ALEPE

ALEPE
ALEPE

GOVERNO DO ESTADO

GOVERNO DO ESTADO
GOVERNO DE PERNAMBUCO - FUNDARPE

sexta-feira, 21 de junho de 2013

O PERIGO DE PARIR O OVO DA SERPENTE

Publicamos abaixo dois artigos densos, um deles um tanto longo. Mas a leitura deles é necessária para melhor compreensão do momento de efervescência que estamos vivendo no Brasil. O primeiro é assinado pela blogueira recifense Sulamita Estemiam  e o segundo é de autoria do experiente jornalista e escritor Homero Fonseca, ex-secretário de Imprensa da capital pernambucana.
CUIDADO COM A BRINCADEIRA VIRTUAL

 Celebração. A “vitória do povo na rua”, como enfatizou em nota o Movimento Passe Livre, em coletiva de imprensa em São Paulo. Afinal, a primeira das reivindicações, redução das tarifas dos transportes coletivos, foi alcançada em São Paulo, epicentro das manifestações, Rio, Recife e outras capitais.

A melhoria na qualidade dos serviços é pauta a ser perseguida, assim como a tarifa zero. Mas ver a juventude de volta às ruas, em todo os país, em si, ainda que não se tivesse ganhos e tão rapidamente, já seria motivo para celebrar.
Mesmo que, para além do foco central seja uma pauta difusa, confusa, retalhada e emendada – ao sabor de necessidades reais ou da orquestração midiática com claras intenções – confunda mais do que esclareça.
Ainda que a mobilização convocada via redes sociais, e portanto, sem lideranças aparentes, não seja nova, e surpreenda poderes constituídos e mídia aloprada. A juventude, afinal, tem-se mobilizado no mundo inteiro.
Não se pode ter medo da democracia, certo?
Entretanto, desde as primeiras manifestações, alguma coisa cheirava mal. E não era só a merda da violência policial. Ficou nítida a presença de infiltrados e caroneiros. Aqueles que apostam no tanto pior melhor, que não conseguem reunir duas dezenas de cansados contra isso ou aquilo.

Mais: confundiram apartidarismo com antipartidarismo. Livre manifestação com achacamento. Pedem paz e se valem da intolerância, da violência física, do vandalismo contra o patrimônio público, contra o direito de opção. 

Passam longe da democracia.

No Recife, uma bela manifestação, que começou com 50 mil pessoas e teria chegado a 100 mil, segundo a PM e a Secretaria de Defesa Social, correu aparentemente em paz. Aparentemente.
A exemplo do que aconteceu em São Paulo, no Rio, em Porto Alegre, em Belo Horizonte e em Floripa, dentre outras cidades, militantes de partidos de esquerda foram hostilizados, acuados. Alguns tiveram bandeiras e até camisas arrancadas, rasgadas, e outros foram espancados.
Um amigo, da Juventude Petista, traduziu o sentimento:
“Não levamos bandeira, porque, apesar de discordarmos, respeitamos o combinado na reunião da terça, que organizou o protesto. Mas vestimos vermelho, usamos os broches do partido – nós e outros militantes de esquerda. Fomos hostilizados, achincalhados. Uma menina do PCR foi esculhambada por um grupo, que gritava, “tira essa camisa, aqui não é lugar de partido”. Outro grupo nosso, já na entrada da Conde da Boa Vista, foi acuado por centenas de manifestantes. Houve empurra-empurra, troca de tapas. Um colega teve a camisa da CUT rasgada e arrancada do corpo. A grande ironia é que foram salvos pela polícia. Foi um horror.”
Enquanto isso, embora tenha chamado a militância para defender o legado do PT e de Dilma, a direção do partido nega que tenha convocado a #Onda Vermelha – aqui em Carta Capital. Fugir da raia é covardia, seu Ruy Falcão.

Outra amiga, militante dos movimento das bibliotecas comunitárias, desabafou sua frustração e espanto no chat do Facebook. Transcrevo o diálogo:
- Sula, vi cada coisa nessa manifestação…
- Conte tudo, não esconda nada.
- Só tinha a elite … e eu, ali, observando…
- Classe média, você quer dizer… E?
- É… a meninada querendo tirar foto para o FB.
- Tá, e daí?
- Nos anos 60, o protesto tinha gosto de luta e resistência. E no outro dia a luta continuava, com reuniões de pessoas organizadas, para analisar o resultado e ver o que se ia fazer daí em diante.
- E este, agora?
- Hoje vi que as pessoas estavam lá não pelo coletivo, para reivindicar direitos, mas para criticar o governo sem saber por que, ou só por interesses individuais, ou para extravasar alguma coisa que há dentro deles …
- E violência, você viu?
- Vi um policial ser esfaqueado, porque agiu contra alguns que queriam quebrar lojas …
- Que horror? Me disseram que um grupo de militantes de esquerda foi acuado, espancado e expulso da manifestação…
- Houve mesmo, eu vi. Fiquei chocada.
- Onde aconteceu?
- Depois da Boa Vista.
O Facebook está cheio de relatos, replicados no Twitter – aqui um exemplo do Recife; outro do Rio e outro e mais um de São Paulo.

É essa a democracia que queremos? Vamos botar o que no lugar?
Mobilização de rua não é brincadeira virtual. É jogo duro, pra valer. Ou como disse o ator José de Abreu, no Twitter, “a rua é uma parideira infiel: pode parir o ovo e a serpente”.
O BRASIL ESTÁ SE DESMILINGUINDO

O telefone tocou por volta das 2 da madrugada. Atendi meio assustado. Era Zé de Arruda. Não se desculpou pelo horário. Foi direto ao assunto.

- Dr. Fonseca, o Brasil está se desmilinguindo!

Percebi que estava “tocado”.

- Andou bebendo, Zé?

- Claro. Mas estou sóbrio. Escute.

- Que conversa é essa de o Brasil está se desmiliguindo?

- Força de expressão. Quando eu era menino, meu pai falava muito isso. Por qualquer coisinha. 

Fez uma pausa como quem arruma os pensamentos. Cogitei desligar e voltar a dormir, mas sabia que ele insistiria. Esperei. Não foi demorada a pausa.

- Você sabe a que me refiro, né?

- Aos últimos acontecimentos. Qual é o problema? Não é uma beleza o povo nas ruas? Nós não fomos em 68? Em 84? E em 92?

- Fomos. E também acho uma beleza o povo na rua. Aliás, povo, vírgula. A maioria são jovens de classe média. Tem uns garotos da periferia, também. Mas tem uma diferença...

- Claro...

- Você sabe tanto quanto eu que aqueles movimentos, bem ou mal, tinham propostas políticas, organização, direção, ideologia explícita. Dessa vez, começou com o lance das passagens em São Paulo, muito justo, e desembestou

Tentei ponderar algo de que não lembro, mas o homem estava impossível. 

- Desembestou numa parafernália reivindicatória dos diabos... Sabe o que quer dizer parafernália, né? Coleção de coisas usadas ou velhas, tralha. Vem do latim medieval “paraphernalia bona” ou seja, o enxoval que a noiva leva além do dote. Mas onde eu estava mesmo? Há, na parafernália reivindicatória. 

- Qual o mal disto?, consegui contrapor, mas o Zé me atropelou com uma avalanche verbal que reproduzo de memória, obviamente dispensando aquelas repetições, frases interrompidas, hesitações e entonações típicas da fala oral, mais ainda enunciadas por um sujeito que havia tomados umas e ligava às duas horas da madrugada. 
.
- Você pergunta qual o mal disto? Bem, não é que seja um mal propriamente. Mas, pra usar uma expressão da moda, a turma está perdendo o foco, mermão. Protestar contra tudo é o mesmo que protestar contra nada! E enquanto a moçada dispara pra tido canto é lado, a ala reacionária da sociedade entrou com tudo no movimento, com objetivo muito bem definido: concentrar fogo no atual governo. Estão pegando carona no movimento para tentar desestabilizar o governo e aplicar um golpe igualzinho como tentaram na Venezuela. O que a turma conservadora pretende é anular as conquistas sociais e retomar o controle absoluto do estado, que ela aparelhou durante 500 anos para gozar integralmente dos seus privilégios. Nos últimos anos, a direita brasileira foi tomada por uma obsessão: derrubar Lula (e por extensão Dilma) e recuperar suas posições no aparato estatal. Não que o PT tenha feito nenhuma revolução, pelo contrário, cedeu pra caralho. Mas o pouco que redistribui incomoda a elite mais egoísta, gulosa e intolerante do planeta. Muitos dos que protestam nas ruas e nas redes sociais se orgulham de serem “apolíticos” e de “não precisarem de líderes”. Lindamente utópico. E convenhamos que a qualidade das nossas representações políticas ajuda muito esse raciocínio. O resultado é essa mistura de reivindicações por profundas e genéricas mudanças sociais e por conquistas pontuais de grupos que se sentem discriminados, com razão, sem qualquer organicidade. Aí é onde mora o perigo, meu amigo. 

Enquanto os meninos e meninas sonham com um admirável mundo novo, a turma da direita é profissional. Profissional, dr. Fonseca. Profissional. Está impondo a palavra de ordem de derrubar o governo Dilma, a pretexto de combater a corrupção. Feito em 1964. Se brincar, transformarão as passeatas numa nova Marcha da Família com Deus, pela Propriedade e a Liberdade. Sem falar que muitos argumentos que estão sendo esgrimidos são repetições do que a Grande Imprensa vem martelando nesses anos todos. E nem se dão conta! Vi um vídeo em que um garoto histérico criticava a corrupção e a carga tributária, citando uma cifra de trilhões de reais, e, encerrando o comício, pedia o fim do governo. E tinha um bocado de gente compartilhando, reproduzindo, comentando que ficou arrepiada com o discurso nitidamente fascistoide. Noutro, de produção extremamente profissional – câmera, iluminação, enquadramento, cortes, caracterização, fundo infinito etc. – uma jovem lourinha, que se diz brasileira residente nos States, pede que se boicote a Copa das Confederações. 

A coisa é apresentada como um depoimento espontâneo, mas a atriz, digo, a loirinha, não tropeça numa única palavra. E sabe como termina o depoimento espontâneo? Com imagens e palavras de ordem contra o governo. Uma peça de guia eleitoral da mais alta competência. Reconheço que está aparecendo uma insatisfação difusa inesperada, sobretudo entre os jovens. Mas há uma insatisfação muito bem definida que está surfando no movimento: a insatisfação dos que não engolem o bolsa-família, a nova lei das empregadas domésticas, as cotas nas universidades, a presença dos pobres nos aeroportos, o neguinho andando de carro e atravancando o trânsito deles! E a violência? Hein? Penso que a violência começou com jovens deserdados, sem perspectivas, que têm muita raiva acumulada. Descarregaram toneladas de opressão que sempre carregaram nas costas em tudo que simboliza o mundo do qual sempre estiveram excluídos. O discurso utópico e fragmentado da moçada de classe média, cuja desilusão tem causas e efeitos bem diferentes, rejeitando a atividade política indiscriminadamente, abre uma brecha pra essas expressões ensandecidas, como as brigas de gangues na periferia, os combates entre as torcidas organizadas, o pau com a polícia nos bailes funk etc. etc. 

Quando perceberam o espaço aberto, os agentes provocadores entraram em ação. Essa gente é treinada, organizada e afoita. O tipo de gente que matou o padre Henrique, que matou a secretária da OAB no Rio e, por acidente, explodiu no próprio colo a bomba do Rio Centro, lembra? E a atuação da polícia militar em Sampa e no Rio? Posso estar enganado, mas parece coisa deliberada. Não digo que seja ordenada pelos altos comandos, sei lá, mas em algumas ocasiões, naquelas noites mais “quentes”, sugeria um padrão: baixar o cacete nos manifestantes, em circunstantes, em gente que bebia em bares, em mulheres e em jornalistas e estranhamente se omitir diante dos incendiários e saqueadores. Vi na internet o policial paulista vandalizando a própria viatura e depois seus companheiros mandarem bala de borracha em quem tava filmando a sacanagem da varanda de casa. Pode? E policiais fardados e à paisana atirando com fuzis e pistolas no Rio... Parece claro que há gente aí nas corporações agindo para instaurar o caos e desestabilizar, entende? Serei maluco? Mas os vídeos estão aí nas tais redes sociais. É só espiar. 

Talvez hajam malucos de extrema esquerda também querendo emerdar, na antiga ilusão de que o caos levará necessariamente a uma revolução. Não tenha dúvida, dr. Fonseca. Há um caldo de que cultura em que a reação tá trabalhando com afinco pra transformar um movimento legítimo num pretexto... você sabe pra quê. Já tem gente falando em chamar o Exército e li um depoimento, não consegui saber se era autêntico, de um general da reserva pregando abertamente uma intervenção militar. Tem um ovo de serpente sendo chocado por aí.

Ufa! Estou completamente desperto. Faço uma provocação ao filósofo da madrugada:

- Mas, ô Zé, numa democracia a direita também não tem direito (sem trocadilho) de se manifestar?

- Claro, dr. Fonseca. Até o limite de não ameaçar a própria democracia, e isso vale para a esquerda também. É um paradoxo, mas penso que é fácil de entender: na democracia, todos têm o direito de falar e agir, desde que não atentem diretamente contra a própria democracia. Mas me desviei. O problema é que a direita não ousa dizer seu nome. Também pudera! Num país de estrutura social iníqua... No caso das manifestações atuais, a direita está camuflada, pegando carona na insatisfação de boa parte da sociedade. O que eles querem é tomar o poder de qualquer jeito e reorganizar o pacto da corrupção de antes, tranquila, com percentuais bem negociados e os mesmos atores de sempre, pacto que o PT destrambelhadamente re-arranjou, ao invés de extinguir.

- Puxa, Zé. Hoje você está impossível. E extremamente alarmista. Pessimista. Apocalíptico. Realmente muita coisa que você diz é bem razoável. Pensando bem, existem os riscos que você aponta. Mas vejo outros aspectos. Depois disso tudo, a política brasileira não poderá mais ser a mesma, para o bem e para o mal. Espero que para o bem. Gostei bastante do discurso dos dois jovens representantes do Movimento Passe Livre no programa Roda Vida, apesar da atuação bisonha e capciosa da maioria dos jornalistas. Quem sabe eles não se tornaram portadores de uma nova espécie de liderança política e social, sem os vícios seculares de nossa atividade política? As redes sociais abriram um espaço de participação e sobretudo de expressão que as instituições tradicionais terão de levar em conta. Não é à toa que os políticos, em geral, estão mudos. Ninguém sabe muito bem o que fazer. A tal voz rouca das ruas está tirando o sono da cambada. Isso é bom. Espero que tirem as conclusões certas e mudem a relação patriarcal com o povo, inclusive os partidos ditos progressistas. A canção que vem das ruas pode estar anunciando um novo (bom) dia.

- Tomara! Oxalá!

E desligou. Não mais dormi, com os pensamentos divididos entre a esperança e o medo.

13 comentários:

  1. Quando a esquerda sociopata apanha nas ruas a culpa é da direita? Afinal, quem está no governo? Os marcianos? Roberto Almeida? A comadre fulôzinha? Ora, Roberto, a esquerda nacionalista junto com a direita idem, governam este país desde Getúluo Vargas, passando pelos milicos que nunca foram liberais. É preciso estudar história e não procurar fazer análise com chavões. O que incluiu muita gente na classe média foi a pequena liberdade oferecida ao nosso cerceado capitalismo por Fernando Henrique, que ademais é ainda quem sustenta o país. O resto é farofa. Rafael brasil, o eternamente chato de plantão. Ora, vão estudar história! Vão também ler o Sergio Buarque.Não o Chico, este não passa de mais um idiota político.

    ResponderExcluir
  2. UM ÓTIMO PARIDOR DE OVO DE SERPENTE É O PT QUE DESDE JANEIRO DE 2003 AO BOTAR O OVO, FAZ COMO A GALINHA E NÃO COMO A PATA... POIS BEM, VOCÊS JÁ NOTARAM, HÉIN?!?!?! EU, JÁ!!! TUDO QUE O PT TOCA, TRANSFORMA-SE EM DOBRO, TUDO QUE O PT TOCA, AUMENTA DE VOLUME!!! TOCOU NA INFLAÇÃO, VEJAM O QUE DEU; DEU UM TOQUE NA CORRUPÇÃO, AÍ SE ALASTROU NO ORGANISMO ESTATAL COMO ERVA DANINHA OU BATATINHA SE ESPARRAMANDO PELO CHÃO; TOCOU NA MENTIRA E A TRANSFORMOU NUMA INSTITUIÇÃO SAGRADA E VERGONHOSA; AGORA, ONDE O PT DO LULA E DA DILMA SE DEU BEM FOI QUANDO TOCOU NA MOBILIZAÇÃO DOS PETRALHAS PARA INFERNIZAR A VIDA DO GOVERNADOR CHUCHU GERALDO ALCKMIN QUE É DO PSDB DO AÉCIO E FORAM PRA RUA COM MEIA DÚZIA DE GATOS PINGADOS COM A CANALHADA DO MOVIMENTO DO PASSE LIVRE(MPL, BRAÇO TERRORISTA DO PT), AÍ, VEJAM O RESULTADO: ONTEM, EM MAIS DE DEZ CAPITAIS, MAIS DE HUM MILHÃO DE PESSOAS FORAM À RUA ENTOAR O CORO DO “FORA PT”, ESCORRAÇÁ-LOS E EXPULSÁ-LOS DA MANIFESTAÇÃO DE ONTEM NA AVENIDA PAULISTA. NA VERDADE, O PT É UM VERDADEIRO REI MIDAS... DO PARAGUAI...

    ResponderExcluir
  3. Rafael Brasil é um reacionario troglodita da direita fascista

    ResponderExcluir
  4. É importantes esclarecer aqui que tanto Homero, quanto Sulamita e este blogueiro não são petistas. Somos cidadãos brasileiros preocupados com o futuro deste país. Temos isso em comum e repudiamos a direita. Acredito que eles diriam comigo: ditadura nunca mais!

    ResponderExcluir
  5. Rei Midas do Paraguai... Só o barbudo Altamir Pinheiro pra ter uma ideia dessa. Mataste a pau mano! Tu és mesmo uma cabeça pensante e nas horas vagas um tremendo gozador. Valeu Pinheiro!

    ResponderExcluir
  6. É uma pena, mas no Brasil não tem direita, somente os larápios da esquerda mesmo.

    ResponderExcluir
  7. Esta discussão direita/esquerda está superada. “Será que estas pessoas que continua com o mesmo discurso” que elegeu Lula e Dilma, ainda não sabem que o "Muro caiu'? O povo está estudando, basta ver a quantidade de ônibus transportando estudante. O Pais está cheio faculdades, e estes frutos devem está chegando em breve.
    Entendo que esta juventude que estão na frente deste movimento de protesto, devem perceber que o grande inimigo destes políticos atuais é um povo culto e com consciência política, assim devemos continuar lutando pela educação, não se esquecendo da saúde e da segurança, mas sem violência, mostrando a todos, o País que queremos. Acho que seguindo este caminho, muitos políticos em 2014, vão "quebrar a cara". Espero ver esta juventude, que hoje já são os meus netos, tenham juízo, e continuem construindo um País digno para vocês mesmo e para as futuras gerações.
    José/Garanhuns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A discussão Direita/Esquerda está superada, porque no Brasil não existe mais direita, o que é a direita no Brasil? o PSDB que também é um partido de esquerda desde a sua origem. Ou seja a discussão hoje em dia é apenas entre, socialistas, trotskistas, marxistas, maoístas. Não existe direita no Brasil ha pelo menos 10 anos e é por isso que a corrupção se alastra pois onde o socialismo manda a corrupção generalizada se instala.

      Excluir
  8. '' A UNICA COISA QUE METE MEDO EM POLÍTICOS É O POVO NAS RUAS.''

    ResponderExcluir
  9. O que eu acho engraçado é que todo mundo posta mensagens aqui descendo o sarrafo no PT, até parece que antes não existia corrupção! Estou feliz que o PT tenha entrado, pelo menos agora a corrupção aflora e todos podem lutar por alguma causa...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O problema não é o PT ser corrupto,e sim ele ser fraudulento,me lembro bem do canalha do Zé dirceu nas inserçoes do partido na TV dizendo que o PT era o partido da ética na politica,muita gente acreditou e se encheu de esperança inclusive eu,que era torcedor do PT,acompanhava as eleiçoes pelo Brasil afora e via no PT o caminho para um pais mais justo,depois disso Lula tornou se presidente o povo foi à posse que parecia o final de um dos épicos do cinema,tudo mentira,fora a ampliaçao dos programas sociais,que diga se de passagem foi o que salvou muito nordestino da morte durante essa seca terrivel,não aconteceu mudança nenhuma.PS:não vou assinar, pois tenho vergonha de ter sido traido pelo PT.

      Excluir
  10. Considero que nenhuma ditadura é valida tanto de direita quanto de esquerda, e cada uma tem suas características, à direita quando estava no poder foi de um autoritarismo tremendo já a de esquerda que atualmente comanda o Brasil é silenciosa, mas em ambas há uma coisa em comum, a ânsia pelo PODER, e a busca incansável para tirar o melhor proveito da riqueza do País.
    É ridícula essa defesa por pessoas que todos já sabem de suas safadezas, votei e lutei em pró do ideal do ex-presidente Lulla, mas depois que abrir os olhos e conseguir vê que ele foi seduzido pelo poder e que nada mais quer além do poder e suas riquezas, o deixei, pois não sou nenhum fanático.
    Com isso não quero dizer que vou votar e lutar por velhos nomes da "direita", vou sim, procurar alguém que me faça acreditar num País melhor, como o Lula me fez acreditar um dia, porque a luta continua e pessoas acima do bem e do mal existem quando o assunto é o poder.

    Alvaro Galileu.

    ResponderExcluir
  11. Prof. Erivaldo Bento21 de junho de 2013 17:10

    Ao PT, se não teve um pingo de humildade de reconhecer os acertos do Governo anterior, caberá obrigatoriamente muita reflexão, embora os movimentos das ruas não sejam contra o PT. Mas, da mesma forma de quando surgiu o boato do fim do bolsa-família e Dilma culpou a oposição por lançar a boataria e toda confusão que depois foi comprovado ter sido um erro da própria Caixa Econômica, novamente o PT quererá culpar a oposição, a burguesia a classe média alta, etc, Coisas do PT. Esse partido está dominando o país há dez anos e o Brasil continua com os piores índices educacionais do mundo. Opa, esqueci, tudo isso é culpa da herança maldita. Às vezes quero sentir pena de Dilma, que verdadeiramente recebeu a máquina governamental falida e uma bomba para explodir em suas mãos, mas não pode abrir a boca para culpar a verdadeira herança maldita que recebeu. O mundo mudou não se pode querer que as manifestações sejam iguais aos outros momentos em que a juventude foi às ruas reivindicando o fim da Ditadura, os “caras pintadas” gritando “Fora Collor”. Não vemos ao contrário do passado surgimento de líderes quem subiam em postes ou algo parecido para gritar e discursar, porém acredito que novos líderes surgirão. Não serei eu, mas meus filhos que colherão os frutos desse momento histórico em que o Brasil está passando. Torço para uma mudança, não de governo, mas de postura do povo ao ir às urnas no próximo ano.
    Prof. Erivaldo Bento

    ResponderExcluir