SEBRAE

SEBRAE
SEBRAE

ALEPE

ALEPE
ALEPE

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

CARTA DE JUDITH ALAPENHA

Da prefeita de Bom Conselho, Judith Alapenha, o jornalista recebeu extensa correspondência (levando em consideração que o blog é feio com notas curtas), explicando os problemas políticos que têm ocorrido no seu município e dando resposta a um dos comentários que escrevi neste espaço. Por respeito e dever profissional, o e-mail da governante é publicado na íntegra:


Caro Roberto Almeida,


Tenho acompanhado diariamente aqui no blog a repercussão acerca de comentários surgidos a partir de algumas informações que você recebeu de “um morador de Bom Conselho” a respeito da minha administração. Não poderia deixar de fazer aqui alguns esclarecimentos, se assim você me permitir este espaço, assim como o fiz numa participação ao vivo no programa do amigo Marcos Cardoso. Vamos aos fatos, então.
Confesso que tive uma grande surpresa quando li em seu blog que esse “morador de Bom Conselho” havia informado que meu carro foi apedrejado em uma visita a um distrito. Posso garantir a você e a todos que acompanham o blog que nunca escutei tamanho absurdo, e qualquer morador de Bom Conselho que tenha compromisso com a verdade pode confirmar isto que estou falando. Nunca houve fato ao menos parecido com este relatado por tal pessoa a você, e trabalho muito todos os dias para que isto não aconteça comigo durante esta administração. Também gostaria de desmentir aqui sobre uma suposta depressão que venho enfrentando, todavia esta mentira me causa menos estranheza, já que venho escutando esta balela desde o começo do meu mandato.
Sobre as dificuldades que venho enfrentando para administrar, vou me reportar a suas palavras, que busquei no post sobre minha impopularidade, quando você diz:

“Na verdade as coisas estão difíceis para todos os prefeitos, pois os recursos andam minguando. O povo não sabe de quem é a culpa e joga tudo no governante mais próximo.”


E em outra notícia, sobre a administração de Angelim, quando você fala:



“O fato é que nenhum prefeito está se destacando ainda devido à crise mundial.”



De fato, a crise também chegou ao Brasil, e não como uma marolinha. E para surpresa ou decepção de muitos, e alegria de tantos outros, também chegou aos municípios, derrubando brutalmente a arrecadação e prejudicando o bom andamento do trabalho dos prefeitos, não somente em Bom Conselho, como também, garanto, em tantas outras cidades semelhantes a nossa. Ainda para piorar uma situação que já era ruim, recebi uma prefeitura com orçamento comprometido pelas dívidas das gestões anteriores. Para se ter uma idéia em números, em um recente levantamento feito pela minha equipe, obtivemos a informação que, em apenas 7 meses de governo, paguei quase R$ 1,5 milhão em dívidas de administrações passadas, incluindo pagamentos de contas de água, energia, telefonia, folha de pagamento atrasada, repasses não realizados ao fundo de previdência dos servidores municipais, dívidas com precatórios, e tantos outros débitos que prefiro não citar, para não alongar muito minhas palavras e a vergonha dos meus antecessores. Curioso, entretanto, é como as pessoas tratam com naturalidade esses dados, dizendo que “todo prefeito deixa dívidas”. Não acho isso correto, porque meus princípios contradizem isso, tanto é que todos esses encargos referentes à minha administração (água, luz, telefone, pagamento e previdência dos servidores, precatórios..) estão sendo pagos religiosamente. Assim, a partir do dia 01 de janeiro de 2013, você pode ter certeza, e pode me cobrar depois, que o meu sucessor não precisará pagar nenhuma dívida referente ao período de 2009/2012.

Resumindo: a arrecadação na minha administração caiu, estou pagando dívidas que não assumi, estou pagando meus compromissos em dia, e ainda assim fui taxada de incompetente pelo ex-prefeito do município. O meu governo também pode sofrer críticas de quem não acompanha o dia a dia de Bom Conselho, pois está tudo meio “parado” (vejam só!) e as grandes obras não estão sendo feitas. Confesso a você que gostaria de estar com as máquinas nas ruas, fazendo grandes obras, mas infelizmente também encontrei o município inadimplente junto aos órgãos federais, devido à INCOMPETÊNCIA de alguns antecessores, e assim não posso celebrar convênios para trazer projetos para o município.

Apesar de tudo isso que estou relatando, apesar das dificuldades, sigo trabalhando firme para tirar Bom Conselho desta situação. Me alegro a cada dia vendo que a situação que encontramos em janeiro já é diferente do que vivemos hoje, e com a certeza de que muito em breve poderemos trabalhar a pleno vapor. Sigo junto ao povo, pois assim me elegi, escutando as críticas, e respeitando cada uma delas, e venho fazendo tudo isso sem estar deprimida, e com meu carro intacto (graças a Deus).

Ai você me pergunta: e por que ainda surgem comentários de que a administração de Judith Alapenha anda tão mal? Posso te garantir, meu amigo Roberto, que nunca na história deste município houve uma oposição tão ferrenha a uma administração. Eu brinco dizendo que nem o próprio Judas enfrentou tamanha oposição! E isto se deve a um fato muito simples de se entender. Basta apenas voltar um pouco no tempo...

A minha candidatura a prefeita de Bom Conselho partiu da vontade de pouco mais de 20 pessoas reunidas em uma tarde de maio de 2008 em minha casa. Daquele grupo fez surgir um grande movimento, e em pouco tempo passei de terceira opção a favorita para conseguir chegar ao posto de prefeita. Contando com poucos recursos, mas com o povo ao meu lado, alavanquei a maior vitória já vista em uma eleição na nossa cidade. Com 9.331 votos, fui a candidata mais bem votada na história da cidade em números absolutos, derrotei um ex-prefeito, com um ex-deputado estadual na vaga de vice, além do atual prefeito na época, além de derrotar o grupo que governava a cidade há alguns anos. E o mais gratificante: consegui isso contando apenas com a ajuda e a confiança do povo de Bom Conselho! Para aumentar ainda mais a ira de todos que foram derrotados nesta última eleição, essa vitória do povo de Bom Conselho foi comandada por uma mulher, a primeira a assumir o posto de prefeita. E você quer mais motivo para tamanha oposição? Imagine então derrubar esse povo todo ao lado de uma outra mulher, a minha vice-prefeita Dida Tenório. Numa sociedade machista como a nossa, escutando comentários do tipo “mulher só serve para cozinhar e levar chifre”, posso garantir a você, sem sombra de dúvidas, que a nossa vitória ainda hoje incomoda a muita gente.
Ainda assim, apesar das críticas, eu sigo trabalhando forte. E a minha motivação vem justamente desse breve acontecimento que lhe relatei. Eu sei que ainda conto com a confiança do povo de Bom Conselho, que me permitiu chegar ao cargo de prefeita hoje. Tenho certeza que, assim como eu sempre disse em campanha, não vou decepcionar nenhum deles, mas ainda é cedo para julgar meu trabalho, como você bem disse. Também tenho consciência de que vou ter que enfrentar duras críticas até o fim do meu mandato, ainda que elas não tenham o mínimo fundamento. São atitudes isoladas de uma minoria, e que não vão me abalar.

Espero ter esclarecido alguns dos pontos, e me coloco a inteira disposição deste blogueiro para tirar qualquer dúvida a respeito da minha administração e do que vem acontecendo em Bom Conselho. Aliás, se existe uma coisa a se comemorar nesse mal entendido é que acabei descobrindo uma ótima fonte de notícias da nossa região, já me tornando leitora assídua do seu blog.
No mais, só tenho a agradecer pelo espaço. Gostaria que esse e-mail fosse divulgado na íntegra.


Um forte abraço.

Judith Valéria Alapenha de Lira



Um comentário:

  1. Olá! Boa noite a todos bomconselhense... É lamentável o fato acontecido na tarde de ontem em Bom Conselho. Uma cidade onde política é um assunto que meche com o povo dessa terra!!! É triste saber que a representante executiva do município, esteja tão fragilizada ao ponto de renunciar seu cargo e decepcionar seus 9.331 votos. Além do acontecido, ela tenta modificar o fato de uma forma tão absurda, expondo a vice-prefeita a uma situação constrangedora, desmoralizante sem ao menos se importar com a reputação de sua companheira, acreditando que nós bomconselhense ficamos convencidos com suas justificativas. Judith Alapenha lembre-se que você tá no comando de uma CIDADE, responsabilidade e competência devem fazer parte de sua administração. Não queira terminar seu mandato distorcendo o que você tanto pregou em sua campanha política. Ainda a tempo de mudança!!!

    ResponderExcluir