SECRETARIA DE SAÚDE DO ESTADO

ASSASSINATO DE JOANA PODE FICAR SEM SOLUÇÃO

A professora Eliane Simões Vilar, responsável pela Coordenadoria da Mulher em Garanhuns, confessa estar triste e frustrada porque as polícias de Pernambuco, apesar de todos os esforços, ainda não conseguiram solucionar o assassinato da menor Joana Beatriz. Ela revela que tem acompanhado tudo, juntamente com a mãe da vítima, Dona Antônia e sete suspeitos investigados foram descartados por falta de provas.

Nesta quinta-feira, dia 17, foi realizada uma reunião na Coordenadoria da Mulher para discutir o assunto e foi levantada a hipótese do crime ter sido praticado por pessoas de fora, já que ocorreu no período do Festival de Inverno. "Temo que fique sem solução, mesmo estando na lista de prioridade da Secretaria de Defesa Social. É muito triste", desabafou Eliane.

No próximo dia 23 completam três meses do desaparecimento de Joana. No dia seguinte ela foi encontrada morta nas proximidades da Vila Lacerdópolis. Foi estuprada e enforcada. Tinha apenas 13 anos.

12 comentários:

  1. Marcelo José Costa Gomes18 de outubro de 2013 11:45

    NÃO ADIANTA SÓ LÊ, NÃO ADIANTA SÓ TOMAR CONHECIMENTO DO CRIME, FICAR CHOCADO, CALAR ,ACEITAR E ESQUECER. TODOS NÓS FOMOS ATINGIDOS, TODOS NÓS SOMOS VITIMAS, TODOS NÓS DEVEMOS COBRAR JUSTIÇA E JAMAIS ACEITAR ESSA VIOLÊNCIA DESENFREADA QUE VEM TOMANDO CONTA DE NOSSA CIDADE.SERÁ QUE VAMOS ESPERAR QUE ACONTEÇA COM NOSSOS FILHOS PARA PODER ACORDARMOS E NOS MOBILIZARMOS, SERÁ QUE NOS ACHAMOS SEGUROS O SUFICIENTE PARA QUE ISSO NUNCA ACONTEÇA CONOSCO,SERÁ QUE VIVEMOS EM UMA REDOMA E COM ISSO NOS TORNAMOS MAIS SEGUROS E INDIFERENTES PARA QUEM ESTÁ FORA DELA.VAMOS ACORDAR ENQUANTO HÁ TEMPO, ENQUANTO SE PODE FAZER ALGUMA COISA POIS SE ACEITARMOS CALADOS ESTAREMOS CONTRIBUINDO PARA O DESCASO A IMPUNIDADE E A CUMPLICIDADE. SE NÓS SOUBSESEMOS A FORÇA QUE TEMOS QUANDO NOS UNIMOS EM PROL DE UM BEM COMUM, ESSE TIPO DE COISA JAMAIS ACONTECERIA. PRECISAMOS FALAR A MESMA LÍNGUA, LUTAR PELAS MESMAS COISAS, NOS UNIRMOS COM OS ÓRGÃOS PÚBLICOS E AJUDAR, COM INFORMAÇÕES QUE POSSAM LEVAR A CADEIA ESSES ASSASSINOS, DEVEMOS NÓS MESMOS NOS PREOCUPARMOS UNS COM OS OUTROS E SAÍMOS DESSA REDOMA EM QUE VIVEMOS E CONSTRUIRMOS UM REDOMA PARA TODOS DEIXANDO A VIOLÊNCIA A INDIVIDUALIDADE EO DESCASO DO LADO DE FORA.

    ResponderExcluir
  2. Érika Renata Alves18 de outubro de 2013 11:46

    Para tudo deve haver uma solução,agora quando não se tem vontade generalizada de justiça ,ocorre o inverso.Fico muito feliz em saber que você,não esquece a morte dessa menina,que muito nos chocou,parabéns pelo profissional humano,que valoriza o juiz e a menina da periferia.Bjs na tua alma doce,te admiro,desde o dia que te conheci,uma menina como a Joana,que ganhou um concurso de cronica,no jornal do Roberto Almeida!BJS NA ALMA,delicamente,Érika

    ResponderExcluir
  3. Se ela fosse uma promotora , em três dias tava tudo solucionado!

    ResponderExcluir
  4. Se fosse uma promotora com certeza titio Dudu já tinha solucionado. Verdade seja dita nesse mundo o "PRÉ" NOME tem grande efeito e comoção publica, pois a vida do cidadão normal que é contribuinte aos cofres públicos não tem valor algum, mas basta vestir a capa de doutor, excelentíssimo que a coisa muda de figura. Nós brasileiros somos todos hipocrisias.

    ResponderExcluir
  5. Falaram tudo, PAÍS DESMORALIZADO SÓ TEM VALOR QUEM EM DINHEIRO E OU FAMA.

    ResponderExcluir
  6. Jota Jc Parada Net18 de outubro de 2013 16:05

    FICA DIFÍCIL FALAR NA JUSTIÇA BRASILEIRA EU ACHO QUE A CADA 100 HOMICÍDIOS, SÃO PRESOS 02 CULPADO E ISSO PORQUE 01 SE ENTREGA ...MAIS REALMENTE NÃO SE TEM EXPLICAÇÃO SE É FALTA DE EMPENHO OU LINHAS CONTUBARTES .

    ResponderExcluir
  7. Em um pais quer ser falar justiça e para todos pura mentira hipocrisia Brasil um pais em quer ajustiça e pra pouco

    ResponderExcluir
  8. justiça dois pesos duas medidas.

    ResponderExcluir
  9. este e um pais desmoralizado tenho vergonha de dizer sou brasileiro

    ResponderExcluir
  10. José Fernandes Costa19 de outubro de 2013 00:08

    Em 14.8.1873 o desembargador Pontes Visgueiro, então com 60 anos, conquistou, com dinheiro, Maria da Conceição, uma criança de 15 anos, que fora mandada à prostituição, pela própria mãe. Dois anos depois, movido por um ciúme doentio, Visgueiro assassinou, de forma cruel, a jovem Maria. Esta com 17 anos e ele com 62. Aquele bárbaro homicídio chocou a cidade de São Luís - Maranhão -, onde a tragédia ocorreu. - Pois bem: nove meses depois os autos estavam conclusos e Visgueiro foi julgado pelo Supremo Tribunal de Justiça, no Rio de Janeiro. Foi condenado à prisão perpétua e prestação de trabalho. O regime era monárquico. E havia pena de morte, pena de galés e prisão perpétua, além de outras. Pelo fato de o réu ter mais de 60 anos, a penalidade ficou só em prisão perpétua. Em 13 de maio de 1874 o acórdão foi publicado e Pontes Visgueiro foi recolhido à cadeia, no Rio. A defesa requereu que ele fosse cumprir a pena em São Luís. O tribunal negou o pedido. Pontes perdeu o cargo de desembargador. Nada obstante ser o réu desembargador, foi julgado e condenado rapidamente. Isto é, nove meses após cometer um crime infame, o desembargador estava na cadeia. - A penalidade inicial foi mais severa. Mas, um pedido do defensor obteve provimento parcial. Com isso, a pena foi reduzida porque o autor do homicídio tinha mais de 60 anos de idade. - Prevaleceu só a prisão perpétua. - Assim, na nossa República, que nasceu em 1891, a legislação se "aperfeiçoou" na busca de privilégios. Estamos andando para trás, ao longo dos anos. Hoje não é fácil condenar nem um pé-rapado. Imaginem se o criminoso for juiz ou equivalentes. - Ainda mais com penas rígidas assim que foram imposta a Pontes.- Notem que Maria da Conceição era uma criança muito pobre. Mas nada disso impediu que um figurão que cometeu um crime vil e brutal, com requintes de extrema crueldade, fosse condenado e recolhido à cadeia. - E hoje?- Qual será o juiz que vai julgar o matador hediondo de Joana Beatriz??/.

    ResponderExcluir
  11. José Fernandes, você escrevendo sobre fatos históricos não se apresenta com seus conceitos retrógados. Continua assim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. José Fernandes Costa19 de outubro de 2013 14:34

      Muito agradecido, meu caro ou minha cara, que fez referências a mim, às 10h29. - Reconheço que às vezes extrapolo nos meus conceitos e nas minhas crenças!! - Mas, cada cabeça é um juízo. - Por isso mesmo, ACEITO, de muito bom grado, a sua sugestão. - Só não gosto, quando pessoas sem argumentos tentam me desqualificar. Quando isso acontece, eu revido. - Mas, ESSE NÃO é o seu caso. - OBRIGADO./.

      Excluir