SEBRAE

SEBRAE
SEBRAE

ALEPE

ALEPE
ALEPE

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

REFLEXÕES DE FINAL DE ANO

Dezembro termina e a renovação de esperança de dias melhores que este mês proporciona, continua forte nos primeiros dias de janeiro, afinal são muitos desejos de prosperidade que saem da boca da humanidade no período de fim de ano e isso é positivo, muito positivo.

Com a chegada do Natal, quem tem os pés fincados na verdade dessa Dádiva Divina, sabe o quanto é importante refletir sobre a vida, sobre as atitudes, sobre o que temos realizado de bem para nós e o próximo.

Geralmente, em 31 de dezembro, gosto de escrever para registrar o que estou sentindo, horas antes de conhecer um novo ano. Como muita gente, procuro pensar sempre em coisas boas, claro, mas não deixo de pensar também nas tristezas que marcam a humanidade. Mas, não vou citar aqui momentos difíceis deste ano, que aconteceram por este mundão afora, até porque quem faz questão de usar a memória, sabe muito bem o que tem entrado para a história do nosso planeta.

Estamos por terminar mais um ciclo, um calendário, e é tempo de recomeçar; desbravar novos caminhos, mesmo que sejam de pedras; rever lugares, conhecer novos; ver sonhos antigos (se preciso), mas não deixar de buscar novas aspirações. Às vezes, velhos sonhos não são mais tão almejados, e isso é compreensível; apenas os realmente especiais reforçam os novos sonhos.

É conveniente estar renovando o compromisso com a vida, para que viver sempre valha a pena. Se faltou ou falta alguma coisa, por que não tentar conquistar, ir em busca do que se quer.

Tudo tem seu tempo e não lamentar é um ótimo conselho para retomar a jornada.

Pessoas carregam consigo, dores e marcas que podem mudar seu comportamento. Algumas se tornam melancólicas, outras transbordam alegria e paz, porque sabem valorizar as novas oportunidades; não têm medo de abrir portas e enfrentar as adversidades da vida.

Alguém disse certa vez que todo caminho tem duas mãos, uma que seguimos ainda com passos inseguros, com receio, porque não sabemos ainda o que vamos encontrar lá na frente; o importante é que na volta, independente do que nos aconteça, pelo menos sabemos o que há no caminho.

Quando um dia resolvemos enfrentar nossos medos e refazer essa viagem, tornamo-nos mais fortes, mais firmes em nossos passos; saberemos, se quisermos, como chegar ao destino certo e dizer: valeu a pena recomeçar.

Precisamos estar prontos para reiniciar a caminhada. Algo nos espera, pé na estrada, sonho na cabeça, fé no coração e esperança, muita esperança na bagagem.

E lá vamos nós vivenciarmos cada dia do novo ano, fazendo o que devemos fazer principalmente como instrumento de Deus.
Há uma passagem bíblica que diz: “aquele que sabe que deve fazer o bem e não faz, nisso está o pecado”.
Veio à mente agora, a grande responsabilidade que todo ser humano tem de fazer sua vida valer à pena pelos seus atos, seja qual for a sua função na sociedade.
Que bom se cada político eleito por este Brasil afora, que fez tantas juras, durante sua campanha e até depois dela, tivesse a dignidade de realizar pelo menos as promessas “possíveis”, para que cada município, cada estado, cada região, melhorasse a qualidade de vida de seus habitantes.
Colocar a cabecinha no travesseiro para dormir sem antes pedir com sinceridade forças ao Criador, para não cometer o pecado da omissão é uma prova de temor a Deus, amor ao próximo, caráter, justiça, sinceridade desinteressada, autoconsciência da vontade, enfim, tudo que nos faça cumprir as regras adequadas de conduta para que o que façamos tenha sempre a aprovação de Deus.
Bom, antes que essas reflexões incomodem e até se tornem chatas, pensemos, portanto, em 2013, mais um ano em que o tempo está prestes a conceber.
Como a chegada de um novo ano é comum restabelecer a esperança, brindemos, pois, com esse tônico que ganha um princípio ativo maior em dezembro, mês distinto de todos os outros.
Feliz Ano Novo!
Fiquem todos com Deus! (Do professor, poeta e teatrólogo Carlos Janduy).

Um comentário:


  1. Que venha 2013

    E o mundo não acabou. Em que pese todas as previsões apocalípticas propagadas por seguidores de algumas seitas e de alguns “estudiosos” da cultura Maia, o mundo não acabou e ainda segue seu curso.

    É impossível evitar! Neste último dia do ano paramos para refletir sobre um ciclo que se encerra e o outro que está se iniciando. O clima que domina este momento é único. Com sua magia nos traz paz, alegria, amor, plenitude... Nesta época o ser humano se diviniza e a sensibilidade toma conta da gente no grau mais elevado da alma. É comum cumprimentarmos os amigos e desejarmos um feliz ano novo. Este é um sentimento que toma conta de todos nós. O fato é que tudo fica mais fraterno. São manifestações que refletem diretamente sentimentos motivados pela esperança de um ano melhor. E o ano será bem melhor se trabalharmos duro e corrermos em busca dos objetivos. Só assi m as coisas acontecem.

    Espero conseguir colocar em prática pelo menos parte dos planos que tracei. Digo isso porque sei que provavelmente não conseguirei realizar tudo que pretendo. Às vezes as coisas fogem ao nosso controle e a vida nos leva para caminhos diferentes dos que imaginávamos. Vale ressaltar que muitas vezes nós mesmos mudamos o pensamento e construímos outros objetivos, abandonando o que havíamos planejado. Portanto, espero que em 2013 possa renovar minhas energias, minhas esperanças e ampliar minhas amizades. Se, por algum motivo, precisar dar alguns passos para trás, que seja para depois caminhar o dobro pra frente.

    Portanto, reforme caminhos, encurte distâncias, recomece todo dia e só assim pouco importará se o mundo acabar, se você fica ou se vai, pois você deu sentido à sua existência. É isso que realmente importa em nossa passagem por aqui!

    O ano termina e começa outra vez.

    A todos um Feliz Ano Novo!



    SAMUEL SALGADO.

    ResponderExcluir