ALEPE

ALEPE
ALEPE

sábado, 15 de outubro de 2011

CARLOS DRUMMOND - ESCRITORES BRASILEIROS 14º

Carlos Drummond de Andrade escreveu contos, crônicas e sobretudo poesia. Tinha um jeito meio sisudo, seco, mas por trás do tipo circunspeto e pessimista com certeza se escondia um grande coração humano.

Itabira foi a cidade que deu ao mundo e ao Brasil o poeta maior. Estaria presente em todos os dias da sua vida. “Mas como dói”, registraria em versos dos mais conhecidos.

O escritor mineiro fez os primeiros estudos na terra natal e em Belo Horizonte, tendo depois sido interno no Colégio Anchieta, em Nova Friburgo. Deste educandário foi expulso, em 1919, por conta de um incidente com o professor. Tinha apenas 17 anos de idade e muito a aprender, a ensinar... Já o mestre deste incidente, a maioria dos biógrafos não se interessou ao menos em lhe guardar o nome.

Drummond virou funcionário público em 1929, como servidor passou a morar no Rio de Janeiro na década de 30 e foi editor de um jornal comunista em 1945, convidado por Luís Carlos Prestes. A partir dos anos 50, se voltou todo para a literatura e a poesia.

Escreveu centenas de crônicas publicadas nos principais jornais do país e derramou sua poesia pelo mundo. Encantando, surpreendendo, formando gerações de novos leitores.

Carlos Drummond de Andrade foi pós-modernista. O livro “Alguma Poesia”, de 1930, já marca uma guinada com relação aos rumos do movimento de 1922. Seu texto na prosa e mesmo na poesia se caracteriza pela riqueza da linguagem, impregnado pelo senso do humor.

Escrevia textos densos, profundos, cheios de significados, a partir de temas simples do dia a dia. A ironia e o sarcasmo estariam presentes em obras Alguma Poesia e Brejo das Almas.

Canta a solidão de um mundo mecânico e frio, expressa a decepção e a falta de perspectivas causadas pela guerra, registra o sofrimento e a solidariedade do ser humano brasileiro e universal. Esses sentimentos estariam presentes em Sentimento do Mundo, José, e A Rosa do Povo.

Carlos Drummond se preocupa com as questões metafísicas, a busca do real e enfatiza a linguagem nominal e os aspectos visuais e sonoros em livros como Claro Enigma e Lição de Coisas.

Alvo de admiração irrestrita, tanto pela obra quanto pelo seu comportamento como escritor, Carlos Drummond de Andrade morreu no Rio de Janeiro RJ, no dia 17 de agosto de 1987, poucos dias após a morte de sua filha única, a cronista Maria Julieta Drummond de Andrade.

Abaixo, dois poemas curtos que mostram a genialidade de Drummond. No primeiro uma reflexão sobre o professor. No segundo, o poeta destaca a importância do amor na vida das pessoas.

O PROFESSOR...

O professor disserta sobre ponto difícil do programa.
Um aluno dorme,
Cansado das canseiras desta vida.
O professor vai sacudí-lo?
Vai repreendê-lo?
Não.
O rofessor baixa a voz,
Com medo de acordá-lo."

NÃO DEIXE O AMOR PASSAR

Quando encontrar alguém e esse alguém fizer seu coração parar de funcionar por alguns segundos, preste atenção: pode ser a pessoa mais importante da sua vida.
Se os olhares se cruzarem e, neste momento,houver o mesmo brilho intenso entre eles, fique alerta: pode ser a pessoa que você está esperando desde o dia em que nasceu.
Se o toque dos lábios for intenso, se o beijo for apaixonante, e os olhos se encherem d’água neste momento, perceba: existe algo mágico entre vocês.
Se o primeiro e o último pensamento do seu dia for essa pessoa, se a vontade de ficar juntos chegar a apertar o coração, agradeça: Deus te mandou um presente: O Amor.

Por isso, preste atenção nos sinais - não deixe que as loucuras do dia-a-dia o deixem cego para a melhor coisa da vida: O AMOR.

Um comentário:

  1. No dia do Professor não existe coisa mais bela que você lê uma estrofe do grande mestre, Carlos Drumond de Andrade, o qual, serviu de bússola para os meus momentos de reflexão em busca do saber,do conhecimento e do verdadeiro amor que todoos os jovens aspiram e desejam na vida.

    Foi muito bom e continua sendo ler as grandes lições dos grandes mestres da Literatura brasileira.

    Parabéns, Roberto Almeida, por nos trazer informações úteis e agradáveis.

    Zeca Barbosa ( Professor Zeca Barbosa).
    Lagoa do Ouro-PE.

    ResponderExcluir