ALEPE

ALEPE
ALEPE

GOVERNO DO ESTADO

GOVERNO DO ESTADO
GOVERNO DE PERNAMBUCO - FUNDARPE

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

NEIDE REINO REÚNE PROFESSORES E CONSIDERA DENÚNCIAS DE CARLOS BATATA COMO VAZIAS

Prefeita Neide Reino e o 
governador Paulo Câmara

Ao participar de uma reunião com professores de Capoeiras, ontem à noite, no Colégio Municipal, a prefeita Neide Reino aproveitou a oportunidade e sem citar o nome de Carlos Batata deu uma resposta as denúncias feitas pelo ex-deputado, através deste blog e das redes sociais. 

Segundo a socialista são denúncias vazias e sem fundamento de alguém que está querendo mídia. Garantiu que a Prefeitura de Capoeiras nunca fez nenhum depósito na agência do Banco do Brasil em Altinho e ironizou : "Se tivesse feito isso teria perdido o juízo". Ela informou também que o Município ganhou na Justiça uma questão referente a recursos do antigo Fundef e garantiu que o dinheiro será aplicado rigorosamente dentro da Lei.

Confira a matéria completa no texto de Júnior Almeida:

A prefeita de Capoeiras, Neide Reino (PSB), se reuniu com vereadores e professores da rede municipal em um educandário da cidade para fazer alguns esclarecimentos sobre alguns recursos da educação, referentes ao antigo FUNDEF. A gestora começou falando que aquele momento não era uma reunião formal, e sim um encontros de amigos e pessoas todas conhecidas, que podia estar acompanhada de um advogado, mas que o assunto em pauta, ela mesmo podia explicar. 

Falou que queria falar olhando nos olhos dos professores, e que não ia permitir que politizassem um assunto que só diz respeito aos profissionais de educação. 

Disse que o motivo dela ter convocado o encontro tinha sido alguns comentários na cidade, inclusive na Câmara de Vereadores, sobre um dinheiro que deveria ser pago aos professores. 

Explicou que a Prefeitura de Capoeiras entrou com uma ação na justiça no ano de 2006 contra perdas na formação do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e Valorização do Magistério, e que o município ganhou a causa, no valor de R$ 16 milhões e já recebeu cerca de R$ 12,2 milhão, em dezembro de 2014. 

Informou que esse recurso é livre para ser usado pela prefeitura em qualquer área que necessite. A gestora alega que usou mais de R$ 100 mil na conclusão da creche Tereza Ursulina, localizada no antigo Estádio Carlos Rios, na reforma de escolas, aquisição de mobília, bem como o complemento na alimentação e no transporte escolar.

A Secretaria de Educação, Macyanne Régia, também usou da palavra, e disse que consultou uma especialista no assunto, e que a resposta que teve foi que existem três situações para utilização da verba.

Primeiro: O dinheiro só pode ser gasto na área da educação;

Segundo: O recurso pode ser usado para ressarcir os professores e ser pago em forma de rateio;

E finalmente a terceira opção; que segundo a secretária, é o caso de Capoeiras: o dinheiro depositado na conta da prefeitura pode ser usado pela gestora no que ela achar conveniente.

Retomando o microfone, Neide - que demonstrava segurança no que dizia, falou que todos os servidores são livres para procurar os seus direitos, que inclusive os profissionais que ocupam cargos de confiança, podem e devem procurar à justiça, que se eles tiverem razão, ela como prefeita será a primeira a apoiar os professores. Disse também que pelo que sabia, a única cidade que vai ratear o recurso é Cachoeirinha.


DENÚNCIAS

Quanto às denúncias ao Ministério Público feitas pelo ex-deputado Carlos Batata, divulgadas pelas redes sociais e neste blog, Neide Reino assegurou estar tranquila. Que são denúncias "vazias e sem fundamento". Ela falou que se tivesse feito um depósito de tal montante em Altinho, ou que se tivesse pago tal quantia a advogados e ainda por cima em duplicidade, podiam seus amigos a internarem num hospício, pois ela não estaria em seu juízo perfeito.  

A prefeita, que em momento nenhum da reunião citou o nome de Batata, pois deu a entender que o que o ex-deputado quer apenas mídia, e que por ela, isso ele não teria de jeito nenhum. A gestora deu a entender que o ex-deputado não tem credibilidade e quer apenas fazer política. 

Neide considerou a atitude do ex-prefeito, tirando uma foto em frente ao Tribunal de Justiça, "tão ridícula que não merece resposta, a não ser na justiça.  A prefeita ainda ironizou dizendo que tinha muita gente assistindo muitas notícias da Operação Lava Jato, falando em contas na Suíça, e que deveriam estar confundindo com as contas de Capoeiras. Explicou que o recurso está aplicado numa conta da Caixa Econômica Federal, que não sabe de onde surgiu o nome de Altinho, num "pensamento maluco", mas que quem fez denúncias de maneira irresponsável, segundo a prefeita, vai ser acionado judicialmente por danos morais, calúnia e difamação.

Depois que a prefeita falou, facultou a palavra aos presentes, para esclarecer qualquer questão. 

TRANSPARÊNCIA - Vereadores e professores questionaram a prefeita em diversas questões, até sobre assuntos fora da pauta da reunião, e Neide respondeu quase tudo que lhe foi perguntado. Segundo alguns vereadores da oposição, falta mais transparência no caso. 


A vereadora Carla Rodrigues disse ao blog que procurou saber do secretario de administração, das secretarias de finanças e educação e da própria prefeita quanto existe de fato na conta e quanto já foi gasto do dinheiro, mas não obteve resposta, portanto não está totalmente satisfeita com o desfecho da reunião. 

O vereador Dedinho, que na reunião indagou a prefeita sobre a possibilidade dela mandar um projeto de lei à Câmara, garantindo esse dinheiro aos professores, também não saiu satisfeito, pois ouviu da prefeita que ela quer usar esse recurso de outra maneira, que não seja através de rateio. O vereador Ailton Lino, presidente da Câmara, e ligado à prefeita, revelou que saiu satisfeito da reunião, e que o mais importante do encontro, segundo ele, foi ter esclarecido as denúncias feitas pela oposição. 

A impressão que ficou da reunião, é que a classe está dividida, com vantagem aos partidários da prefeita, que parecem estarem convencidos com as palavras da gestora. Ao final da reunião, ficou acordado que alguns professores, mesmo governistas, juntos com o da oposição, vão entrar na justiça para tentar botar a mão numa parte desse dinheiro.


*Foto do Facebook do Blog Capoeiras.

9 comentários:

  1. José Fernandes Costa16 de dezembro de 2015 20:27

    Sou solidário à Neide!!! - P A R A B É N S !!!!!

    ResponderExcluir
  2. veremos os resultados.

    ResponderExcluir
  3. Malandro é Malandro e Mané é Mané... Nesse caso malandra, pense em mulher inteligente e articuladora coloca a classe que era pra ser a mais esclarecida e critica no bolso. Mas também não poderiam esperar outra coisa. VEM2016

    ResponderExcluir
  4. José Fernandes Costa17 de dezembro de 2015 12:12

    Essa história de "transparência" e "transparência", usada pelas oposições irresponsáveis, é um chavão que ninguém mais aguenta!! - Porque quem hoje fala em "transparência" está só querendo a vez de meter a mão no dinheiro público, amanhã ou depois!! - Portanto, é um bando de sem-vergonha, esperando a hora de poder botar as mãos sujas nos cofres públicos!! - É BOM QUE ESSES SEM-VERGONHA SAIBAM QUE O ERÁRIO TEM DONO: - OS DONOS SÃO O POVO QUE PAGA IMPOSTOS E SUSTENTA TODA ESSA CAMBADA DE SALAFRÁRIOS!! – 2. Ressalvadas as mínimas exceções que toda regra comporta!! /.

    ResponderExcluir
  5. Prof. Erivaldo Bento Cavalcanti18 de dezembro de 2015 09:13

    Esclarecedora as informações da reunião divulgadas neste blog. Só achei muito infeliz a forma como o texto termina, pois insinua desonestidade por parte dos professores ao dizer:"vão entrar na justiça para tentar botar a mão numa parte desse dinheiro". Junior Almeida, os educadores que estão entrando da justiça nem são desonestos nem aproveitadores. Tão somente buscarão na justiça um direito que julgam ter tendo em vista que se trata de verba da Educação e a lei do antigo FUNDEF e hoje FUNDEB é clara em dizer que 60% deve ser destinada ao vencimentos dos professores.

    ResponderExcluir
  6. Todo os comentario anonimo é da mesma pessoa e eu seio quem é

    ResponderExcluir
  7. não interessa alvaro se você conhece ou não, na verdade o que se trata é uma grande desonestidade que estava sendo praticada, esse dinheiro ninguém ia saber a sua finalidade, aliás ninguém entre aspas. Não se sabe realmente porque foi aberta uma conta em altinho para depositar esse dinheiro, e logo em seguida sacado, e só esta vindo a tona por conta da denúncia que foi feita. Isso é bem claro, senhores professores não deixem que sejam tomado o que é de vocês e que vocês teêm direito. Não importa se você vota em neide ou em batata, ou em dudu ou edigar, todos tem o mesmo direito e é uma bolada bem boa. Por isso eu digo a todos os professores que corram atrás de seus direitos. São mais de 30.000.00 mil reais para cada efetivo.

    ResponderExcluir
  8. Esse anonimo - 16 e 43 que masacra a prefeita Neide é muito suspeto.

    ResponderExcluir