GOVERNO DO ESTADO

GOVERNO DO ESTADO
GOVERNO DE PERNAMBUCO - FUNDARPE

Alepe

Alepe
Alepe

sexta-feira, 10 de maio de 2019

EMPRESA DE CARUARU TENTA DESQUALIFICAR DENÚNCIA


Depois do vídeo de Luizinho Roldão divulgado na última quarta-feira, mostrando que a Plena Empresarial só existe no papel, a firma caruaruense primeiro publicou uma nota, tentando desqualificar a denúncia e hoje divulgou um vídeo querendo convencer os garanhuenses que a empresa não é só de fachada.

No vídeo de Luizinho Roldão, que foi visualizado por quase 20 mil moradores do município é mostrado um prédio na Rua Bom Pastor, 621, no bairro Petrópolis, na capital do agreste.

Imóvel é visto como um galpão não terminado, sem nenhum nome de identificação de empresa e numa parte ao lado funcionando um estacionamento.

Além das imagens, dois depoimentos foram dados por moradores do bairro, revelando que no local nunca funcionou empresa nenhuma. Segundo Roldão, pelo menos mais oito pessoas confirmaram a versão.

VERSÃO DA PLENA – No vídeo da Plena Gestão Empresarial, um repórter apresenta um cenário completamente diferente. Logo na entrada adesivos identificam duas empresas que funcionariam no local: a Plena e a EVDA Soluções Empresariais.

Repórter mostra imagens de uma sala bem mobiliada, decorada, aconchegante, e segundo é informado funciona como espaço de reuniões da empresa.

Depois é entrevistada uma senhora, apresentada como Danielle, uma das diretoras da firma de Caruaru.

As imagens mostram ainda uma outra sala ao lado, que seria do diretor da outra empresa.

O repórter insinua que quando Luizinho Roldão esteve na cidade presenciou o cenário, entrevistou pessoas atestando o funcionamento da Plena, mas omitiu no seu vídeo.

Luiz Roldão, que está viajando, já assistiu o vídeo-resposta e conversou com alguns radialistas, blogueiros e jornalistas de Garanhuns.

Segundo ele, o que se fez foi uma montagem grosseira para confundir a população e esconder a verdade.

“As imagens gravadas pela firma caruaruense foram feitas na empresa que funciona nas proximidades, na Rua São Lucas e não na Bom Pastor, 621, conforme está no contrato social da empresa.

Felipe Arruda, que fez as filmagens em Caruaru, acompanhado Luizinho, confirma que as imagens de hoje foram gravadas na outra rua.

Quem esteve na capital do agreste nesta sexta-feira, para buscar informações a respeito da Plena, foi o garanhuense Genuo Ventura, que se autodenomina fiscal do povo.

No bairro Petrópolis ele conversou com Danielle e o outro diretor da empresa da Terra de Vitalino, e ambos confirmaram que o nome da Plena só foi colocado ontem, depois da denúncia de Roldão.

O vídeo além de não parecer muito convincente, ainda traz algumas contradições. Uma delas: o repórter que aparece falando no vídeo enfatiza – repete algumas vezes – que a Plena Gestão Empresarial funciona desde 2005 na organização de feiras.

Quando fizemos a matéria da quarta-feira e pesquisamos no Google estava lá que a empresa atua desde 2000 nesta atividade.

Mas temos em mãos um documento provando que a Plena Gestão Empresarial alterou sua razão social, para poder trabalhar com organização de feiras, no final de 2018.

Diretor da empresa, antes da mudança, era Erick Veloso, que foi Secretário de Desenvolvimento de Caruaru.

É estranho que o mesmo tenha deixado a empresa e passado o comando para Danielle, no momento em que a firma participou de uma licitação promovida pela prefeitura de Garanhuns, ganhou e vai receber perto de 2 milhões de reais por ano pelo trabalho de organização das feiras livres.

Não mostramos no blog os vídeos de Luizinho Roldão nem da Plena. Mas tanto um como outro podem ser assistidos através dos principais grupos do WhatsApp da cidade e também em alguns blogs.

No YouTube foi divulgado no final da tarde o áudio de Genio Ventura em Caruaru. O vídeo inclui uma foto do material da empresa plena distribuído com a imprensa local, avaliado como "uma montagem grosseira". Clique para ouvir e tire suas conclusões:




*A imagem que ilustra o início do texto mostra que o vídeo da Plena foi gravado na Rua São Lucas e não na Bom Pastor, que é o endereço da empresa informado ao promotor Domingos Sávio e que está no contrato social.

3 comentários:

  1. Eita parece que esse dono dessa empresa além da grana dos feirantes, vai levar um dinheirinho extra. Cabra de sorte!

    ResponderExcluir
  2. É louvável o empenho e a preocupação dos prefeituráveis e dos vereadores que estão protegendo os sofríveis ambulantes, coitados!!! Agora, é preciso ter senso de responsabilidade para fazer as denúncias cabíveis e levar os infratores as barras dos tribunais, se for o caso. O que não pode haver(espero que não esteja acontecendo), é manipular o tabaréu do feirante pensando que ele é otário e não perceba que por trás de tudo isso, haja interesses eleitoreiros, politiqueiros, “vingatismo” e o escambau a quatro. CUIDADO GENTE!!! Feirante não é GADO para ser tangido...

    P.S.: - Independente de firma A ou B que terceiriza o serviço das feiras livres, há meios de se baratear ou baixar o preço da taxa de 20 para 5 reais aos pequenos feirantes... É SÓ QUERER!!!

    ResponderExcluir
  3. Todos hão de convir que, para aqueles pequenos feirantes que vendem um punhado de CD’s, um ‘MÓI” de coentro e cebolinha, um pacotinho de colorau e tempero(cominho), pagar a bagatela de R$ 20,00 fica bastante pesado. O mesmo não se pode dizer dos ambulantes que negociam com carnes, utilidades domésticas e agropecuárias, vendedores de ferramentas e artigos de couros e assim por diante. Para esses, o valor de R$ 20,00 está razoável ou dentro do tolerável.

    P.S.: - A minha preocupação maior com toda essa celeuma, para mim, resume-se numa coisa: HIGIENIZAÇÃO DAS FEIRAS LIVRES!!! E sabe por quê?!?!?! A classe média baixa de Garanhuns está fugindo das feiras de bairros em razão do grude, isso mesmo, da falta de HIGIENE!!! Mesmo pagando um preço majorado em comparação as feiras livres de bairros, a classe média baixa de nossa cidade tem a garantia que as carnes e as verduras mantém um patamar mínimo de conservação por serem REFRIGERADAS em redes de supermercados. VAMOS TRAZER ESSE TIPO DE CONSUMIDOR DE VOLTA ÀS FEIRAS, GENTE!!!

    ResponderExcluir