SEBRAE

SEBRAE
SEBRAE

sexta-feira, 17 de junho de 2011

DISCRIMINAÇÃO IMPERA NA INTERNET

Um dia depois que a Organização Internacional do Trabalho (OIT) promulgou nova convenção que rege a profissão de empregada doméstica, um comentário de tom racista deixou explícito que a profissão ainda é alvo de preconceito e desdém por boa parte dos brasileiros. Se de um lado os patrões reclamam que as trabalhadoras já têm direitos demais, usuários de redes sociais como o Twitter deixam explícito que o reconhecimento da profissão ainda está longe. "Como eu odeio quando vem as duas empregadas pra limparem a casa, elas ficam gritando e batendo a porta, tinha que ser preta mesmo" (sic), tuitou Paula Maldi nesta sexta-feira (17).

Na internet, as declarações de tom discriminatório contra empregadas domésticas são frequentes. O Tumblr Classe Média Sofre, que reúne postagens de usuários do Facebook, Twitter e comentários em portais e sites satiriza esses posts. Alguns reclamam na rede da comida preparada, do barulho, ou até mesmo da falta de conhecimentos que muitos consideram importantes. Em tom de brincadeira, as mensagens gravadas na web servem para refletir o modo como vemos graça na humilhação. "Tô aqui almoçando e a empregada tira a mesa, vou dar uma garfada na mão dela pra aprender", diz um post.

Segundo o procurador de Justiça do Ministério Público de Pernambuco, José Lopes, especializado em crimes online, comentários postados no Twitter são difíceis de serem rastreados e, como estão em um servidor em outro País, seguem outra legislação. "O Brasil está atrasado no combate à crimes virtuais. As ofensas e injúrias acontecem a todo momento e estão tornando-se cada vez mais agressivas. Mesmo assim, nenhum deputado formulou ainda um projeto de lei referente à isso", disse. (Fonte: JC Online)

5 comentários:

  1. Isso é realmente lamentavel, mas voce quer o que de um País que mais de 50% da população vem elegendo os mesmos politicos a decadas? Esse povo é o mesmo que endeusa Edmundo e outras coisas mais.

    ResponderExcluir
  2. Muito boa a matéria, é importante que temas como esse venha a público e seja provocado o debate e se crie mecânismos para acompanhar e quem merecer quue seja punido, agora aliberdade de expressão já mais poderá ser cerceada, ao longo dos séculos a humanidade sempre lutou e luta por esse direito e a internete veio suprir essa vontade do ser humano de dizer o que pensa, é ruim quando machuca, agride, mas é melhor assim porque fica-se sabendo o que realmente as pessoas pensam e fazem, se ficarem encapdas sem se expor como vamos saber o que pensam e fazem, assim é melhor que esses indiotas falem tudo na internete, assim sabemos com quem convivemos, e nos preparamos intelectualmente, economicamente, socialmente e evitamos o convivio social com esses grupos que agem dessa forma, um dia vão precisar de uma empregada doméstica preta ou branca por mais dinheiro que tenham e não vão encontrar, ai vão ver como é bom acordar cedo,pra arrumar a casa, fazr comida, lavar roupa, fazer feira, lavar o carro, aparar a grama, etc, ou então vão ter que pagar a peso de ouro, porque para fazer o serviço e ter que aguentar as humilhações, tem que ser na faixa dos milhões pra essa elite deixa de ser indiota.

    ResponderExcluir
  3. SEMPRE DISSE E MANTENHO OS DIZERES: O nosso povo NÃO presta! Há muitas exceções! - De outro modo, lembram-se do "frango" Delfim Netto?! Mas, além do Delfim "veado", há muitos outros da igualha. - 2. Alguém vai dizer que sou preconceituoso contra os veados!! NEM tanto! Contra alguns deles, deixo apenas a minha indiferença. Porém, quando a coisa é abusiva, fica o meu DESPREZO. - Talvez, já tenha dito isso aqui. Vou repetir: outro dia fui à praça de alimentação do Shopping Boa Vista (paraíso dos homossexuais!). Lá estavam dois "frangos" no maior "amasso" e se beijando na boca. Era meio-dia de uma sexta-feira! COMO NÃO podia fazer NADA CONTRA AQUELA ABERRAÇÃO PÚBLICA, FIQUEI DE COSTAS para aqueles dois sem-vergonha. - 3. Hoje, fui tomar o café da manhã na Padaria Massa Nobre, na Torre. Um veado assumido fez questão de me "assessorar", desde as frutas, até a balança. Disse-lhe, mais de uma vez, que aquilo era desnecessário. Mas ele não largou os meus pratos. E depois de alguns minutos, ainda voltou à mesa onde eu estava e, todo "gentilmente" perguntou se eu queria mais alguma coisa. Foi aí que eu disse: "Você já fez a sua parte. Se eu precisar de algo mais, chamo uma das meninas da casa. Vai cuidar dos outros clientes, por favor!) - Por que ele não perguntou a uma jovem mulher que estava comigo, se ela queria mais algumas coisa? - É MUITO DESCARAMENTO DESSES "FRANGOS"!! Se eu NÃO estivesse TÃO BEM ACOMPANHADO, ele iria pedir pra sentar na minha braguilha. Aí, iria dar certinho! - É ISSO! - José Fernandes Costa - jfc1937@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  4. Qual a diferença entre Delfim Netto e Zé Fernandes???????? Ganha uma mariola quem acertar?????????????

    ResponderExcluir
  5. A diferença? - É que o Delfim é veado e eu NÃO sou. E quem quer praticar suas viadagens, que o faça entre quatro paredes! NÃO, ostensivamente em lugares públicos, onde estão crianças com seus pais! 2. E empregado (a) doméstico (a) é profissão tão nobre quanto ser médico, gari, metalúrgico etc. - Portanto, é uma categoria que MERECE RESPEITO. E NÃO deve ser humilhada em hipótese alguma!/./

    ResponderExcluir