quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

UM FILME COM SABOR PERNAMBUCANO

Dentro do projeto de exibição de filmes nacionais no Centro Cultural, a Secretaria de Cultura da Prefeitura de Garanhuns exibe nesta quinta, dia 24, o longa o Baile Perfumado. É um trabalho bem pernambucano, com direção de Paulo Caldas e Lírio Ferreira e que tem no elenco atores consagrados na época, caso de Jofre Soares (já falecido) e gente de nossa terra, como Aramis Trindade. A produção é de 1996, vencedora do Festival de Cinema de Brasília e de outros prêmios, inclusive alguns fora do Brasil.

A HISTÓRIA

Homem de confiança de Padre Cícero, o fotógrafo árabe Benjamin Abrahão, parte de Juazeiro, no Ceará, nos anos 30, para levantar recursos e filmar Lampião e seu bando. Graças à sua habilidade para estabelecer contatos, Benjamim localiza o cangaceiro e registra o cotidiano do grupo. O filme, no entanto, é proibido pela ditadura do governo de Getúlio Vargas, durante o Estado Novo.


CONTEXTO HISTÓRICO

É natural que um movimento social sem definição ideológica, desorganizado e irracional, seja facilmente manipulado, sendo comum presenciarmos bandos de cangaceiros prestando serviços para coronéis rivais, sem contar que o próprio Lampião, convidado pelo padre Cícero, recebeu armas para inutilmente atacar Luiz Carlos Prestes e sua famosa "coluna". A repressão do governo acabou com o cangaço entre 1930 --40. Nessa mesma realidade histórica, destaca-se uma atuação diferenciada. Trata-se do padre Cícero Romão Batista, que em Juazeiro até hoje, muito depois de sua morte (1934), é venerado como um santo. Sua atuação ambígua foi marcada com ações de caridade para população pobre ao mesmo tempo em que favorecia latifundiários,  explorando seus discípulos como mão-de-obra para construção de açudes e para colheita de algodão.


SERVIÇO: Quinta-feira, dia 24, às 19h, com entrada franca. (As imagens que ilustram a matéria são do filme Baile Perfumado).

Nenhum comentário:

Postar um comentário