ALEPE

ALEPE
ALEPE

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

JOÃO DO POVO E JOÃO TRAIDOR

João Paulo foi prefeito do Recife durante oito anos. Chegou à prefeitura conseguindo o que muitos consideravam impossível: derrotando Roberto Magalhães, seu antecessor, político sério e bem avaliado pela população da capital como gestor. Mas o João, ao sentar na cadeira que fora de Pelópidas Silveira e Miguel Arraes, se tornou um fenômeno de popularidade. Um morador da Veneza Brasileira confessou ao repórter: “Moro aqui há quase 50 anos e João Paulo foi o melhor prefeito que o Recife teve desde que estou aqui”. Deve ter expressado o sentimento de muitos. Na eleição de 2008 o petista pegou um poste pequeno, de cara enjoada, natural da minúscula Angelim e o fez seu sucessor. Prestígio assim só o do Lula que elegeu uma mulher em 2010. O novo gestor, no entanto, cedo se revelou um traidor e péssimo administrador. Hoje, o Recife inteiro quer lhe ver pelas costas. O próprio PT dá sinais de querer ver-se livre dele. A última pesquisa do IBOPE mostra o caminho das pedras (ou dos Joões): João Paulo tem 47% das intenções de voto, João da Costa 16%, o ex-governador Mendonça Filho 9%, Raul Henry 5%, Daniel Coelho 4% e Raul Jungmann 3%.. Traduzindo esses números: o recifense deseja o João do Povo de volta e quer o João Traidor na quinta dos infernos. Quanto aos outros pré-candidatos, são meros figurantes, destinados a perder mais uma vez.

ESCLARECIMENTO - As postagens populares deste blog não são definidas pelo editor. São definidas pelos leitores. Toda vez que um post é muito lido e comentado automaticamente o Google o seleciona para a relação de "postagens populares".

3 comentários:

  1. João da Bosta deu uma entrevista ontem, dizendo que iria procurar João Paulo, para pedir que ele o apoiasse. Pode uma coisa dessa? Acho que foi a piada do dia...

    ResponderExcluir
  2. Fora João da Costa!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  3. Os efeitos da reeleição em todo o país tem construído vários monstros na nossa política.


    Praticamente todos os prefeitos têm brigados com os vice e os antecessores.

    Assim que um prefeito é eleito por mais amigo que ele seja com o que lhe deu apoio, imediatamente há um afastamento provocado pela base que procura a todo custo criar uma série de fofocas.

    Os custos da campanha tem sido também um dos fatores que tem levado muitos prefeitos e ex-prefeitos a brigaram reciprocamente.

    Você blogueiro e leitor faça um exame de consciência em sua cidade e veja qual ou quais motivos acontecem as brigas.

    Os apoios se dão em cima de um custo muito alto.Muitos prometem o céu e o mundo, juram com os pés no chão, outros falam uma série de bobagem em praça pública, outros traem os próprios parentes, jogam uns contra os outros, a fofoca é pura drenalina, cabos eleitorais matam e desmatam, jogam os próprios amigos uns contra os outros numa verdadeira falta de vergonha e ressentimento e por que não dizer, falta de amor ao próximo e a Deus.

    As brigas com o instituto da reeleição foi escapachante e desnorteante também.

    Professor Zeca Barbosa ( Lagoa do Ouro-PE).

    ResponderExcluir