quinta-feira, 29 de setembro de 2011

GOVERNO TENTA CENSURAR GISELE BÜNDCHEN

A Secretaria de Políticas para Mulheres do Governo Federal pediu ao Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária) a suspensão do campanha publicitária "Hope ensina", que traz a modelo Gisele Bündchen mostrando a "melhor maneira" de contar más notícias ao marido.

Primeiro, Gisele aparece usando roupas normais para falar, por exemplo, que bateu o carro. A estratégia é classificada como "errada" e em seguida a forma "correta" é mostrada: a modelo repete a notícia, usando apenas lingerie. "Você é brasileira, use seu charme", conclui a peça publicitária, que está no ar desde o último dia 20.

A secretaria afirmou que recebeu, por meio da ouvidoria, diversas manifestações de indignação contra a peça. Foram enviados dois ofícios --um ao Conar, pedindo a suspensão da propaganda, e outro ao diretor da Hope Lingerie, Sylvio Korytowski, manifestando repúdio à campanha.

Para a secretaria, "a propaganda promove o reforço do estereótipo equivocado da mulher como objeto sexual de seu marido e ignora os grande avanços que temos alcançado para desconstruir práticas e pensamentos sexistas".

A Secretaria de Políticas para Mulheres também diz acreditar que o comercial reforça a discriminação contra a mulher, o que infringe a Constituição Federal.

RESPOSTA - Em resposta encaminhada à secretaria, a Hope informa que o objetivo da campanha é "mostrar, de forma bem-humorada, que a sensualidade natural da mulher brasileira, reconhecida mundialmente, pode ser uma arma eficaz no momento de dar uma má notícia".

A empresa nega que tenha tido intenção de parecer "sexista". "Bater o carro, extrapolar nas compras ou ter que receber uma nova pessoa em sua casa por tempo indeterminado são fatos desagradáveis que podem acontecer na vida de qualquer casal, seja o agente da ação homem ou mulher."
A nota da empresa diz ainda que a escolha de Gisele, brasileira bem sucedida internacionalmente, foi "exatamente para evitar que fôssemos analisados sob o viés da subserviência ou dependência financeira da mulher".

A assessoria da empresa diz que a campanha será mantida no ar e que a Hope está em contato com o governo para esclarecer as polêmicas levantadas. (Fonte: Portal UOL).

5 comentários:

  1. Gisele é uma mulher multimilionária – mais do que isto, ela teria como até comprar os lucros de uma empresa de cartão de crédito.

    Infelizmente nas propagandas que anda fazendo mostra uma pessoa dependente do maridão. Além disto, a campanha da HOPE faz um slogan duvidoso e que retrata a mulher de forma depreciativa.
    Usar o poder feminino é usar lingerie e fazer voz e jeito infantilizado? E ainda de forma “educativa” nos ensinar como agir para seduzir o marido ou que não sejamos punidas pelo que fazemos de “errado”?! Será que a mulher é tão burra para que até pra seduzir alguém precise de uma propaganda estúpida pra ser instruída???

    Gisele tão milionária, que todos falam com orgulho de uma brasileira ter conquistado o mundo, da sua beleza, mas que anda decepcionando a luta feminina e do Brasil com campanhas duvidosas como esta. Se ela aceita fazer estes comerciais de bom grado fico imaginando quais seriam os que ela recusa???

    ResponderExcluir
  2. José Fernandes Costa29 de setembro de 2011 23:27

    Avisa a secretária da MULHER que na próxima peça a Gisele vem EM PÊLO. Ou mesmo SEM PELOS! DEPILADINHA DA SILVA./.

    ResponderExcluir
  3. Dói-me entrar como presunto da Perdigão entre uma feminista extrema e um machista contumaz. Mas, não tem jeito. Eu vi o anúncio e não me senti ofendida nenhum pouco. Minto, me senti quando vi o corpo da Gisele. Que inveja. Será que a mulher do PT sentiu isto também? Brasileiros e brasileiras, ser feminista é uma coisa e apelar para que a mulher se transforme em homem é outra.

    Então a Gisele só deveria aceitar fazer comerciais se aparecesse como aquelas mulheres que apareciam antigamente na propaganda da extinta União Soviética, de macacão e empunhando uma foice e um martelo. Me poupem, mulheres petistas. Isto é um absurdo. Vou citar um homem que já me deu muito raiva e inveja quando eu pensava assim. “As feias que me perdoem, mas a beleza é fundamental”. Hoje, com o passar dos anos e uns quilinhos a mais, tento enganar a mim mesma dizendo que tem homem que gosta. Mas, não posso enganar os outros.

    Agora me digam, isto é um caso para o governo meter o bedelho? É um bando de desocupado. Pois existem tantos ministérios que não há nada para fazer em alguns deles e precisam aparecer. É o mesmo caso do grupo de amigos gays que se juntam para pedir a criminalização da homofobia, enquanto querem descriminalizar a maconha. É coisa de desocupado, que é o que mais existe neste governo.

    E ainda por cima temos que aguentar piadinhas de machistas, que só pensam em mulher pelada. Me poupem e deixem a Gisele trabalhar. Querendo ou não ela não é representativa da mulher brasileira, pois é bonita e faz seu trabalho com eficiência sem precisar de ajuda deste governo que parou de fazer a faxina, porque viu que ela ficaria pesada. Gente, como esta secretária gosta mesmo é da Vilma, minha faxineira, que recebe o bolsa família e se ajoelha e reza quando ouve falar o nome de Lula.

    Lucinha Peixoto (Blog da Lucinha Peixoto)

    ResponderExcluir
  4. José Fernandes Costa30 de setembro de 2011 15:49

    SEMPRE FUI DEFENSOR DOS DIREITOS DAS MULHERES! - E RECONHEÇO QUE AS MULHERES PETISTAS SÃO BEM MAIS BONITAS DO QUE essa desmiolada que fez o terceiro comentário. - Ainda mais, a desmiolada é FEIA que dói. Por isso, NEM pode fazer publicidade de lingerie. - Mulher feia pra dar notícia ruim tem que ser gaguejando ou chorando. - Porque, se aparecer de lingerie, espanta o companheiro. - Mas a Gisele, BONITA QUE SÓ E INDEPENDENTE ECONOMICAMENTE, É DONA DO SEU NARIZ. - E FAZ O QUE BEM QUEIRA, NA SUA PROFISSÃO. - NÃO está desvalorizando NENHUMA MULHER. - ESTÁ TRABALHANDO COM MUITO CHARME./.

    ResponderExcluir
  5. Claro que a reacionária Peixoto não sentiu e não achou nada demais na propaganda. Conservadora do jeito que é realmente não vê nada demais.
    A mulher não precisa se tornar homem a propaganda da HOPE poderia por exemplo usar a propaganda da lingerie usando algo mais sensual sem ser discriminatório... como uma dança de strip tease ou outras formas de lidar com a sensualidade... afinal a sensualidade está a flor da pele basta cada um ter domínio de corpo e saber usar.
    E quem bate no carro é só mulher? Até que seria bom então que quando homem fizesse burrada aparecesse com uma cueca nova e roupa sensual pra tentar “enganar” as burradas que fez. Não há humor e paciência quando se mexe no vespeiro financeiro.
    Não tenho nada contra Gisele e sim com a industria da moda e a ditadura de beleza que mexe com o imaginário das adolescentes e é responsável por transtornos alimentares em muitas meninas e em algumas adultas que não se sentem bem com o seu corpo devido a baixa estima.
    Fez de bom participar do fome zero, doar 1,5 milhoes de dólares pro Haiti depois do terremoto, apoiar causas ambientais e teve uma influencia positiva na saúde por ter feito parto humanizado.
    Infelizmente aceita fazer comerciais de gosto duvidoso. Acho que celebridades deveriam ter responsabilidade social e humanitária. Afinal a vantagem de ser tão rica penso que é recusar trabalhos e convites que não acrescenta nada de bom ao mundo, muito pelo contrario. Para que se auto-esteriotipar como Amélia?
    A campanha é engraçada para quem? Depende do humor de cada um e isso é muito pessoal.
    Uma coisa é a campanha representa uma mulher brasileira em particular e outra é representar a mulher brasileira no geral. Afinal a mulher brasileira não quer ser conhecida mundialmente pela sua sensualidade. Pra chegarmos fora do País e sermos tidas como prostitutas afinal grande parte do continente europeu quando vê brasileira acha logo que é puta.
    A campanha quer aumentar então a venda do turismo sexual? Quer dizer que se a mulher no Brasil for feia não tem razão de existir? Dou crédito a nota da a secretaria de políticas para as mulheres pela suspensão da campanha que prestou um desserviço À mulher. Embora a suspensão é apenas mais uma diante do oceano de propagandas duvidosas que pairam por ai.
    É preciso sim investir na educação pra combater a cultura que Poe a mulher como mercadoria de venda. Investir em programas que discutam de forma madura o papel da mulher na sociedade, programas de TV que discutam o papel e a identidade de gênero, sexismo, entre outras formas educativas para acabar com a MISOGINIA que reina em nossa sociedade.
    É preciso começar já. Mas claro que vocÊ Peixoto pode continuar cega para a realidade, você e tantos outros seres que continuam em fechar os olhos pra tudo e ficar apenas chamando quem critica o machismo de feminista ferrenha. Fica a seu critério e opção de escolha em ser uma alienada ou uma pessoa consciente.

    ResponderExcluir