Assembleia Legislativa

Assembleia Legislativa
Assembleia Legislativa

terça-feira, 21 de abril de 2015

AÉCIO, FERNANDO HENRIQUE E O IMPEACHMENT


Do jornalista Ricardo Kotshcho:

"Como pode um partido pedir impeachment antes de ter um fato concreto? Não pode".

Quem fez essa pergunta, e a respondeu em seguida, não foi nenhum dirigente do PT nem algum jurista renomado. Foi o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso na palestra que fez neste domingo, no Fórum de Comandatuba, na Bahia, em que o impeachment da presidente Dilma Rousseff foi o principal assunto discutido entre os participantes do encontro, que reuniu empresários e políticos.

Voz isolada de bom senso neste golpe sem quartel que está em andamento, agora com o apoio do PSDB e de seu presidente, Aécio Neves, FHC foi enfático na defesa da legalidade:

"Impeachment não pode ser tese. Ou houve razão objetiva ou não houve razão objetiva. Quem diz se é objetiva ou não é a Justiça, a polícia, o tribunal de contas. Os partidos não podem se antecipar a tudo isso, não faz sentido. Você não pode fazê-lo fora das regras da democracia. Qualquer outra coisa é precipitação".

Podemos ou não concordar com o ex-presidente, mas é fato incontestável que ele tem tido a coragem de se manifestar quase diariamente, mesmo quando em desacordo com seus seguidores, enquanto outros lideres políticos nacionais se omitem no debate institucional neste momento grave vivido pela nossa jovem democracia.

Em artigo publicado na mesma edição da Folha que reproduziu as falas de FHC nesta segunda-feira, Aécio Neves foi na direção oposta:

"Nos últimos tempos a ideia de impeachment ganhou forte impulso na sociedade (...) Nesse debate, em pontos extremos, de um lado está o PT tachando de golpistas os que cobram providências. De outro, estão aqueles que veem no impeachment um valor absoluto. Defendem a tese a priori e buscam no dia a dia argumentos para sustenta-la".

De fato, no extremo representado pelos aliados de Aécio no PSDB e nos partidos nanicos que o apoiam, a reboque dos "movimentos de rua", a cada semana os Cunha Lima, Sampaio, Agripino Maia, Bolsonaro, Caiado, Roberto Freire e outros democratas da mesma estirpe encontram motivos diferentes e cada vez mais graves para derrubar a presidente e, se possível, acabar também com o seu partido.

Isso não é nem novidade. Em 2006, durante a campanha de Lula pela reeleição, no auge do processo do mensalão petista, Jorge Bornhausen, então presidente do PFL, que depois virou DEM e agora está ameaçado de extinção, já havia pregado:

"Vamos acabar com essa raça. Vamos nos livrar dessa raça por, pelo menos, 30 anos".

Lula foi reeleito, elegeu Dilma, que se reelegeu recentemente, e quem acabou foi a carreira política de Bornhausen, que desapareceu do mapa antes do seu partido buscar a fusão com o PTB para não morrer.

No último debate do segundo turno da eleição presidencial de outubro, Aécio já havia incorporado o espírito de outros caçadores de marajás do passado e do presente, ao proclamar:

"Para acabar com a corrupção, é preciso tirar o PT do poder".

Mais de 54 milhões de eleitores não concordaram com o presidenciável tucano e deram a vitória a Dilma, mas o neto de Tancredo Neves, não se conforma até hoje.

Ao contrário do avô, que permaneceu fiel até o fim ao lado de Getúlio Vargas, vítima de um golpe militar que o levou ao suicídio no Palácio do Catete, para defender o presidente democraticamente eleito, Aécio agora não se peja de ficar ao lado dos abutres da democracia. Nesta cruzada das trevas, não terá a companhia de Fernando Henrique Cardoso.

Vida que segue.

6 comentários:

  1. Os Cunha Lima, que foi preciso lhe exonerar as pressas, antes que sugasse os últimos centavos da antiga SUDENE, do fundador Celso Furtado, uma integridade e inteligência previlegiados, jamais esse sugador do patrimônio público, poderia passar na calçada da SUDENE, pior ser seu superintendente. A coisa foi tao absurda, que foi preciso colocar um General para colocar o ponto nos ís e salvar o que restou. Os Sampaio um senhor que dispensa comentários por sua mediocridade. Os Agripinos Maia, assim como os Ribamar, donos de metade do Rio Grande do Norte, começando com Prefeitos biônicos nomeados já em 1964 em diante, sem urnas e sem povo. Bolsonaro um troglodita, um homem que deveria estar preso pela ofensa a Deputada Maria do Rosário, quando disse que nao estupro você, porque você nao merece. Como pode um homem desse estar na Câmara Federal. Caiado, beneficiário de vários esquema de corrupçao, inclusive denunciado por Demóstenes Torres, na operaçao lava jato que ele também participou e recebeu propina. "Uma voz a procura de um cerébro". Roberto Freire saiu foragido do Recife por falta de votos, já que nao enganava mais ninguém e nao se elegeria mais vereador por Olinda, sua terra. É detestado por todos, ex-comunista mentiroso, vivia na sombra de Marcos Freire (falecido) hoje é de direita fascista, como pode? Sao esses e outros homens da mesma laia que querem o impeachment da Presidente Dilma, eleita democráticamente pelo povo brasileiro pelo simples fato de ter tido mais votos que o outro candidato. Até FHC, desse conluio, nao se entrometeu, e contrariamente, nao se passa para essa palhaçada. Força Dilma. Peço desculpas,porque o "til" no meu computador nao está funcionando.

    ResponderExcluir
  2. EU NÃO SOU POLÍTICO NÃO SOU JURÍDICO ESTUDEI APENAS ATE A 4º SERIE DO PRIMEIRO GRAU

    mais sobre este assunto que se refere ao impeachment na minha opinião nem os partidos nem a justiça ou qualquer outro puder publico deve ter o puder de realizar um impeachment.

    a justiça tem o dever de investigar e apresentar provas concretas e fazer os corruptos e os corruptores devolver todo dinheiro.
    só desta forma todos os políticos de qualquer partidos sem exceções seja eles senadores deputados ou qualquer um que faça parte de cargo de confiança nomeado pelo governo ou eleito pelo os eleitores pensaria duas vezes antes de ser corruptos

    com as provas concretas que ouve corrupção ou qualquer outro tipo de falcatrua envolvendo um presidente ou uma presidenta o TSE deveria se manifestar e realizar uma nova eleições para que os eleitores decidisse nas urnas se queria o impeachment ou não.

    na minha opinião só os eleitores deve decidir porque foi os eleitores quem elegeu então são eles quem deve tirar.

    ResponderExcluir
  3. isto é um assunto muito serio ( impeachment ) o TSE deveria fazer uma nova eleição e deixar os eleitores decidir nas urnas porque foi a traves do voto que a Dilma foi eleita.

    ResponderExcluir
  4. O TSE DEVERIA FAZER PRIMEIRO UMA PESQUISA AOS ELEITORES DESTE PAIS FALANDO SOBRE O IMPEACHMENT

    ResponderExcluir
  5. Estadão...Vinicius Neder 6 horas atrás

    Dívida da Petrobras com os bancos públicos deve chegar a R$ 79 bi

    Pimentel é vaiado nas comemorações do feriado de Tiradentes

    Justiça decreta nova prisão temporária de cunhada de Vaccari
    1 hora atrás.

    ResponderExcluir
  6. Não fiquemos iludidos de que se mudando a Presidenta do Brasil as coisas voltariam ao normal e a inflação baixaria, os juros cairiam, o desemprego cairia, a renda subiria,as comidas aumentariam, a corrupção seria dizimada, banida,os corruptos e corruptores fugiriam do Brasil e a política seria moralizada e os políticos se ajoelhariam pedindo perdão aos padres, bispos,pastores e a justiça brasileira.

    Ledo engano.O sociólogo Fernando Henrique Cardoso sabe que em seu governo os guelras eram os mesmos.Apenas mudaram de posição e de galho, de partido,mas a grande maioria dos ex-deputados, ex-governadores, ex-prefeitos, banqueiros, lobistas, doleiros, maus empresários, maus empreiteiros com raiva de FHC foram apoiar o Lula e a Dilma e se locupletaram dos recursos públicos com a mesma velocidade tal e qual também ocorreu entre 1994 a 2002.

    Esses são os parasitas dos serviços públicos que estão ao lado de quem vai ganhar as eleições.Quando tudo vai bem eles estão ao lado do poder e quando as coisas vão mal eles rapidinho passam a ficar contra e defender outros para continuarem mamando e sugando os pactos recursos públicos.

    FHC sabe que a justiça brasileira está certa. Sabe que o Paulo Roberto Costa, Pedro Balusco, Alberto Youssef e tantos outros estão detonando o PT porque é o partido que está no governo. E seria a mesma coisa se o PSDB estivesse no poder. Eles são os mesmos que vem atuando a no mínimo 25 anos do regime democrático,isto é, desde 1989.

    O maior exemplo deste país é que o Juíz Federal Dr. Gilmar Mendes que sempre serviu a DIREITA CONSERVADORA desde os governos de Sarney-Collor-Itamar e o próprio FHC tomar uma decisão de sentar em cima de ADIN (ação direta de inconstitucionalidade ) há um ano, proposta pelo ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL e que 6 dos JUIZES DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL já votaram a favor alegando ilegalidade todas as DOAÇÕES feitas por empresários aos partidos e aos políticos.

    Todo e qualquer Advogado que conhece a LEI ELEITORAL 9.504/97 e a LEI DAS LICITAÇÕES 8.666/93 sabe de cor que as doações fere frontalmente e é responsável pela corrupção braba entre o PODER PÚBLICO E O PODER PRIVADO.

    As empresas precisam ser preservadas, a punição tem que ser em cima dos diretores corruptos dessas empresas para saber que estão contribuindo para destruir os pilares da nossa frágil democracia.

    Acabar não, mas diminuir o grau de roubalheira é necessário sim.O que não pode e não deve é jogar em cima de apenas dois homens (FHC e Lula) a responsabilidade pelos desmandos quando o CONGRESSO NACIONAL composto de escadinhas mandam e desmandam nas contas públicas jogando no colo do Presidente as mordomias deles e dos amigos.

    ResponderExcluir