com medo. Como é bicho, nunca esqueceu os mal tratos e se recusa a confiar nas pessoas, mesmo em nós que a alimentamos e lhe queremos bem.

Volta a chover. Pingos fortes batem no telhado e no chão do jardim. Vai ser o dia todo assim. Mesmo que seja domingo e a fome comece a chegar.

Daqui a pouco vou experimentar a comidinha que chegou e talvez depois eu volte pra o quarto.

Hoje, mais uma vez, não vou sair. Se bem que no sábado de não sei que mês fui a um restaurante e me alimentei muito bem.

E esqueci de agradecer ao Senhor por nunca deixar faltar o pão nosso de cada dia, quando tem gente na fila de ossos por aí.


19 de dezembro

Chegou o mês mais bonito do ano. Quando a magia toma conta da cidade, as praças ficam mais bonitas, barítonos cantam em frente ao Palácio e as luzes piscam na avenida.

Este ano, contudo, a alegria irá ficar sufocada numa garrafa, o consumismo será freado, os papéis de presente serão recolhidos, guardados, talvez alguém os solte ao vento e as crianças terão os olhos sem tanto brilho, sem entender o que se passa com os adultos.

Na minha casa tem dois crucifixos. Um foi presente do velho Ulisses, que gostava de mim. Não sei agora em que cômodo está. O outro, maior, presente de mamãe, é vistoso, protege a sala e toda a  residência, com o Cristo de olhos abertos e minha esposa, católica,  está sempre a cuidar de Nosso Senhor, em suas orações pede por todos nós.

A TV da sala, grande, fica num rack comprado por minha mulher, com o dinheirinho dela, que é pouco, mas ela também faz milagres.

Quando vou tomar banho, faço exercícios, são necessários para não enferrujar, principalmente depois dos 60.

Com esse clima, o chuveiro quente é indispensável e depois que se toma a ducha as forças são renovadas, já se pode voltar pra o quarto e de lá é possível, às vezes, lembrar que lá fora está o mundo.

Já escrevi sobre as molduras, as telas e os bichos. Do lado esquerdo da casa tem um corredor, na terra, onde ela faz suas plantações.

No final, tem uma casinha improvisada. No local, são criadas galinhas que vão e vêm. Vez por outra uma salta para a panela e sem remorso as degustamos com feijão verde, aqui conhecido como feijão de corda, ou fava, vinagrete.

O banquete pode ser aos domingos, mas também às segundas, é tudo feito em casa mesmo, por mãos carinhosas, habilidosas.

Umas têm sorte e passam meses na casinha, pondo ovos que são fritados para se comer no café da manhã, com pão e café quentes.

As refeições viraram a grande diversão. Atendem a necessidade e o lazer. Estar à mesa, nas atuais circunstancias, é como estar num parque de diversões.

Não fui a muitos, na cidade grande, contudo lembro de andar num trenzinho em Dois Irmãos e de um brinquedo maluco que me deixou grogue (meus filhos rindo de mim), isso entre Recife e Olinda, imagine só.

Quando criança, no lugarejo, ganhava roupa nova, sapatos e até um brinquedo. Ainda hoje lembro de um pião colorido que fazia um zoom encantador. E uma espingarda branquela que usei até uns 11 anos, atirando pra acabar com inimigos imaginários.

É Natal, mesmo com o mundo de cabeça pra baixo?

Há uma esperança no ar e quem sabe no próximo ano a magia vai estar de volta, num novo formado, com mais luzes, as pessoas podendo sair e comemorar o renascimento.

A vida de nossas histórias
De fé, de coragem pra ver
Ver que a vida é a grande vitória
De quem decidir por viver.

Que eu canto, eu canto, eu canto a vida
Só ela quem pode saber
A hora de cada partida
Pra o novo, de novo nascer.

Está na poesia da paraibana, saiu de um lugar pequeno para cantar a esperança.

Não podemos perdê-la (a esperança). Ela que nos permite seguir em frente, acordar todo dia convencido de que pode melhorar.

Se na Espanha homens viveram aprisionados, por décadas, dentro das paredes, ameaçados pelo ditador,  por que não podemos suportar um tempo muito menor do quarto pra sala, do terraço para o quintal, da cozinha para o jardim?

Era uma vez um homem e seu tempo
Botas de sangue nas roupas de Lorca
Olho de frente a cara do presente e sei
Que vou ouvir a mesma história porca
Não há motivo para festa
Ora esta eu não sei rir à toa
Fique você com a mente positiva
Que eu quero a voz ativa
Ela é que é uma boa

Terá sido pessimista o cearense? Talvez,  e ele acabou quase como nos seus versos, contudo deixou tanta coisa boa.

Ele me ajuda a viver assim. E todos os artistas, e as rosas do meu jardim, a companheira, os bichos.  As paredes são mudas e indiferentes mais protegem, seja na Espanha ou no Brasil.

Salve a poesia, salve a arte, que nos alimenta, seja na rua, seja na prisão improvisada dentro de casa.

*Ilustração: 1) Imagem do filme "A Trincheira Infinita"; 2) Imagem da Revista IstoÉ Dinheiro. 3) Submarino Viagens. 

SALÁRIO DO FUNCIONALISMO DE CAETÉS É PAGO EM DIA

 

A Prefeitura de Caetés, através da Secretaria de Finanças já realizou o pagamento de todos os servidores do município, como também dos aposentados e pensionistas, referente ao mês de julho.

Apesar da grave crise financeira que assola todo o país, o setor financeiro do município de Caetés, que tem a frente o jovem secretário Kledson Antônio (Keka), junto  do jovem tesoureiro Gustavo Pessoa e de toda equipe de contabilidade, vem realizando um enorme trabalho para manter as finanças do município em pleno funcionamento.

O pagamento salarial em dias já se tornou uma marca da gestão do prefeito Nivaldo Tirri, que tem demonstrando uma grande responsabilidade com o funcionalismo municipal.

BOM CONSELHO TEM TEMPERATURAS DE 15 GRAUS


Cláudio André, o colega blogueiro de Bom Conselho, informa que em sua linda cidade, logo cedo, a temperatura estava em 15 graus, com sensação de 13.

Em Garanhuns, por volta de 10 horas, fazia 18 graus. Mas a chuva persistir no final da tarde a à noite vai esfriar mais. É provável que cheguemos aos 13 graus ou até menos do que no município vizinho.

Agora é mês de muito frio mesmo. Em setembro começa a esquentar. Precisamos de cobertores por mais 30 ou 40 dias, depois teremos de dispensá-los.

O ano se passa depressa. Daqui a pouco é Natal.

SIM, REBECA É OURO!- Por Gerson Lima

O Brasil vibra com o Ouro de nossa ginasta Rebeca Andrade, lá em Tóquio. Está bonito vê-la, segura de si, negra como a noite, cor purpura ilustrada pelos holofotes das quadras e da mídia.

Acredito, sem dúvidas, o primeiro jogo de cintura, aprendeu com a mãe. Uma senhora que fez ginástica a vida inteira para criar filhos sozinha. Quando se deparou com o tatame de solo, resmungou: "Isso è fichinha - eu venho da Lage". Sim. Quando a favela desce pro asfalto é um perigo. Está provado. Rebeca teve duas traves na competição. A mãe tinha 30 por mês, uma para cada dia, em busca de leite e pão para a gurizada sem pai. Uma mãe solo, que gerou uma ginasta solo para um país solo de governo. De lá, Rebeca trouxe (até este domingo), duas medalhas: A de ouro deve servir para tapar o orifício bucal do Vice Presidente Mourão, buraco aberto que exalou a heresia de que " Mães solos geram filhos desajustados". E, no ensejo, a de Prata, oferecida para entupir o orifício inferior, de nome aqui não publicável. Rebeca Andrade não é uma ginasta apenas. É o Brasil negro, O Brasil favelado, desprovido de um Ministério de Esportes, extinto por um presidente castrado de alegrias e de cor. Um tipo tosco incapaz de saudar nossos medalhistas sob qualquer circunstância de respeito e gratidão.  A moleca é o Brasil da resistência, mostrando ao mundo que subir e descer o morro dá o que falar. E fez a gente girar no eixo daquela cintura, alongar-se de esperanças naquelas pernas de passos firmes e sonhar acordado no brilho daquele sorriso. Rebeca é Ouro num país de dias de chumbo. E Brasil saltou com ela, "cravou" no solo um tapa de luva no racismo, na pobreza hoje tratada como lixo e repartiu com a nação a certeza de que tudo é possível.  Parabéns a sua mãe "solo" - Viva a nossa ginasta de "solo", exemplo de resistência para uma Nação, fincada em outro "solo" - O "SOLO” ÉS MÃE ...GENTIL...

TV JORNAL FAZ REPORTAGEM RELEMBRANDO O CLIMA DO FESTIVAL


TV Jornal enviou uma equipe de reportagem a Garanhuns para realizar uma matéria especial relembrando o clima do Festival de Inverno da cidade.

Repórter Marcela Calado foi quem veio ao município e no seu trabalho contou com a participação de representantes das secretarias de Comunicação e Infraestrutura, além da AMSTT, que deram apoio ao veículo de comunicação.

Entrevistado pela jornalista da TV Jornal, o prefeito Sivaldo Albino falou sobre a intenção de transformar Garanhuns na terra dos festivais de música e cultura.

 “Temos o propósito de fortalecer o Festival de Inverno, o Festival Viva Dominguinhos e a Magia do Natal e queremos trazer de volta o Jazz Festival, entre outros eventos, frisou Sivaldo.

GAROTO DE BOM CONSELHO TEM TALENTO COMO CARTUNISTA


Eros Cauê, de apenas 13 anos, vem se destacando em Bom Conselho como cartunista.

O garoto é filho do blogueiro Cláudio André, estudante da 8ª série do Ensino Fundamental da escola estadual Mestra Beatriz.

Cauê tem transformado sua criatividade em verdadeiras obras de arte,  através do desenho feito à mão, usando apenas lápis grafite, hidrocor e caneta.

Cláudio André, que assina o Blog do Poeta, está super orgulhoso do filho e acha que ele terá um futuro brilhante, por ser muito aplicado nos estudos e pela vocação para o desenho.

Na imagem uma dos trabalhos do cartunista de Bom Conselho. O menino realmente é bom.

SILVIO COSTA VISITA MUNICÍPIOS DO AGRESTE MERIDIONAL

 

Deputado federal Silvio Costa Filho, do Republicanos, está dando um giro pelo agreste meridional.

Nesta sexta-feira visitou o município de São João e filiou o ex-prefeito Genaldi Zumba ao seu partido.

Gestor não fez o seu sucessor na eleição de 2020. O atual prefeito, Wilson Lima (PP), foi candidato pela oposição e venceu com mais de mil votos de diferença.

Silvio esteve também em Caetés, Capoeiras, Terezinha, Bom Conselho, Brejão e Águas Belas.

Hoje o parlamentar estará em Garanhuns.

Seu aliado na cidade é o ex-prefeito Izaías Régis, que teve uma prestação de contas rejeitada na Câmara de Vereadores e se quiser ser candidato terá de travar uma intensa batalha judicial.

Prefeito Sivaldo Albino (PSB) deverá apoiar a candidatura de Felipe Carreras pelo apoio que o socialista tem dado a Garanhuns.

PREFEITO NIVALDO TIRRI RECEBE SECRETÁRIO CLAUDIANO FILHO


Cumprindo agenda no interior do estado, o deputado licenciado e atual secretário de Desenvolvimento Agrário, Claudiano Martins Filho, e o deputado federal Silvio Costa Filho, estiveram em um almoço com o prefeito de Caetés, Tirri.

Reafirmando a aliança e o apoio com o prefeito, o secretário e o deputado federal garantiram que irão trabalhar para levar ao município projetos para o desenvolvimento local.

“Aqui eu me sinto em casa. Fui o deputado mais votado de Caetés, e sempre que chego aqui sou recebido com muito carinho” afirmou Claudiano Filho, que ressaltou: “Meu compromisso com a cidade é muito grande”.

O município vai receber projetos como o Programa Água Doce, da Secretaria de Desenvolvimento Agrário de Pernambuco.

FERREIRA COSTA OFERECE OPÇÕES PARA O DIA DOS PAIS


O Dia dos Pais está se aproximando. E mesmo com as mudanças dos tempos atuais, acabamos nos aproximando cada vez mais das pessoas queridas e que amamos. Tanto os hábitos quanto a rotina dos pais com relação entre eles e seus filhos se tornaram ainda mais próximas e verdadeira. E acabamos descobrindo novas maneiras de cuidar de quem tanto amamos. 

E a comemoração do Dia dos pais, vem tendo novos significados A tendência é que sentimentos como respeito, admiração, carinho, solidariedade e o amor vem sendo potencializado com pais e filhos em um esforço compartilhado para reinventarem as formas de estar juntos. Uma ótima oportunidade para demonstrar seu amor pelo seu pai de uma maneira nova e criativa.

Para ajudar a escolher o presente, nesse momento tão especial, o Home Center Ferreira Costa resolveu separar algumas dicas com muito carinho. Sabe aquele pai que adora cozinhar e gosta de preparar um bom churrasco para a família, a dica é uma boa churrasqueira e um kit churrasco para assar as mais diversas carnes, acompanhadas de uma cerveja bem gelada direto da cervejeira. 

Sabe aquele papai vaidoso, que adora se cuidar? No Home Center ou no www.ferreiracosta.com você encontra barbeadores, aparadores de pelo, máquina de cortar o cabelo e muitas outras coisas para deixá-lo ainda mais bonito.

Para o papai que adora colocar a mão na massa, ou melhor: na terra, o setor de jardinagem do Home Center está repleto de produtos para ele começar ou organizar a sua hortinha ou até mesmo aquelas plantinhas que ele tanto deseja e vem cuidando com tanto carinho. 

Para o papai que só pensa em relaxar, o que não falta na loja ou no www.ferreiracosta.com são opções de poltronas, encosto, sofás, travesseiros antistress, um roupão bem confortável e muitas outras coisas para deixar o paizão cada vez mais tranquilo. Falando em descanso, ele irá adorar automatizar toda a casa, com a linha Lis Smart Home. Imagina, com apenas um clique poder ter o controle do som, luzes e eletrodomésticos. 

Sem esquecer que nesse momento, alguns papais ainda estão em Homee Office, merece um cantinho todo organizado. E na loja da Ferreira Costa ou no www.ferreiracosta.com o que não falta são modelos de cadeiras e escrivaninhas, além de um setor diversificado de iluminação.

Para o paizão que adora transformar a casa e não pode ver nada de fora, que tal presenteá-los com as ferramentas, como os kits, furadeira, parafusadeira, marteletes e diversos outros itens. A dica da Ferreira Costa é de na hora de colocar a mão na massa, os filhos se juntarem a ele, para passar mais momentos juntos.

E mais importante do que o presente, é se fazer presente. Seja pela presença física ou online. Estar agarradinho, de alguma forma, é o que mais importa. 

*Da Assessoria de Imprensa da Empresa.

RÁDIO CLUBE É RECONHECIDA COMO PATRIMÔNIO IMATERIAL DO RECIFE


A Rádio Clube de Pernambuco agora é oficialmente Patrimônio Imaterial do Recife.

Projeto dando esse status à emissora foi aprovado na Câmara Municipal, por iniciativa do vereador Chico Kiko (PP).

Prefeito João Campos já sancionou a lei.

A Clube é o primeiro veículo de radiodifusão criado no Brasil, tendo sido criada em 1919 e começado suas transmissões em 1923.

Pela rádio recifense já passaram nomes como o maestro Nelson Ferreira, que foi diretor artístico da emissora,  o compositor Antônio Maria, a atriz Arlete Salles, Capiba, Lúcio Mauro, Claudionor Germano, Chacrinha e Chico Anísio.

Nos anos 80, quando a Clube era líder de audiência no Recife, trabalhavam lá Paulo Marques, Geraldo Freire, Ralph de Carvalho, Gino César e Graça Araújo.

Trabalhei lá de 1984 a 1988, primeiro na Estrada do Arraial, em Casa Amarela e depois na Rua do Veiga, em Santo Amaro, quando houve a mudança de sede.

Emissora passou por uma época de crise, todos os bons profissionais que trabalhavam na pioneira se mudaram para a Rádio Jornal.

Tudo indica, porém, que superou os problemas de um passado recente e está forte novamente.

Esse reconhecimento da Câmara e da Prefeitura vem em boa hora.(Roberto Almeida)

PRESIDENTE NÃO APRESENTA PROVAS E ATACA BARROSO


Presidente Jair Bolsonaro está nitidamente desesperado. A CPI da Covid revela o porquê do descaso com relação ao vírus, com negociatas de vacinas envolvendo os governistas e cada pesquisa que sai deixa claro que o político da direita dificilmente será reeleito.

Hoje saiu mas uma pesquisa, do Instituto Atlas e o resultado não é nada bom pra Bolsonaro. Ele perde no segundo turno até para João Dória, que tem índices inexpressivos na primeira fase da disputa eleitoral.

Lula lidera em todos os cenários, o que dá nos nervos do presidente.

Ele nesta quinta-feira disse que na sua live semanal iria apresentar as provas de fraude nas eleições brasileiras.

Não apresentou nada, foi acusado por setores da grande imprensa de ter reciclado velhas mentiras e o ex-deputado pernambucano Bruno Araújo, do PSDB, avaliou o pronunciamento pelas redes sociais como “patético”.

Como não tinha o que apresentar na live, o líder político brasileiro fez o que mais gosta, repassou responsabilidades e atacou o ministro Luís Roberto Barroso, presidente do Tribunal Superior Eleitoral.

O que ainda sustenta Jair Bolsonaro, na verdade, é ter se cercado de militares no governo, o que lhe dá o apoio de parte das forças armadas, além da agenda neoliberal que destruiu os direitos dos trabalhadores, mas agrada aos patrões.

EMPRESÁRIOS DIZEM QUE O SHOPPING CENTER AGORA É PRA VALER


Três empresários que estão à frente da construção de um Shopping Center em Garanhuns – João Graciliano, Ricardo Capitó e César Capitó – estiveram na Rádio Marano para falar do empreendimento, sendo entrevistados por Júnior Paulino.

Eles se mostraram conscientes da incredulidade de parte da população a respeito do Centro Comercial, por conta dos anúncios anteriores da vinda de um shopping para a cidade, sem que o negócio tenha se concretizado.

César Capitó garantiu que o shopping agora é pra valer, considerando que o negócio desta vez como “uma realidade”.

Os irmãos Capitó informaram que o terreno às margens da BR-424 é deles mesmo, confirmaram que foi feito estudo de viabilidade do empreendimento e disseram que o centro de compras não vai atrapalhar o comércio do centro, podendo até contribuir para aquecer a economia de Garanhuns de maneira geral.

João Graciliano já tem experiência na construção de shoppings, tendo tido participação inclusive na instalação do que já funciona em Serra Talhada.

Ele disse que o Shopping Center na cidade sertaneja, que é menor do que Garanhuns, está “bombando” e não vê porque na Suíça Pernambucana vai ser diferente.

Os empresários explicaram ainda que os shoppings atualmente não se limitam a estimular o consumo, funcionando como local de entretenimento.

Por isso que o Centro Comercial garanhuense terá cinco salas de cinema e um palco fixo para apresentações artísticas.

PREFEITURA DE SÃO JOÃO MUDA LOCAL DA TRADICIONAL FEIRA DE FEIJÃO



Nota de utilidade pública da prefeitura municipal de São João

A Prefeitura municipal de São João através da Secretaria de Agricultura, informa que com o objetivo de proporcionar mais assistência aos agricultores e compradores, com um espaço amplo e exclusivo para a comercialização de grãos, além de melhorar o fluxo de veículos nos dias de feira, a partir do dia 02 de agosto de 2021 (próxima segunda-feira), o local da tradicional feira de feijão será transferido para o bairro Parque Alvorada, e estará concentrada especificamente em frente a Cooperativa dos Produtores da Agricultura Familiar - COOPAF.

Arte Higor Nascimento

PROGRAMA PROPRIEDADE LEGAL AVANÇA EM ANGELIM


O Iterpe, representado pelo gerente de ações fundiárias, Ivison Silva, e o chefe da Unidade Regional de Garanhuns, José Góis Leite Firmino, participou de reunião com o prefeito de Angelim, Douglas Duarte (PSB), com vistas à atualização da malha fundiária e a emissão de 300 títulos de posse, inicialmente. 

As ações a serem executadas no município integram o Termo de Cooperação Técnica que foi formalizado entre a Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA), o Iterpe e a prefeitura. Os trabalhos já iniciam no mês de agosto.

As ações de Regularização Fundiária fazem parte do Propriedade Legal, Programa do Governo de Pernambuco que visa emitir 65 mil títulos de propriedade para habitações urbanas e rurais em todo o Estado.

PREFEITURA ENTREGA KITS DE MERENDA DO MÊS DE JULHO

 

A ação contempla todos os estudantes da rede Pública Municipal de Ensino.

De acordo com o cronograma anunciado no último dia 19, a Prefeitura de Garanhuns, por meio da Secretaria de Educação deu continuidade às entregas dos Kits de Merenda Escolar deste mês de julho de 2021, a todos os estudantes da rede Pública Municipal de Ensino.

Foi articulado um audacioso e criterioso cronograma de recebimento, montagem e distribuição, envolvendo diversos setores da Secretaria de Educação.

Na gestão de Sivaldo Albino, a educação é prioridade. O governo segue no rumo da melhor educação do Ensino Infantil até o 9° ano do Fundamental.

Texto: Isabelly Areias

Foto: Hilton Marques