Assembleia Legislativa

Assembleia Legislativa
Assembleia Legislativa

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

JARBAS VÊ EDUARDO COMO CANDIDATO

O senador e ex-governador de Pernambuco Jarbas Vanconcelos está certo de que o lançamento pelo ex-presidente Lula da candidatura da presidente Dilma Rousseff à reeleição, na noite da quarta-feira 20, durante a festa de comemoração de dez anos do PT no poder federal, terá como reflexo o lançamento de outra candidatura a presidente: a do governador de Pernambuco e presidente do PSB, Eduardo Campos. 

"Eduardo acaba de entrar em definitivo no jogo de 2014", disse Jarbas ao 247, em Brasília. "É irreversível. A única hipótese que existia para ele não concorrer seria a de ser candidato a vice do próprio Lula. Mas como o ex-presidente se colocou fora da disputa, quem vai entrar é ele". Dilma já definiu que seu companheiro de chapa será o vice-presidente Michel Temer, do PMDB. 

Integrante do PMDB sempre às turras com a cúpula partidária, Jarbas Vasconcellos é o princial interlocutor político de Eduardo Campos na região Nordeste. Ex-governador de Pernambuco, Jarbas tem influência sobre toda a faixa à esquerda de seu partido e de outras agremiações. "Só faltava essa definição para Eduardo fazer sua própria escolha. Lula, na prática, o está empurrando a concorrer contra Dilma". (Fonte: Pernambuco 247).

7 comentários:

  1. Esse cidadão, junto com Roberto Freire, faz parte no grupo de maiores traidores vivos da história republicana brasileira em especial a de Pernambuco. Seu argumento é mais uma mentira, pois como Lula poderia sair candidato a presidente em 2014, se Dilma ainda está no primeiro mandato e com todas as condições de vencer com tranquilidade as próximas eleições. Se o ex-presidente saísse candidato, enterraria a carreira política da nossa presidenta e isso não teria sentido nenhum. (Pelo facebook).

    ResponderExcluir
  2. PAULO CAMELO, COMENTA: A legislação eleitoral precisa mudar urgentemente, proibindo que Prefeito, isto é, ainda exercendo o mandato se candidate a Governador. Por analogia, que o governador exercendo o mandato se candidate a Presidente. Porquê o município, quer dizer a população, e/ou o estado sai perdendo, pois o que estamos assistindo de camarote é um governador que só pensa em enfrentar a presidente Dilma e arregimentar os Prefeitos, em prejuízo da administração do Estado e usando as prerrogativas e beneses de governador.
    Lembrando que as indústrias pararam de serem transferidas para Pernambuco, pois o espertalhão do governador queria quebrar os demais estados, trazendo-as para Pernambuco.

    ResponderExcluir
  3. Caro Roberval,você com certeza faz parte desses malucos que no passado dizia defender a Democracia,mas que hoje vai manifestasse contra YOANI SANCHEZ,que tem a corage de denunciar um sistemas ditatorial e tirano como o Cubano´,pois a forma como você se refere a Jarbas Vascocelos é no mínimo um estupro a, Historia do Politico serio comprometido com a ética moral, referencia Nacional comprometido com o que há de mais democrático no nosso País,na sua trajetória de homem publico não tem nada que ponha em duvida,sua trajetória.Por isso respeite Jarbas não seja leviano,atragnose da verdade,verme da esqueda copista, medíocre de pensamento.Você deve com certeza apreciar os Diceus,Jesuinos,Marcos Valerios.Você na verdade é ROBERVAL PT DA VIDA FILHO .fp. Assina Luciano Messias de Lima .

    ResponderExcluir
  4. Concordo plenamente com Roberval, esse ditador Jarbas Vasconcelos era inimigo de Eduardo, por que agora vive paparicando ele, será que o povo pernambucano merece ouvir de Jarbas quem ou qual é o candidato a presidente, deixe Dilma fazer a parte dela e esparamos o grande LULA se manifestar a quem devemos ou não votar. Não queram agora achar que os problemas do país se deram na gestão do PT, lembrem-se sempre que o pouco que melhoramos foi sim com o PT, apesar de erros existentes, porém quem não tiver algum erro que atire a primeira pedra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro anônimo,vamos lembrar um pouco o passado politico já que você propôs,Lula era inimigo de Sanei,de Ranan,de Maluf lembra e agora: deixe de meia coversa Eduardo precisou de Jarbas para eleger o atual prefeito de Recife tu tem duvida ou debiloide,Jarbas vai ter o apoio de Eduardo para reeleição de Senador ou Deputado federal ate porque a aliança pt e psb em Pernambuco já era,besta.

      Excluir
  5. Roberto Amaral

    O PSB e a sucessão presidencial

    A tarefa de hoje, como insiste Eduardo Campos, é em 2013 assegurar apoio à presidente. Discutir sucessão agora é um desserviço à democracia

    O PSB não nasceu hoje. Herdeiro das lutas sociais que construíram nossa história, surge em 1947 no bojo da esquerda democrática após a luta contra o Estado Novo.

    Em toda a República de 1946, lutou pelo socialismo e pela democracia: defendeu a posse de JK, seu governo desenvolvimentista e a posse de Jango; participou de seu gabinete parlamentarista com João Mangabeira, Hermes Lima e Evandro Lins e Silva; acolheu em seus quadros a saga de Francisco Julião e suas Ligas Camponesas; governou Recife com Pelópidas da Silveira; e presidiu a Petrobras com Francisco Mangabeira.

    Com o Ato Institucional número 2, foi para a resistência inorgânica. Muitos de seus líderes passaram a atuar na grande frente que seria o MDB, enquanto outros militantes buscaram outras formas de resistência. Todos, porém, participaram da guerra sem quartel contra a ditadura.

    Iniciada a transição para a democracia, logrou reorganizar-se em 1985. Foi uma longa e difícil caminhada. Fez oposição ao governo Sarney, denunciou a tortura em memorável programa de TV e atuou com destaque na constituinte. Defendeu o presidencialismo, o mandato de quatro anos, a penalização da tortura como crime inafiançável, o direito de greve, o turno de seis e a jornada de 40 horas, a unicidade sindical, a reforma agrária, o monopólio estatal do petróleo e dos minerais estratégicos.

    Em 1989, seria um dos fundadores da Frente Brasil Popular, que levou Lula ao segundo turno. Opositor ferrenho do governo Collor, teve atuação destacada no seu impeachment, por meio dos senadores Jamil Haddad e José Paulo Bisol, e de Evandro Lins e Silva, um dos advogados da sociedade contra o presidente infrator.

    Apoiou Lula em 1994 e 1998 e fez diuturna oposição aos governos FHC. Em 2002, lançou candidatura própria à Presidência para apoiar Lula no segundo turno, apoio que reiterou em 2006. Em 2010, alinhou-se desde cedo na campanha de Dilma Rousseff. Integra os governos de centro-esquerda desde seu primeiro dia.

    Os presidentes nacionais do PSB, antes de mim e de Eduardo Campos, são o testemunho de sua vocação: Antônio Houaiss, Jamil Haddad e Miguel Arraes. Deles colhemos um compromisso que estamos sabendo honrar.

    Sentimo-nos contribuintes nas vitórias eleitorais e corresponsáveis pelos governos de Lula e Dilma. Defendemos o aprofundamento das conquistas econômicas e a institucionalização dos avanços sociais.

    Com nossos justos anseios de crescimento e conquista do poder, defendemos a continuidade do projeto de centro-esquerda, comprometido com a emergência das massas, a criação e distribuição de riquezas, a defesa da soberania nacional, o desenvolvimento econômico e a cidadania. Este projeto não é mais nosso nem do PT e dos demais partidos que compunham a Frente Brasil Popular. Pertence hoje à sociedade brasileira.

    Esta história nos dá legitimidade para dizer que o PSB tem um espaço próprio na política brasileira. O partido é, do ponto de vista programático, político, ideológico, moral, histórico, existencial, contra tudo o que representa o neoliberalismo, como tese, e como experiência brasileira.

    A tarefa de hoje, como insiste Eduardo Campos, é vencer 2013 e nele assegurar à presidente Dilma o apoio político e social de que carece para vencer a crise agravada. Por isso, discutir sucessão presidencial, sejam quais forem as motivações, desde nobres, mas equivocadas, àquelas movidas pela pequena política, é um desserviço à democracia e ao país.

    Encurtar o mandato da presidente, como o faz o debate sobre sua sucessão, só pode render frutos a uma oposição anêmica, sem vigor, sem rumo, perdida em sua profunda e incurável mediocridade.

    ROBERTO AMARAL, 65, advogado e cientista político, é vice-presidente do Partido Socialista Brasileiro (PSB). Foi ministro da Ciência e Tecnologia (2003-2004, governo Lula)

    ResponderExcluir
  6. NO BLOG DE INALDO SAMPAIO,EM 27 DE FEVEREIRO DE 2013

    O conselho – Se ouvisse os conselhos de Jarbas Vasconcelos, Eduardo Campos romperia logo com o PT, com Lula e com Dilma e se declararia candidato a presidente da República. O senador acha que “esse PT” já deu o que tinha de dar ao governador.

    Se o Governador está querendo abrir uma dissidência política em Pernambuco e quer ser o candidato da direita conservadora,dos seus rivais inimigos e acha que será o Candidato do DEM,DO PSDB e o escambau,eu também aconselho que corra.

    Agora,saiba o Governador que,os ex-prefeitos de Pernambuco não estão satisfeitos com a derrota que tiveram nas últimas eleições quando o governador não foi visitá-los e na terra que ele pisou os seus candidatos perderam as eleições(Brejão,Palmeirina,Lajedo,Ipojuca,etc).

    Que enfrentará uma campanha dificílima e cheias de ingratições e traições de toda ordem, isto eu poço garantir a partir de hoje.

    Mesmo com os desníveis que cometeu e suas falhas ao deixar ser levado pela militância em lançá-lo candidato precomente, o Lula e Dilma ainda tem muita poeirada para mostrar a nação brasileira e principalmente com as duas maiores OBRAS DO NORDESTE, a TRANSPOSIÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO E A TRANSNORDESTINA,que se tevessem sido feitas pelos governos militares e seus subsequentes Civis, hoje, o nordestino não tava vendo o seu gado morrer de fome e sede.

    Retornando as chuvas, o governo abrirá uma linha de crédito e o gado retornar de outros estados e tudo voltará ao normal.Mas que o sertanejo e agrestino sabe do valor que faz a não conclusão das obras citadas acima, isto é uma verdade.

    Dr. Jarbas Vasconcelos,Sérgio Guerra e Marco Maciel juntamente com todos os demais Senadores do Nordeste foram covardes em reprovarem o CPMF negando a Saúde brasileira 40 bilhões anuais.Faltaram apenas 4 votos e nesse meio estavam os 3 senadores de Pernambuco.

    Dr. Jarbas ontem e onteontem nos ensinou a ter ódio,a chamar o governador de ladrão,espalhou panfletos com palavras de baixo clero e levou a família de Dr.Miguel Arraes a chorar.Tratou o servidor público com desdém,menosprezou e não deu nenhum tratamento aos Presidentes do PMDB em Pernambuco, destruiu o PMDB e não tem coragem de saír do Partido.É um traidor contumaz e foi eleito senador numa esquema cheio de corruptores, os quais, lhe deixaram no caminho da amargura e da tristeza.Dizem com quem andas que eu direi quem tu és.

    Os grandes filósofos precisam falar também.Obrigado, Roberto Almeida.Aqui não é Cuba,todos nós temos o direito sagrado de dizer a verdade!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir