SEBRAE

SEBRAE
SEBRAE

terça-feira, 18 de outubro de 2011

MONSTRO DE LAJEDO MATA EX-ESPOSA E TRÊS CRIANÇAS

O ex-presidiário Luiz Lopes da Silva Neto (foto), 41, morador de Lajedo, matou na madrugada desta terça-feira a ex-esposa, Rosilene Hermínia da Silva, 32 e mais três crianças. Segundo a polícia ele foi a casa da ex-companheira entregar o dinheiro da pensão de sua filha, discutiu com a mulher e se transformou num monstro. Assassinou Rosilene a golpes de facão, estuprou a filha Fernanda Lopes, de apenas 8 anos, estrangulou a menina e depois afogou numa bacia Keliene Ferreira, de 3 anos e João Vítor, de 1 ano.

Os corpos e a tragédia só foram descobertos pela manhã quando o pintor Edvaldo Silva, irmão de Rosilene, passou na casa para levar as crianças até a creche da cidade. Luiz está foragido e a polícia está convencida de que ele é o autor dos crimes hediondos.

Qualquer informação sobre o paradeiro do assassino pode ser informado à delegacia de Lajedo ou através do Disk Denuncia - (87) 3773-4730 ou 190. A pessoa que ligar não precisa se identificar.

A notícia foi dada em primeira mão hoje pela Rádio Jornal, na Ronda Policial e imediatamente ganhou destaque nacional. Está no site do Jornal do Commercio, no Blog Capoeiras, sendo o assunto mais comentado desta terça-feira. A brutalidade e covardia do ato chocaram e deixaram consternados os moradores da região.

4 comentários:

  1. Sem prejulgamento. - Mas seria quase impossível supor que o autor de tais crimes tenha sido outra pessoa, que não o Luiz Lopes. - Essa hediondez, seja quem for o agente, só seria diminuída se assassinassem o autor, bem vagarosamente. Por exemplo: arrancar um pedacinho do corpo dele, a cada dia, durante uns 60 dias. Isto é, se ele resistisse aos 60 dias. - Isso para ele saber por que estaria morrendo. - NÃO adiantaria esperar pelas nossas leis, tampouco pela nossa Justiça. - Também, alegar que os crimes hediondos são inafiançáveis e imprescritíveis, de nada resolveria. Além disso, por ter sido praticado contra cônjuge e descendentes, além de outros meios de execução, a pena tem vários agravantes. - E também, qualificadoras. Ainda assim, seria de bom senso confiar no nosso Sistema Carcerário e no cumprimento da lei? - E o que dizer da nossa Justiça? - Então, mesmo sabendo-se que NADA traz de volta os mortos, reputo que a vindita privada, por parte dos familiares das vítimas, seria o melhor remédio para esse mal./.

    ResponderExcluir
  2. O número acima (87) 3773-4730, não corresponde ao número da Polícia Civil de Lajedo, pois foi desativado há cerca de três anos. O atual telefone é o 87 3773-4909.

    ResponderExcluir
  3. Roberto,
    Pela manchete pensei ser o Antonio Joao.
    Paulo Carneiro

    ResponderExcluir
  4. Fico pensando nessas crianças a menina que foi estuprada e morta, os outros dois que ele afogou, os menores inocentes sem saber nem o que estava acontecendo e que para esse ser abominável não há pena suficiente para fazê-lo pagar pelos seus crimes. Fico me perguntando a meu Deus porque acontecem coisa assim...

    ResponderExcluir