PREFEITURA DE GARANHUNS

PREFEITURA DE GARANHUNS
PREFEITURA DE GARANHUNS

quinta-feira, 20 de setembro de 2018

GOVERNO NÃO VAI PREJUDICAR PRODUTORES DE QUEIJO

Equipe da Adagro começou as visitas hoje

Não há por parte do Governo do Estado intenção de perseguir e prejudicar os interesses os produtores de queijo do interior de Pernambuco, segundo garantiu ao blog o deputado estadual Claudiano Filho, que saiu em defesa da administração estadual, por conta de críticas vindas de alguns segmentos.

O que aconteceu no mercado de Afogados, em Recife, foi resultado da prisão de um cidadão que estava clonando bolsas de cinco marcas de queijos diferentes e revendendo os produtos falsificados na capital e nas feiras do interior.

Segundo o parlamentar governista, um produtor de queijo foi quem denunciou o homem que praticava a fraude ao Ministério Público, que passou as informações à polícia.

O cidadão que praticava a fraude foi preso e revelou o nome de outras pessoas que participavam do esquema ilegal.

Daí a operação que houve no Mercado de Afogados, feita pela polícia com acompanhamento da Adagro, visando acabar com a prática criminosa.

Saulo Malta, presidente do sindicato dos produtores de leite do estado, corrobora com essa versão e lembra que a pedido do deputado Claudiano Filho o governador Paulo Câmara criou e assinou uma Lei beneficiando os que trabalham com leite e queijo em Pernambuco.

Pela referida Lei, é eliminada a burocracia e os produtores podem trabalhar sem precisar constituir empresa, usando apenas o CPF.

Além disso, o governo abriu uma linha de crédito nos bancos do Brasil e do Nordeste, voltada para  os pequenos produtores do agreste e outras região de Pernambuco.

VISITAS - De acordo com Saulo, técnicos da Adagro começaram hoje a visitar as queijarias do interior para dar orientação aos produtores, de modo que eles poderão trabalhar dentro da legalidade e livre da carga de impostos porque o Governo concedeu isenção de ICMS.

O trabalho da Adagro será realizado sem nenhum custo para o produtor, pelo qual Claudiano Filho luta há dois anos, tendo conseguido no final de 2017 que o governador atendesse as reivindicações feitas em nome da classe. O próprio presidente da empresa estatal está participando das visitas.

O blog recebeu informações também que o Secretário de Agricultura de Caetés, conhecido como Galego, iniciou um trabalho de cadastramento dos queijeiros para que eles tenham sua atividade legalizada.

MARÍLIA ARRES TEM RECEPÇÃO CALOROSA EM SALOÁ

Marília agradece carinho do povo de Saloá

Marília Arraes, candidata a deputada federal, e Zé Maurício, que postula uma cadeira na Assembleia Legislativa, foram recebidos calorosamente nesta quarta-feira (19) pela nova oposição do município de Saloá.

Os dois candidatos tiveram direito a carreata na chegada à cidade, percorreram as principais ruas do centro e puderam sentir todo o carinho da população,  estampado nos sorrisos, acenos e vibração de homens e mulheres.

Depois da carreata, Marília e Zé Maurício visitaram a casa do saudoso Sr. Zequinha de Freitas (In memoriam), pai de Wellington Freitas. Em seguida, a neta de Miguel Arraes visitou a feira livre de Saloá e mais uma vez sentiu o carinho dos populares.

Sempre acompanhados de Wellington Freitas e dos vereadores Zé Cabeleireiro e Valdir Lopes e todo o grupo político, os candidatos cumprimentaram eleitores, conversaram com feirantes e consumidores.

O grupo da Nova Oposição de Saloá já conta com forte apoio e aceitação no município. É integrado pelo professor Bá (suplente de vereador), Josa Vicente, Adones Vicente, Daniel Pedreiro, Luiz de Abílio, todos esses candidatos em 2016, além das lideranças comunitárias, Ednelson do Manoel Ferreira, Jean da Serrinha, João Siqueira, Edjalma da Associação, Cláudio do Catimbau, Roberto do Pau Ferro dentre outros.

Após a visita à Saloá, Marília Arraes foi até Bom Conselho, dando continuidade,  na casa de Robério Paes a sua agenda política.

Zé Maurício deslocou-se até o município de Orobó.

Durante a passagem de Marília por Saloá, o fotografo Artur Marrocos conseguiu capturar através de suas lentes todo o clima de animação, o carinho do povo  e a reciprocidade de Marília com seus admiradores.

O gesto do abraço de Marília foi uma retribuição ao mesmo gesto feito pela professora Maria Graciete da sacada de sua residência.

Bom para o vereador Zé Cabeleireiro que também participou do momento.
Lideranças de Saloá com Marília e Zé Maurício

*Com fotos e informações enviadas pelo blogueiro Wellington Freitas

FERNANDO HENRIQUE ADMITE APOIAR HADDAD


Dois dos principais líderes do PSDB no Brasil, o ex-presidente Fernando Henrique e o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, admitiram abertamente esta semana que o petista Fernando Haddad está praticamente assegurado no segundo turno da eleição.

Fernando Henrique foi ainda mais longe em suas posições políticas e questionado se apoiaria Jair Bolsonaro na fase decisiva da eleição não titubeou: no caso de um confronto entre o candidato do PT e o do PSL, ficará ao lado do ex-ministro da Educação do Governo Lula.

Antes dessas revelações de FHC e Geraldo, o senador Tasso Jereissati, outra liderança importante do PSDB, fez uma autocrítica do partido, admitindo que os tucanos erraram ao não aceitar a derrota eleitoral para Dilma Rousseff, em 2014.

Jereissati não mantém um bom relacionamento com o senador Aécio Neves e esse reconhecimento do erro do partido é também uma crítica ao político mineiro, que conduziu o tucanato a uma oposição irresponsável ao Governo Federal, esteve na linha de frente do golpe parlamentar de 2016 e levou o partido a embarcar na “barca furada” de Michel Temer.

Quando o PSDB foi criado, de uma dissidência do PMDB, tinha bons quadros, como Mário Covas, Cristina Tavares, Geraldo Alckmin e o próprio Fernando Henrique, o único do partido que conseguiu vencer uma (na verdade duas) eleição presidencial.

Depois o partido deu uma guinada à direita, com José Serra e se misturou com o lado podre da política ao seguir os caminhos ditados por Aécio.

Caso PSDB e PT se juntem pela primeira vez, no segundo turno da eleição de 2018, será um fato importante para o Brasil.

As duas agremiações partidárias unidas podem evitar a tragédia que seria a eleição de um extremista de direita, colaborar com a governabilidade no futuro e tirar o Brasil da crise política e econômica que já dura cinco anos.

*Foto: El País

PROSSEGUE TRABALHO DE PREVENÇÃO AO SUICÍDIO

Dando continuidade às ações do Setembro Amarelo em Garanhuns, a Secretaria Municipal de Saúde, por meio dos Centros de Atenção Psicossocial (Caps’s), realizaram nesta quarta-feira (19), na sede da Locar, empresa responsável pela limpeza de resíduos do município, uma série de palestras com o objetivo de divulgar informações sobre a campanha de prevenção ao suicídio.

Dentre os palestrantes estava a psicóloga do Caps Flores, Mirela Corrêa, além dos residentes de saúde mental do município.

Ao todo, 80 profissionais participaram das palestras que seguem prosseguem nesta quinta-feira.

A equipe da Secretaria de Saúde está desde às 8h30 com umaa ação na sede do Banco do Nordeste.

Desde que a Secretaria de Saúde de Garanhuns iniciou o trabalho de prevenção, o número de suicídios no município caiu de forma significativa.

*Foto de arquivo. As ações foram iniciadas nos primeiros meses do ano e intensificadas neste Setembro Amarelo.

PROGRAMA DE SAÚDE DE LAJEDO É DESTAQUE NACIONAL

O programa Equipe Multiprofissional de Atenção Domiciliar (EMAD), conhecido pela população como “Saúde em Casa” está sendo destaque no I Simpósio Nacional para Gestores de Atenção Domiciliar, evento realizado pelo hospital alemão Osvaldo Cruz em parceria com o SUS, em Brasília.

A iniciativa do prefeito Rossine Blesmany de levar atendimento médico direto para a casa dos lajedenses, foi elogiada durante o Simpósio, um reconhecimento nacional.

Os profissionais de Lajedo que fazem o programa “Melhor em Casa”, foram convidados para participar do simpósio na capital federal, pela excelência do serviço que está sendo prestado.

“É a saúde de Lajedo, resgatada pelo prefeito Rossine, levando positivamente o nome de nossa cidade daqui para o mundo”, comemoram os que fazem a Secretaria de Saúde do Município.

PSB EXPULSA PREFEITA DE PANELAS DO PARTIDO

A Executiva Estadual do Partido Socialista Brasileiro (PSB-PE) expulsou a prefeita de Panelas, Joelma Campos, dos quadros do partido.

Motivo do desligamento da gestora dos quadros do Partido socialista, foi a sua adesão à candidatura de Jair Bolsonaro para a presidência.

Ela também decidiu apoiar o candidato da oposição em Pernambuco, Armando Monteiro, principal adversário do governador Paulo Câmara na disputa eleitoral.

O PSB de Pernambuco está coligado com o PT, apoiando a candidatura de Fernando Haddad. E o governador disputa a reeleição, liderando as pesquisas de intenção de voto.

“Considerando a decisão da prefeita, que desrespeita a deliberação do nosso congresso, e a importância do respeito à fidelidade partidária e aos compromissos históricos do PSB, nosso partido não poderia se omitir diante dessa posição”, justificou o presidente Estadual do PSB, Sileno Guedes, ao comentar a expulsão da prefeita de Panelas do partido.

ARMANDO CRESCE E AMEAÇA 2º TURNO EM PERNAMBUCO

Armando Monteiro (PTB) cresceu seis pontos e chegou aos 31% das intenções de voto, apenas 4 pontos a menos que o socialista Paulo Câmara, que lidera a corrida pelos votos em Pernambuco com 35%. 

A pesquisa é do Datafolha e foi divulgada hoje nas primeiras horas da manhã. De acordo com o Instituto paulista, os dois candidatos estão tecnicamente empatados,  por conta da margem de erro de três pontos, para mais ou para menos.

Julio Lossio (Rede) tem 3% das intenções de voto,  Mauricio Rands (PROS) e Ana Patricia Alves (PCO) somam 2%, cada e Simone Fontana (PSTU) e Dani Portela (PSOL), obtiveram apenas 1%.

A soma dos candidatos de oposição ultrapassa o percentual de Paulo Câmara, o que sinaliza para um segundo turno em Pernambuco.

Na simulação de segundo turno feita pelo Datafolha, Paulo Câmara conquistou com 42% contra 39% de Armando Monteiro.

SENADO - Já a disputa pelo  senado está embolada: Jarbas Vasconcelos (MDB), Mendonça Filho (DEM) e Humberto Costa (PT) lideram, com 36%, 31% e 30% das intenções de voto, respectivamente.

Os outros candidatos: Bruno Araújo (PSDB), tem 12%; Sílvio Costa (Avante), 11%; Pastor Jairinho (Rede), com 6%; Adriana Rocha (Rede), com 3%; Hélio Cabral (PSTU) e Lidia Brunes (PROS), com 2%; e Eugênia (PSOL), Alex Rola (PCO) e Albanise Pires (PSOL), com 1%.

quarta-feira, 19 de setembro de 2018

GARANHUENSES PROMOVEM ADESIVAÇO PRÓ HADDAD


Quando Adriano Tenório, Hélder Carvalho, Betinho Cândido e outros jovens empresários de Garanhuns decidiram promover um ato a favor da campanha de Haddad na cidade, o candidato do PT a presidente ainda estava começando sua ascensão nas pesquisas eleitorais.

O crescimento do petista foi fulminante e até um adversário, o tucano Geraldo Alckmin, reconheceu hoje numa entrevista que o ex-ministro da educação de Lula já está no segundo turno.

É nesse clima de animação e esperança, com Fernando Haddad com 19% na pesquisa do IBOPE,  divulgada ontem à noite, na TV Globo, que o garanhuenses vão às ruas, no próximo sábado, ás 10h, com concentração na Praça do Relógio de Flores.

O ato foi intitulado de “Adesivaço Lula é Haddad” e democraticamente todos estão convidados a participar.

Garanhuns que deu vitórias expressivas a Lula e a Dilma em 2002, 2006, 2010 e 2014 vai mais uma vez mostrar que é uma cidade politizada, progressista e civilizada.

“Homens e mulheres de Garanhuns querem a volta do estado de bem estar social, gasolina e gás de cozinha mais baratos, emprego e o povo brasileiro voltando a ser feliz”, defende Adriano Tenório, um dos organizadores do movimento.

O ÓDIO E O MEDO - Por Roberto Numeriano


A ascensão de um tipo tosco, autoritário e claramente incapaz para governar um país da dimensão do Brasil não se explica pela análise de uma conjuntura social e econômica em crise recente, que o golpe de Estado robusteceu pela “aprovação” de leis atreladas ao capital financeiro, ao agronegócio e aos esquemas de um Congresso de maioria corrupta. Há causas subjetivas (de dimensão simbólica) e objetivas (materiais) que podem explicar porque uma parte do país corteja o abismo como um narciso bêbado pronto para mergulhar nas trevas.

O ovo da serpente do fascismo brasileiro vinha sendo cevado, já reativamente,  desde as primeiras gestões do ex-presidente Lula, e as jornadas de junho de 2013 foram o primeiro sinal de que a casca se quebrara. Ali, com a suspeita presença dos violentos “black-blocs” (para este eterno desconfiado, tipos provocadores a soldo de interesses externos), uma parcela da classe média saiu às ruas para a sua particular guerra de classe contra a “corrupção”. Na verdade, esse foi o mote ou pretexto simbólico: a massiva mobilização tinha como alvo o “bandido” de sempre: a esquerda e suas políticas inclusivas. Ou, especificamente, o PT e Lula.

Daí ser necessário reconhecer os liames lógicos e ideológicos entre o brilhante país da era Lula e este país sombrio e destroçado na economia, nos laços sociais de convivência, na política e na cultura. Há, efetivamente, por trás disso tudo, uma agenda de poder da direita e extrema-direita azeitadas por militares fascistas (o grosseiro Mourão, vice do Bolsonazi), autoritários (o ministro do Exército, que deveria ter sido demitido e preso pelas gravíssimas e ameaçadoras declarações de teor político), maçons de linha retrógrada / moralista e políticos corruptos fora e dentro do aparelho de Estado.

Esta agenda não tem nada de patriótica ou moralista. Esta agenda é a visão de mundo de uma ideologia de classe diretamente legatária da casa-grande escravocrata. Egoísta e excludente, tal programa social, ideológico e político extremista sempre existiu, mas somente agora, por força do bombardeio diário de uma emissora de TV que é a quintessência do crime de lesa-pátria (a Rede Globo), ganhou visibilidade e apoio massivos daqueles típicos grupos que engordam as hordas do medo e do ódio.

É também a agenda do ataque do capital financeiro às democracias liberais em todo o mundo pós-choque de 2008, e que no Brasil se reveste, por meio do golpe, do saque da riqueza gigantesca proporcionada pelas jazidas petrolíferas do pré-sal. Não por acaso, as tropas de ocupação das corporações multinacionais, por meio do Legislativo e do Judiciário, fizeram aprovar, no calor do golpe, leis francamente lesivas ao interesse nacional.

Se antes os fariseus da direita aterrorizavam a sociedade com o mote do “medo” de um eventual governo petista, agora eles assumiram que nunca tiveram medo de nada. E saíram de seus armários fétidos ou cloacas mentais espumando o que vai em suas almas tristes: o puro ódio social classista. Ódio aos negros e pardos pobres, aos miseráveis em situação de rua e aos migrantes (sobretudo se nordestinos), às comunidades LGBT, às mães solteiras, aos refugiados, aos famintos e desvalidos de toda espécie. A direita ama odiar.

O grave perigo que corremos – creio que a mais perigosa encruzilhada social e política que este país já encarou – é ver legitimada, pelo voto dos inocentes úteis, dos fascistas militantes e dos idiotas de carteirinha, uma agenda que é um refugo dos regimes de Mussolini e Hitler. 

A eventual eleição desse energúmeno bizarro e do seu vice (ambos claramente ameaças ao que restou de soberania popular na Carta Magna de 88, permissivamente estuprada pela leniência de um pequeno supremo acovardado ante o avanço do golpe sobre o Estado democrático de direito) vai legitimar o banditismo político-ideológico dessas hordas nos ambientes de trabalho, sejam públicos ou privados, nos espaços públicos (praças, ruas, estádios de futebol etc), nas redações jornalísticas, nas famílias e nos clubes, supermercados e feiras, nos tribunais dominados por juízes, procuradores, desembargadores e promotores ativistas.

Não vai restar nada, pedra sobre pedra, dos já rarefeitos liames de interação social que a mídia das oligarquias de família progressivamente esgarçou na perseguição hidrófoba e hipócrita ao PT e Lula. Sobrará apenas um arremedo de país sem nação. Uma imensa anomalia social teratológica, sob controle de civis e militares autoritários cujo projeto de vida é a curra ancestral, pela eterna casa-grande, da senzala e sua vasta população assalariada.

Esse arranjo não vai se sustentar pelo simples fato de que a vivência e a sensação de dignidade que, pela primeira vez na história brasileira, os miseráveis e pobres alcançaram, não vão aceitar o chicote neoliberal para tangê-los de volta à senzala. Este país vai, necessariamente, sangrar. E os humilhados e ofendidos de sempre não se submeterão como bodes expiatórios da farra das elites corruptas e desumanas.

Eleger o fascismo tupiniquim será instituir simbolicamente a aceitação da “lei e da ordem” de castas judiciárias taradas em punir ideólogos e militantes de esquerda, no mais descarado ativismo judicial; a relativização do racismo (o pequeno supremo já deu o seu belo exemplo para não incriminar o candidato do ódio e do medo); a aplicação totalitária das agendas do capital financeiro e rentista sobre o mundo do trabalho; o salvo-conduto para o policial da esquina se julgar uma autoridade para atirar a torto e a direito; a permissão para humilhar e perseguir as minorias; a ingerência autoritária e inconstitucional de militares no espaço político; enfim, eleger o candidato cujo símbolo de campanha é um revólver significará que o discurso do ódio e do medo venceu.

Os brasileiros precisam escolher um candidato capaz, moral e intelectualmente, para criar e gerir consensos sociais, políticos e econômicos na dura tarefa de reerguer o país. Precisamos de paz e serenidade para desconstruir o golpe de Estado e refundar as instituições sob o marco republicano.

O fascista cevado no ódio e no medo não é e nunca será esse candidato. Àqueles que me leem e têm por meta de vida odiar o PT e Lula, peço que reflitam milhões de vezes. E escolham outro nome da seara da direita. Mas se o ódio e o medo são os guias de suas decisões político-ideológicas, mesmo que isso signifique lançar o país e os brasileiros no terror de uma era de trevas, não há nada a fazer. Vocês já não vivem entre nós: são fantasmas de um mundo morto.

#Elenão.

*Roberto Numeriano é jornalista, professor, pós-doutor em Ciência Política e candidato a deputado estadual pelo Avante.

JUPI REALIZA SEMINÁRIO DE AGRICULTURA FAMILIAR

O Governo Municipal de Jupi realizou,  recentemente,  o 1º Seminário de Agricultura Familiar, que contou com entrega de Títulos Agrários, Capacitação e palestras dadas por João B. De Oliveira e Gaúdia Maria C. Leite Pereira, ambos com rico currículo na área do associativismo.  

O prefeito do município,  Marcos Patriota (DEM),  abriu o evento que capacitou durante do todo o dia as diretorias das 17 Associações Rurais do Município.  

Segundo Patriota, as associações precisam receber informações para que tentem buscar diversas metas diferenciadas das do dia a dia. “Eu entendo que a agricultura familiar necessita de muita mais e as associações são um espaço democrático, com conhecimento e competência que irão trazer mais desenvolvimento para o meio rural. Nós vamos trabalhar dia e noite para trazer novos projetos, capacitá-los e para que isso ocorra vamos juntos fazer mais e melhor", enfatizou o gestor.

O dia do Seminário foi repleto de atividades.  Pela manhã nove famílias receberam das mãos do Presidente do Iterpe os documentos de suas terras.

A parceria da Prefeitura e do Governo do Estado possibilitaram a entrega de documentação aos agricultores que pagariam mais de 2 mil reais, se fossem tirar do próprio bolso. Assim, eles puderam regularizar as suas terras a custo zero.

Durante o Seminário também foi lançado o Programa de Regularização de Terras que a partir do dia desta semana começou a  atender efetivamente a população de Jupi,  uma vez que Jupi tem ainda cerca de 2 mil propriedades precisando de regularização.

O diretor de Agricultura Familiar,  Luiz Ricardo disse que de todas as formas o Governo de Marcos Patriota e Rivanda Freire procura incentivar o agricultor, seja através da implantação de sistemas de abastecimento de água no município, construção de barragens, aração de terras, vacinação de rebanhos e doação de sacos para bater o feijão”.

Citou também os  cursos, capacitações, feiras da agricultura local, construção de casas, geração de emprego, e eventos como este seminário, o incentivo aos para vender a tapioca, o bolo, o suco, o café, frutas para servir o lanche de um evento do Município.

“Nós estamos atendendo os pedidos da sociedade civil organizada da melhor forma possível. Esse governo é participativo e a sociedade aqui tem vez de dar a sua opinião e não ter que atender a modelos de gestões criados em gabinete de cima para baixo", frisou Luiz Ricardo.

Durante a capacitação, houve orientação a dirigentes de associações, incluindo presidentes, tesoureiros, secretários, vices e suplentes, com apresentação de modelos de documentos como Atas, Estatuto, como fazer ofícios, controle de caixa e diversas situações do dia a dia da entidades,  que passarão a ter mais segurança para realizar tais ações.

Também participaram do evento a vice-prefeita Rivanda Freire, a primeira dama e Secretária de assistência Social Fabiana Quintino, o diretor de Recursos Hídricos e a presidenta do conselho rural, Ivone.

*Com foto e informações de Guilherme JG

COLÉGIO SANTA JOANA D´ARC PROMOVE PALESTRA


QUEIJEIROS E PEQUENOS PRODUTORES DO INTERIOR SE DIZEM PERSEGUIDOS PELO GOVERNO DE PERNAMBUCO


Por Junior Almeida

Depois da operação desta terça-feira (18) onde policiais civis e funcionários da Adagro - Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária de Pernambuco - apreenderam 14 toneladas de queijo no Mercado de Afogados, em Recife, e depois incineraram, os chamados queijeiros, que são as pessoas que compram o produto no interior para revender na capital, prometem lutar contra os que eles classificam como arbitrariedade por parte do Estado.

Os revendedores de queijo, num total de 487, querem ser recebidos pelo secretário de agricultura de Pernambuco, Wellington Batista, e também pelo diretor da Adagro, Paulo Roberto de Andrade Lima, para entregar uma pauta de reivindicações composta de nove itens, que são:

1-Prazo para que os produtores de queijo artesanal de Pernambuco se adéqüem as normas exigidas na lei.
       2-Prazo esse de dois anos.
3-Programas que viabilizem empréstimos para estruturar a fabricação de queijo.
4-Fiscalização de acordo com o porte do produtor.
5-Que os produtores sejam fiscalizados só depois do período de adequação às normas.
6-Capacitações periódicas para produtores de queijos artesanais.
7-Que os queijos produzidos antes do período de adequações às normas sejam de responsabilidade de cada produtor, até com cadastro pelo CPF.
8-Que seja divulgado os ítenss da pauta.
9-Que a comissão seja atendida pelo governador ou seu representante e também pelo diretor da Adagro.

Segundo Marcelo Tubarão, que integra uma comissão que representa os municípios de Capoeiras, Venturosa, Pedra, Pesqueira, Belo Jardim e Buíque, cada queijeiro compra o produto de 15 a 20 famílias, gerando com isso aproximadamente 80 empregos, que vai, segundo Marcelo, desde o tirador de leite, o dono da propriedade rural, até os funcionários dos comércios que giram em torno do fabrico do queijo, como armazéns de ração, farmácias veterinárias, dentre outros.

Os queijeiros se dizem receosos em comprar nos próximos dias dos pequenos produtores, pois, segundo eles, correm o risco de perder a mercadoria como aconteceu ontem em Recife. Os profissionais acham que o comércio todo vai sofrer com o que eles chamam de perseguição aos queijeiros e pequenos produtores.

Amanhã tem a feira de Cachoeirinha e na sexta-feira a de Capoeiras, e ninguém está querendo comprar por puro medo. Quem fabricou seu queijo, vai vender a quem? Como fica quem tem a pagar e a receber suas contas? Disse Marcelo Tubarão, em nome da associação.

O representante dos queijeiros disse ainda que eles, juntamente com alguns produtores, pretendem ir até Recife amanhã (20) para tentar resolver a situação da classe. Marcelo disse também que acredita que o governador Paulo Câmara seja sensível às reivindicações dos queijeiros, pois, segundo o comerciante, o político sabe que  muitas pessoas dependem do ramo do queijo e também do dinheiro que eles injetam na economia do interior  do Estado.

Não acredito que o governador vá colocar de novo o Estado contra os trabalhadores como fez ontem, pois ele deve querer o povo ao seu favor agora em outubro. Finalizou Tubarão.

Lembrando que na operação da terça-feira, segundo o delegado que comandou a apreensão dos produtos, Antônio Guerra, alguns queijeiros foram denunciados à Justiça pelos crimes contra marcas e patentes, concorrência desleal, contra a ordem tributária, consumidor e saúde pública.

*Foto da internet meramente ilustrativa.

É HORA DE UNIR O BRASIL POR HADDAD E PELA DEMOCRACIA



Por Roberto Almeida

A pesquisa do IBOPE divulgada ontem à noite mostra um crescimento inacreditável do professor Fernando Haddad (PT) em poucos dias.

Ele passou de meros 4%, quando quase todos achavam que ele estava fora da disputa e chegou a 19%, se consolidando no segundo lugar e deixando para trás políticos que são candidatos há muito mais tempo, como os ex-governadores Geraldo Alckmin (PSDB) e Ciro Gomes (PDT), além da ex-ministra Marina Silva (Rede), esta disputando a terceira eleição presidencial consecutiva.

Caso Haddad prossiga esta ascensão fenomenal, poderá chegar na frente,  no dia da eleição, obtendo mais votos mesmo que Jair Bolsonaro (PSL).

Não é uma certeza e sim uma possibilidade.

Faltando apenas 18 dias para o dia da votação, os candidatos, jornalistas e eleitores já estão imaginando como será o segundo turno.

Outros, sejam correligionários de Bolsonaro ou Haddad, sonham com a vitória ainda no primeiro turno.

É difícil, mas não impossível. Vai depender do chamado “voto útil”, da performance de cada candidato na reta final e do último debate, na TV Globo, que sempre tem um peso muito grande.

Não vejo porque numa eleição como essa, em que está se julgando o golpe parlamentar-midiático de 2016 e se votando por mais ou menos democracia, ficar se pegando em questões menores e brigando no campo dito progressista.

Temos, como na eleição de 1989, a primeira pós-redemocratização do Brasil, um candidato ancorado num partido pequeno, com discurso moralista e cheio de bravatas. O adversário é do PT, maior partido de massa do país, que venceu nas urnas em 2002, 2006, 2010 e 2014.

Políticos inteligentes, preparados e experientes como Geraldo Alckmin, Ciro Gomes e Marina Silva não podem compactuar com o discurso fascista que põem o Brasil em perigo. Ficar pior do que está é coisa que nem Tiririca aguenta.

Se os candidatos citados não podem renunciar, “jogar a toalha”, porque ficaria feio e seria a negação de suas convicções, cabe aos movimentos sociais, a instituições, aos sindicatos, a Fetape, CUT, setores progressistas das igrejas cristãs, aos jornalistas, blogueiros, radialistas e comunicadores em geral unirem o Brasil pela vitória do candidato mais preparado, consciente e sensato.

Nesta eleição, não se trata da velha briga entre o PT e o PSDB. Não é o petismo ou o não-petismo que está em jogo.

Está em jogo a própria democracia brasileira, que vem sendo afrontada desde 2016 e que pode ser estuprada de vez com a vitória de um candidato simpático às ditaduras.

Fernando Haddad é formado em direito, é professor universitário, tem pós-graduação em economia e doutorado em filosofia.

Não é um petista sectário, nem um intelectual complicado desses que pretende reinventar a roda.

Fala uma linguagem simples e tem experiência na vida pública, já tendo sido assessor do Ministério do Planejamento, Ministro da Educação e prefeito da maior cidade do país.

Apesar de todo esse currículo, o povo está descobrindo o professor Haddad agora e está gostando do que vê.

Por ser moderado, inteligente, apresentar boas propostas e deixar claro que irá governar como fez o seu padrinho político, o ex-presidente Lula, privilegiando os mais pobres, os que realmente precisam dos governos.

Uma união de todos os homens e mulheres conscientes do Brasil, a prática do “voto útil”, o trabalho incansável nas ruas e redes sociais em favor do professor Haddad, pode fazer com que ele chegue a mais de 40% de intenções de voto no dia 7 de outubro, com chances reais de vencer a eleição sem necessidade de uma segunda campanha.

Fernando Haddad eleito, seria hora de desarmar os palanques e fazer um governo de coalizão com o PDT de Ciro, o PSDB de Alckmin, o PSB de Paulo Câmara, o Partido Rede da Sustentabilidade, de Marina e até o PSOL de Boulos.

Enfim poderíamos nos livrar de mal que se chama PMDB.

Que o povo se conscientize também para votar em deputados progressistas, gente séria, de modo a melhorar a representação em Brasília.

Não basta eleger Haddad, tem também que lhe dar uma base no Congresso Nacional.

Se ficarem esses deputados mercantilistas que estão aí eles continuarão fazendo chantagem, saqueando o Brasil e fazendo com que a injustiça e as desigualdades se perpetuem.

Vamos unir o Brasil. Por Fernando Haddad, pela democracia, pelos nossos filhos e netos.

Não à barbárie, ao fascismo, à intolerância e ao ódio.

Sim ao futuro, a civilização, a um Brasil em que se possa ser feliz de novo.

ELEIÇÃO EM PERNAMBUCO AINDA ESTÁ INDEFINIDA


A última pesquisa do IBOPE mostra que Paulo Câmara (PSB) não está conseguindo capitalizar o apoio de Lula e do PT como gostaria.

Enquanto o candidato a presidente, Fernando Haddad, passou em pouco tempo de 4 para 19% da preferência do eleitorado, Paulo Câmara (PSB) estacionou em 41% e seu principal adversário, o senador Armando Monteiro (PTB) cresceu 4 pontos e agora, segundo o IBOPE, soma 37%.



Muitos esperavam que Paulo aumentasse a diferença (que já foi de 9 pontos), mas isso não ocorreu e os dois candidatos estão empatados no limite da margem de erro da pesquisa.

O governador parece estar pagando pelos primeiros três anos da gestão, muito aquém do que foi prometido na campanha de 2014. E também por ter apoiado a derrubada de Dilma e a subida de Michel Temer ao poder.

Se Armando Monteiro não tivesse montado uma chapa com dois ex-ministros do atual presidente, poderia estar numa situação confortável.

Caso o PT tivesse dado legenda a Marília Arraes, com esta “onda Haddar” e o carisma da vereadora, não tenho dúvidas de que ela venceria, possivelmente no primeiro turno.

O fato é que nenhum dos candidatos a governador chega a empolgar e a possibilidade de um segundo turno ainda é real.

Se isso acontecer, será muito ruim para Câmara, que numa nova campanha não terá o exército de prefeitos e candidatos a deputados tão empenhados como agora.

E muitos que não conseguirem se eleger podem, ressentidos, aderir à oposição.

Paulo conseguiu com o apoio da cúpula do PT tirar Marília do jogo, porém mesmo assim ainda não tem a vitória assegurada.

GENIVALDO MENEZES RECORRE DE DECISÃO DO T.R.E.

O blog recebeu da Assessoria de Imprensa do ex-prefeito de Águas Belas, Genivaldo Menezes, a seguinte nota:

O candidato a deputado estadual Genivaldo Menezes Delgado (PCdoB) vem a público afirmar que recorrerá da decisão divulgada pelo Tribunal Regional Eleitoral nesta segunda-feira (17).

A assessoria jurídica de Genivaldo esclarece que ainda cabe recurso e tem a convicção de que a candidatura será mantida.

“A campanha continua e sairemos vitoriosos junto com o povo no dia 7 de outubro”, disse o candidato.