Assembleia Legislativa

Assembleia Legislativa
Assembleia Legislativa

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

A GARANHETA E O FESTIVAL DE JAZZ


Como Ivan Rodrigues (PSB), o ex-prefeito Ivo Amaral (PMDB) acredita que o Festival de Jazz acabou mais por conta do Viva Dominguinhos de que por falta de recursos. Também pesou na decisão, na opinião do peemedebista, o fato do evento ter sido criado na gestão de Luiz Carlos.

Ivo Amaral, porém, estranha que estejam reclamando do provável fim do Festival de Jazz quando ninguém chorou a morte de Garanheta.

O ex-prefeito lembra que o carnaval fora de época local era uma festa na qual os participantes eram 90% garanhuenses e os 10% restantes vinham de cidades próximas como Lajedo, Jupi, Bom Conselho, São João, Capoeiras, Caetés e Angelim.

Já o Festival de Jazz, segundo constatou o próprio Amaral, quando esteve numa das edições do evento, atraia pessoas da Região Metropolitana do Recife e dava para contar nos dedos quantas pessoas de Garanhuns se faziam presentes.

A Garanheta foi criada por Ivo e segundo ele acabou na administração de Luiz Carlos de Oliveira.


Em 2010, quando se especulou na volta da micareta local, o então prefeito Luiz Carlos publicou uma nota rechaçando a ideia e justificando o fim do evento por conta dos elevados índices de violência durante a festa.

4 comentários:

  1. Gostei muito das edições do festival de jazz que assisti.
    Mas, não era uma festa para o povo de Garanhuns. Quase a totalidade dos assistentes eram de outras cidades, principalmente da região metropolitana de Recife o que era bom para o setor turístico da cidade principalmente hotéis e restaurantes.
    Acho que a justificativa da Prefeitura para não bancar as despesas deste ano são aceitáveis, principalmente por não ter apoio do governo do Estado e da iniciativa privada, neste momento de crise econômica nacional.
    No entanto, os críticos da não realização do festival precisam saber que o Jazz Porto realizado pelo mesmo grupo produtor em Porto de Galinhas, na cidade de Ipojuca, que tem uma receita bem superior a da prefeitura de Garanhuns também não será realizado este ano.
    E fica uma interrogação: como Gravatá com funcionários municipais em grave por que não receberam décimo terceiro e o mês de dezembro vai bancar o festival. Irresponsabilidade administrativa? Jogada politica?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Li na Folha PE que "o aporte de recursos será feito pelos patrocinadores". Ok! Porém acredito que o Carreras usou de sua influência para conseguir tais patrocinadores na condição do evento ser realizado em Gravatá. O 'Jazz' de fato não era um evento popular, mas o que importa é se era rentável ou não. A Garanheta, que eu curti e gosto muito de festas do tipo, quando foi extinta tinha deixado de ser. É só ver em outras cidades que os formatos desse tipo de evento mudaram pq aquele modelo de festa na rua não dava mais. Eram muitos transtornos pra pouco retorno.
      O Viva Dominguinhos é um acerto e funciona como um esquenta para as festas de São João que estão por vir. Considerando as justificativas dadas pela prefeitura, eu concordo com a atitude tomada e torço para que o evento volte a ser realizado em 2017 com força total, pois Garanhuns é única e nenhuma cópia será tão boa quanto a original!

      Excluir
  2. É uma boa comparação, cultura e lixo...

    ResponderExcluir
  3. Na vida da gente há momentos para reflexão.Existe prefeitos e ex-prefeitos teimosos que praticaram um administração voltada mais para festas e quando é demais também cansa que administra.

    Mas o cansaço é financeiro.O povo precisa compreender as razões e os motivos esclarecidos pelos senhores secretários da Prefeitura de Garanhuns.

    ResponderExcluir