quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

O BLOQUEIO DO WHATSAPP NO BRASIL

No primeiro minuto de sexta feira, o aplicativo de mensagens de celular mais popular do mundo, WhatsApp, estará fora do ar no Brasil. Ninguém fala do real motivo do bloqueio, mas sabe-se que a decisão foi de um juiz de São Bernardo do Campo em São Paulo, por não ter sido atendido pela empresa dona do aplicativo, quando pediu informações que pudessem ajudar numa investigação criminal. Como a empresa se negou a fornecer os dados solicitados, o magistrado tomou a decisão tão radical, que está mexendo com a vida de todos os brasileiros.

Nas redes sociais esse é um assunto dos mais falados, principalmente em forma de piadas e memes. Dizem que o gordinho da Saveiro de Minas comprou o zap zap só pra acabar com o falatório de sua vida, outras piadas dizem que o aplicativo foi suspenso depois que a PF apreendeu o celular de Eduardo Cunha. Um meme do Bode Gaiato, personagem famoso do mundo virtual, mostra um bode armado ameaçando quem queira desligar seu WhatsApp. O certo é que como piada ou seriamente, o bloqueio do aplicativo está mexendo com a vida dos brasileiros.

As informações estão em um documento obtido pelo Gizmodo Brasil. Nele consta como origem o seguinte: Grupo de Combate às Facções Criminosas (GCF). Parece coisa bem séria.
O documento diz aquilo que tanto a Folha quanto uma nota do Tribunal de Justiça de São Paulo disseram: a partir das 0h do dia seguinte ao recebimento da ordem (ou seja, amanhã), o aplicativo deve ser bloqueado por um período de 48 horas, retornando, portanto, na madrugada de sexta-feira para sábado.
A ordem determina que as operadoras bloqueiem acesso a domínios e subdomínios do WhatsApp e também façam tudo o que "for necessário para a suspensão do tráfego de informações, coleta, armazenamento, guarda e tratamento de registro de dados pessoais ou de comunicações entre usuários da rede".
O estranho do documento obtido pelo Gizmodo Brasil, que foi enviado às operadoras,  é que não dá para saber, de fato, o teor do crime que levou a esse processo. Segundo Paulo Rená, chefe de pesquisa do Instituto Beta para internet e democracia, que também analisou o documento, isso pode significar muita coisa: pornografia infantil, tráfego de drogas ou mesmo alguma denúncia sobre corrupção.
Oficialmente, as operadoras dizem que vão acatar a decisão judicial, apesar de dizerem ser contra - aliás, muitas delas oferecem planos de WhatsApp ilimitado. A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) disse à Folha que não foi notificada da decisão, mas acha que a medida é prejudicial aos usuários e desproporcional por prejudicar milhões de consumidores.
Em nota, o TJ-SP disse que a decisão foi tomada após o WhatsApp não atender uma determinação judicial de julho. A empresa voltou a ser notificada em agosto, e seguiu sem atender ao pedido da Justiça - o que resultou, portanto, na ordem de bloqueio.
Por Junior Almeida e informações do MSN.

Um comentário:

  1. O Diario de Pernambuco de hoje informou que as empresas de telecomunicações já haviam sido notificadas e que iriam cumprir a ordem judicial. - Tanto que, desde a madrugada e até bem pouco tempo, NÃO havia WhatsApp funcionando!! - Só agora há pouco, comecei a receber mensagens por desse aplicativo!! – 2. A imprensa, quando há uma medida judicial desse porte, fica atordoada, muitas vezes, e dá a notícia incompleta, na ânsia de informar à população. - 3. Por telefone, u’a amiga me disse que a Oi entrou com pedido de reconsideração da medida. E foi atendida, o que beneficiou todas as outras congêneres!! – Como não sei de mais nada oficial, suponho que haverá mais 24 horas para a decisão ter de ser cumprida!! - 4. O que sei não é se deveria, mas é de VIRILHA: é que havia muita gente arrancando os pentelhos ontem à noite, porque ficaria sem WhatsApp por 48 horas!! – É o caso de muitas amigas minhas!! – NÃO vi TV ainda hoje. – Portanto, NÃO estou sabendo de detalhes!! – Só, por enquanto!!!!!!!!!!!!!!!!! /.

    ResponderExcluir