sexta-feira, 29 de abril de 2011

O CAMPO DE CONCENTRAÇÃO AMERICANO

O livro Diário de Guantánamo, da americana filha de afegãos Mahvish Khan,  e o filme Caminho de Guantánamo, do inglês Michael Winterbottom - as duas obras mais ou mentos recentes -, mostram os crimes praticados pelos EUA na prisão sediada numa parte do território cubano. Na verdade o lugar, que chegou a abrigar 750 detentos no Governo Bush, lembra os campos de concentração dos nazistas. Assim como Hitler isolou em determinadas áreas milhões de pessoas pelo crime de ser judeu, os americanos prenderam centenas de inocentes e os submeteram a todo tipo de torturas e humilhações. A maioria das vítimas eram ou são muçulmanos.  Esse presídio é um crime contra a humanidade e uma vergonha para os Estados Unidos. Em Guantánamo, os soldados americanos lembram não apenas os nazistas, mas também os russos dos tempos de Stalin, os chineses da época de Mao e os próprios militares da Ilha dos irmãos Castro. Como se vê, à direita e à esquerda se praticam horrores em nome da liberdade, do socialismo ou de um Deus. (Na foto uma imagem bastante aproximada do que se vê no documentário Caminho de Guantanamo).

9 comentários:

  1. No país da maior democracia do mundo é assim. Imaginem no regime que o PT de Lula e Zé Dirceu adora que é o de Fidel como não será? PAREDÃO DE FIDEL!

    ResponderExcluir
  2. Dou o maior pontoa a Guantánamo. Todo castigo pra terrorista é pouco, esses matadores de gente inocente e chegam a serem suicidas. Matam inocentes mesmo sabendo que vão morrer também. São uns doentes, uns fanáticos. Quem deveria está aí também eram os terroristas Zé Dirceu, Zé Genoíno e a perigosa e desumana Dilma que mataram tantos inocentes e nunca foram punidos por isso.

    ResponderExcluir
  3. Anônimo parece que não sabe o que é a realidade. Nem todo mundo que está lá é terrorista, muitas pessoas foram presas apenas pela raça e crença. Terrorista de verdade são os norte americanos que dizimam populações apenas atrás das riquezas de sua região e fazem uma propaganda para que os ingênuos acreditem no seu objetivo fictício. Quem conhece a história da Alemanha e seu líder Hitler, sabe muito bem como o mesmo enganou tolos e aterrorizou os que não era “puros” segundo os pensamentos dele. Anônimo é lamentável que pessoas como você em pleno século 21 ainda tenham a falta de capacidade de discernir os verdadeiros “maus” de uma história como esta.

    ResponderExcluir
  4. DAR PRA MANDA TAMBÉM ZÉ DA LUZ PRA LA.

    ResponderExcluir
  5. Ô seus idiotas anônimos, a nota crítica tanto a direita quanto a esquerda que prende, tortura e mata inocentes. Procurem ler um pouco antes de escrever besteira nos blogs.

    EDUARDO, Heliópolis

    ResponderExcluir
  6. Presos de Guantánamo não usam insígnias em suas roupas, guardas na Base não usam Huskys como cães de vigilância. O documentário esqueceu-se de dizer que não há prédios nem árvores grandes na base da ilha, basta ampliar a foto para perceber que trata-se de uma cidade, com prédios no estilo caixao soviético. O clima é frio, presos estão com roupas inadequadas ao calor cubano. É outono e as árvores estão desfolhadas, o que não ocorre em Cuba, país tropical. A camuflagem é típica do exército russo. Guantánamo é um nojo, mas o documentário precisa de imagens honestas.

    ResponderExcluir
  7. Esse Macalé conhece tudo de presídio.
    Tinha que ser do MAGANO mesmo.
    TomazTurbando/Garanhuns

    ResponderExcluir
  8. Tenha respeito ao Bairro do Magano seu Tomaz Turbando safado. Moro a mais de quarenta anos aqui e conheço muita gente de bem e não é você seu vagabundo que vai desmoralizar o nosso Bairro.

    ResponderExcluir
  9. Já comentaram aqui mesmo nesse blog que esse tal de Tomaz Turbando/Garanhuns é o Enstein de Caetes, pelo geito maloqueiro de escrever parece que é ele mesmo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir