SECRETARIA DE SAÚDE DO ESTADO

EXPULSOS DO BRASIL, CUBANOS SÃO APLAUDIDOS NA ITÁLIA E ESPANHA



Uma das primeiras medidas do presidente do Brasil, ao começar seu governo, foi se livrar de 8.556 médicos cubanos que atuavam no país.

A justificativa de Bolsonaro para expulsar os profissionais de saúde foi ideológica: eles pertenciam a um país comunista, uma ditadura, eram explorados e o Brasil não poderia continuar contribuindo com o regime socialista fundado por Fidel Castro.

Passado mais de um ano, o governo não conseguiu preencher as vagas dos médicos.

Eles atuavam em todas as regiões do país. Aqui no Agreste Meridional, tínhamos cubanos em Garanhuns, Caetés, Capoeiras e outra cidades.

Na atual pandemia, os médicos comunistas estão fazendo falta, porque não escolhiam lugar e atendiam bem.

Expulsos do Brasil, os cubanos foram recebidos com palmas na Itália e Espanha, dois dos países que mais estão sofrendo com o coronavírus.

Neste momento, não interessa se é comunista, capitalista, direita ou esquerda. Há de ser humanista e participar da luta para enfrentar um dos momentos mais difíceis da história da humanidade.

Na foto que ilustra a matéria, os cubanos quando chegaram a Madri e foram recebidos festivamente pelos espanhóis.

Desde que começou a pandemia, na Itália já morreram 12.500 pessoas e na Espanha o número ultrapassa os 8 mil. Estes números podem estar defasados.

No Brasil já são mais de 200 mortes. Infelizmente, mais gente vai perder a vida.

Nesta hora em que a ciência e a medicina não consegue conter o mal, mais e mais pessoas se voltam para Deus e pedem que o Criador ajude o planeta.

Itália e Espanha são países capitalistas, mas seus governantes não viram nenhum problema em receber a ajuda dos médicos da ilha comunista.

EM LAJEDO JÁ SÃO 1.750 CESTAS BÁSICAS PARA A POPULAÇÃO


Já são 1.705 as cestas básicas recebidas para distribuição com a população mais vulnerável de Lajedo.

Alimentos foram doados por empresários e outras pessoas com maior poder aquisitivo, atendendo um pedido do prefeito do município, Rossine Blesmany (PSD). Ele próprio doou o salário do mês, que deu para comprar 300 cestas básicas.

Distribuição será feita de casa em casa, por uma equipe da prefeitura.

Rossine agradece a boa vontade dos comerciantes e demais colaboradores. 

Hoje o prefeito saiu da quarentena, verificou pessoalmente as doações e orientou os servidores do município a respeito da distribuição.

FUNASE DE GARANHUNS VOLTA A SOFRER COM TUMULTO

Recebemos a informação que mais uma fuga foi registrada da Funase Garanhuns. 

Segundo relato de um servidor, neste domingo, dia 29, aconteceu um princípio de tumulto no pavilhão quatro, quando oito adolescentes serraram as grades e fizeram um agente de refém, colocando um chunchu (arma artesanal) no pescoço do funcionário da instituição.  

O agente saiu ferido do incidente.  Com isso os outros agentes,  no total de seis,  não tiveram como contornar a situação e deixaram os adolescentes estourar o cadeado do portão principal e pegar destino ignorado.

"Até quando isso vai acontecer e a direção geral não toma uma posição? O clima na Funase não é pra brincadeira,  devido a suspensão das visitas e o baixo efetivo", reclama uma das pessoas que trabalham na instituição estadual.

Ele questiona se vão esperar morrer um pai de família, um trabalhador que saí de casa pra arriscar sua vida,  sem nenhuma proteção legal, sem que não façam nada pra reforçar os plantões.  "Tem plantão que tem 18 agentes , contando com portaria,  e monitoramento para dar conta de 68 internos. "Até quando isso vai continuar", pergunta o agente, sem se identificar para não sofrer represália.

Com bom trabalho da polícia militar e do GATI, foram recapturados cinco dos fugitivos, que estão na FUNASE novamente.  

*Foto: Diário de Pernambuco

FERREIRA COSTA PASSA A ATENDER PELO SISTEMA TELEVENDAS


De acordo com o decreto nº 023/2020, estabelecido pelo Governo Municipal de Garanhuns, que passa a incluir as lojas de material de construção e prevenção de incêndio para aquisição de produtos necessários à execução de serviços urgentes, a Loja de Ferreira Costa passará a atender os seus clientes por telefone das 9h às 18h, com a opção de compre e retire na loja.

O teleatendimento acontece dos números 3762-8000 ou 3762-8002 e é realizado por um vendedor de plantão. Após o pedido ser separado, basta o cliente se direcionar a loja para efetuar o pagamento e retirar o produto.

Para as demais localidades, a Ferreira Costa continuará atendendo através do site: www.ferreiracosta.com.br, onde você pode retirar seus produtos, com toda segurança, na área de Clique & Retire de nossas lojas físicas. A retirada poderá ser feita apenas nas seguintes lojas: Recife (Tamarineira e Imbiribeira), Salvador, Aracaju e João Pessoa. No horário das 09h às 15h, durante Segunda à Sábado. Para aqueles que queiram receber os seus produtos, na comodidade de seu lar, O Home Center disponibilizará serviço de entrega.

PREFEITO DE ANGELIM CANCELA A FEIRA DESTA QUARTA


FEIRA DA OLIVEIRA LIMA VOLTA A ACONTECER



A feira livre da Rua Oliveira Lima, em Heliópolis, volta a funcionar na próxima quinta-feira, dia 2.

Assim também vão acontecer com as outras feiras de Garanhuns, como as da Ceaga, Boa Vista, Cohab I e Cohab II.

Prefeito Izaías Régis resolveu liberar, após uma conversa com o Procurador Geral da Justiça de Pernambuco, Francisco Dirceu.

Nas feiras só poderão ser comercializados alimentos, as bancas terão de ficar a uma distância mínima uma das outras, os feirantes deverão usar máscaras e álcool gel deve ser disponibilizado à população.

RAFAEL ELOGIA ARMANDO POR ESCOLHA DE TIRRI

Por Rafael Brasil

Como era de se esperar, Armando, depois de consultar suas bases, e democraticamente respeitá-las, coisa rara hoje na política, escolheu o candidato à prefeito, o preferido, de longe, nas pesquisas. o jovem Nivaldo o popular Tirri, que foi diretor do hospital durante suas duas exitosas gestões.

Aliás, foi democraticamente que Armando foi o escolhido para ser candidato, numa eleição muito difícil em que o povo deu um basta na oligarquia que dominava a cidade há mais de uma década e meia, de triste memória.

Armando está fazendo um ótimo trabalho, resgatando o amor da nossa gente pela cidade, colocando à prefeitura como uma ótima prestadora de serviços à população, muito carente do nosso município, tendo sua administração sendo considerada uma das melhores da região e do estado.

Assim como Armando, Tirri, filho do saudoso Antônio Jacinto, pequeno comerciante, de uma família humilde, que se destacou pela honestidade e pelo amor à Caetés. Em outras palavras, Caetés está em boas mãos dando continuidade a uma administração mais do que exitosa, e mantendo unido o grupo forte, com amor pela cidade.

Aliás, o espírito progressista do grupo é fundamental para a manutenção do  desenvolvimento  do município, que hoje conta com uma boa infra estrutura e de serviços, mantidos pela prefeitura.

Parabéns, Armando, pelo seu espírito progressista pelo seu amor pela cidade, e pela posição democrática, atendendo aos apelos do grupo que agora está mais coeso, portanto mais forte.

Caetés, tem que ser dos caeteenses de coração, que colocam os interesses da comunidade acima dos interesses pessoais e oligárquicos, como era num passado recente.

Ademais, o espírito progressista tem um antigo patrono que foi o velho Rafael Brasil, meu pai, que dedicou, juntamente com seu grupo forte e coeso , toda a vida pela cidade e seu humilde mas extraordinário povo.

Afinal o povo merece, e Caetés está, e vai continuar em boas mãos. E viva o povão da nossa cidade!

*Rafael Brasil é professor e historiador. Assina um blog com o seu nome.

EM LAJEDO 1500 CESTAS BÁSICAS SERÃO DISTRIBUÍDAS COM O POVO


Em Lajedo a equipe da prefeitura vai distribuir 1.500 cestas básicas à população carente,  doadas pelos que têm melhor poder aquisitivo.

Prefeito Rossine Blesmany, que tinha feito um apelo aos empresários para dar essa ajuda, fez questão de agradecer aos que colaboraram.

O próprio gestor deu o exemplo. Das 1500 cestas básicas, 300 foram doadas por ele.

Os gêneros alimentícios foram recolhidos no Colégio Normal e agora vão chegar às casas dos que precisam.

JOICE HASSELMANN CHAMA BOLSONARO DE DESINTELIGENTE

Bolsonaro governa agora com os filhos e uns poucos ministros. Até Sérgio Moro foi atacado pelo presidente, que o acusou de se esquivar na crise, não estar dando o devido apoio no confronto com governadores e outros setores.

A Globo, a Folha de São Paulo e o tradicional Estado de São Paulo têm sido bem críticos com relação ao líder direitista.

Chegam a pedir ou insinuar seu afastamento em editoriais ou através de artigos assinados pelos jornalistas mais conceituados.

E dentre os que o ajudaram a chegar ao Planalto alguns também estão batendo duro, como os deputados federais Alexandre Frota e Joice Hasselmann.

A parlamentar, líder do PSL na Câmara, esta semana fez um pronunciamento duro no plenário. Chamou o presidente de “desinteligente”, disse que ele é inábil para lidar com o Congresso, a Imprensa e o Judiciário, por isso sai atacando todo mundo.

Joice desafiou Bolsonaro: “É preciso ser homem neste momento”, cobrou, dando a entender que o chefe político do país não tem pulso nem cumpre a palavra.

SECRETARIA DE SAÚDE VOLTA A VACINAR CONTRA GRIPE



Diante do repasse fracionado das doses para Campanha de Vacinação Contra a Influenza, realizado pelo Ministério da Saúde, a Secretaria de Saúde de Garanhuns, por meio do Programa Municipal de Imunizações (PMI), informa sobre as estratégias para garantir, gradualmente, a imunização do público-alvo, formado por pessoas acima de 60 anos e profissionais da área de saúde, até o dia 15 de abril. Até o momento, mais de 10 mil idosos já foram imunizados no município, além de mais de mil profissionais da saúde.

A campanha será retomada nas Unidades Básicas de Saúde (UBS’s), a partir desta terça-feira (31), apenas para as vacinações previamente agendadas por meio do Programa Municipal de Imunizações, no telefone: (87) 3762-1617. A secretaria destaca que a vacinação acontece ainda por meio de visitas domiciliares, especialmente para os idosos acamados e com comorbidades que não podem se deslocar até as unidades.

O cronograma de locais estratégicos, funcionando também em sistema de ‘drive-thru’, permanecerá com dois pontos fixos, localizados no Largo do Colunata, no centro da cidade; e na avenida Júlio Brasileiro, em frente ao Parque Euclides Dourado, no bairro Heliópolis; sempre das 08h30min às 12h, até o fim da campanha, com a disponibilização de 150 doses por dia para a população.

*Texto: Secretaria de Comunicação
*Foto: Reproduzida do G1.

TIRRI CONFIRMADO COMO PRÉ-CANDIDATO A PREFEITO DE CAETÉS



Numa reunião hoje com vereadores e secretários, o prefeito Armando Duarte conversou sobre as medidas tomadas para proteger a saúde da população e abordou também a questão política.

Pela primeira vez o gestor tornou públicas as diversas pesquisas feitas no município para avaliar qual o nome preferido pela população como pré-candidato da situação.

O nome de Nivaldo Tirri despontou em todas as pesquisas, revelou o prefeito.

Diante da informação, os próprios vereadores disseram a Armando que o nome do diretor do Hospital devia ficar definido como pré-candidato, por ter o apoio do povo e da maioria dos parlamentares e diversos outros setores da sociedade caeteense.

Embora não vá fazer política agora, por conta da epidemia do coronavírus, Armando Duarte concordou e ficou definido que Tirri é o pré-candidato governista.

O vice será definido em outro momento, até porque a eleição deste ano só acontecerá se a pandemia estiver controlada até o meio do ano.

A oposição, que recebeu reforço nos últimos meses, tem entre seus nomes para enfrentar Tirri, o vice Severino Gordo, Galego de Zé Miúdo, o vereador Jocelino Ferreira e o empresário Júlio César, segundo muitos o homem do dinheiro entre os oposicionistas.

Dentre os vereadores presentes estavam  Tonho de Nina (presidente da Câmara), Batonho, Di Noronha, Lena, Gauzo e Rosana. 

Aqui no blog já foi publicada mais de uma matéria mostrando que o nome de Nivaldo Tirri se destacava nas pesquisas, sinalizando que ele poderia ser pré-candidato com o apoio do prefeito, o que agora se confirma.

O VAI E VEM DA POLÍTICA DE CAETÉS



Por Roberto Almeida

Por conta da pandemia mundial de Covid-19 a campanha política no Brasil parece ter dado uma arrefecida, não sendo a nossa região diferente, menos em Caetés, em que o atual quadro político mais parece um caldeirão com água fervendo.

Atualmente o troca-troca de lado está de vento em popa, mas começou timidamente em junho do ano passado, quando o vice-prefeito Severino Gordo rompeu com o governo de que fazia parte e foi para a oposição. Com o Gordo chegando nos quadros oposicionistas, outros nomes saíram de lá, como o candidato a vice-prefeito  derrotado, Gilson Ferreira, que fazia parte da chapa que teve 5.758 votos, e aderiu à situação.

Outras lideranças também aderiram ao grupo de Armando Duarte, dentre eles Carlos da Cooperativa, o blogueiro Sandoval Melo e o suplente de vereador João do Gás.

Paulinho do Gordo, filho do atual vice, que não acompanhou o pai quando esse abandonou o governo, rompeu há poucos dias, o que era já bem esperado. Dificilmente um filho fica contra o pai, mas é de se estranhar porque o vereador demorou tanto a sair do governo. Irmão Naldinho, o vereador mais votado da última eleição já tinha saído da situação, mas se arrependeu e voltou ao grupo do prefeito.

Galego de Zé Miúdo, secretário de agricultura, que até bem pouco tempo era unha e carne com o prefeito, foi outro que rompeu. O interessante é que dificilmente se via o gestor sem o secretário estar ao seu lado, mesmo em solenidades oficiais que não fossem da sua pasta, ou mesmo em festas particulares de Armando. Para a maioria das pessoas, esta saída foi uma surpresa.

Depois do Galego, Naldinho se arrependeu de ter se arrependido, e voltou atrás mais uma vez, rompendo no dia de ontem (29) com o prefeito Armando Duarte. Um fato curioso dessa troca de lado do evangélico, é a enorme repercussão negativa no município, dando a impressão que o político desagradou a todos. Nas redes sociais, pessoas dos dois lados, oposição e situação, esculacham o vereador. Os grupos de WhatsApp foram invadidos por mensagens de texto e de áudios (novos e antigos) esculhambando com o Irmão Naldinho.

O negócio está tão complicado para o Irmão, que até seus colegas de Câmara andam falando mal dele. Em um dos áudios que circula no zap, de um vereador da oposição, o político diz que está estudando seriamente um jeito de sair da política, para não ter que conviver com esse tipo de gente, pois segundo ele "os que falam em Deus são os piores que tem.”

Neste domingo (29) mais gente mudou de lado, desta vez reforçando a base governista. Trata-se das lideranças Erivaldo Cícero, o Vardo Lino e Damião da Bela Vista, esse último candidato a vereador na eleição 2016 pela oposição.

O prefeito Armando Duarte ainda não se manifestou publicamente em nenhum dos casos acima citados. Está em sua casa resolvendo as coisas da prefeitura pelo telefone e através de assessores. Por um pronunciamento na Caetés Tv Web, deixou bem claro que sua preocupação no momento é a saúde dos seus munícipes e não a política. Segundo o gestor, o momento é de dar as mãos pela população e não de pensar em eleições.

Armando até o momento nunca revelou quem vai apoiar para lhe suceder. Tem os pés no chão e pesquisas em mãos e sabe o momento certo de agir, mesmo que muitos já tenham colocado o carro na frente dos bois, inclusive, formando futuras chapas, à sua revelia.

O gestor sempre diz que as pesquisas é quem vão dizer o seu candidato, que quem o povo quiser, ele apoia, mas pelo que podemos perceber, pelo andar da carruagem, a política de bastidores vai continuar correndo solta em Caetés.  

*Fotos: 1- Vardo Lino e Damião da Bela Vista, junto com os secretários Ronaldo e Gilvan; 2- Prefeito Armando Duarte, pré candidato a vereador Cícero Mouquinho e o secretário Tirri.

NÃO É UMA GRIPEZINHA - Por Roberto Almeida



Qual gripe matou 30 mil pessoas em poucos dias?
O trânsito matou igual número de pessoas, em tão pouco tempo?
Qual doença matou quase mil pessoas na Itália em um único dia, fora a provocada pelo coronavírus?
Algum outro mal matou 16 pessoas em São Paulo em poucas horas?
Alguma outra doença se multiplica em progressão geométrica como essa que nos deixa em casa, isolados,  sem poder ver os filhos, os netos, sem poder dar um abraço e com medo de beijar a até a esposa?
Definitivamente, não é uma gripezinha. Não devemos voltar às ruas por enquanto. Devemos evitar aglomerados, multidões, jogos de futebol, shows, festa, comércio funcionando.
Até o pesadelo passar.
Como escreveu sabiamente alguém no Facebook: “O falido se recupera, o morto não”. 

*Na foto da Revista Veja a ativista Luisa Mell. Ela e o marido, Gilberto, foram diagnosticados com o coronavírus.

PREFEITO DA GRANDE SÃO PAULO ESTÁ NA UTI COM CORONAVÍRUS



Prefeito de São Bernardo do Campo, Orlando Morando (PSDB), de 45 anos, está na UTI do Hospital São Luiz, com Covid-19
Gestor de São Bernardo, município da Região Metropolitana de São Paulo, 
teve o quadro respiratório agravado e precisou de cuidados intensivos.
Ele e a mulher, a deputada estadual Carla Morando (PSDB), divulgaram durante a semana que tiveram a doença confirmada após sentirem cansaço, dores de cabeça e febre alta.
Carla está em isolamento em na sua residência e passa bem.     
Desde que começou a pandemia no Brasil, já morreu pelo menos um prefeito. Foi Antônio Nonato (PT), de São José do Divino, no Piauí.
No Brasil,  até o final deste domingo já haviam sido divulgadas oficialmente 136 mortes pelo vírus.
Estado mais afetado do Brasil no momento é São Paulo.
No mundo o número de mortes passa de 30 mil. 

*Foto: Notícias R7

ROMÁRIO DIAS DESTINA R$ 1 MILHÃO PARA COMBATE AO CORONAVÍRUS


O deputado estadual Romário Dias (PSD) destinou R$ 1 milhão das suas emendas parlamentares para o combate ao coronavírus em vários municípios do interior do Estado.

Os recursos servirão para equipar as unidades de saúde e garantir o melhor atendimento à população durante a pandemia que assola mundo.

“Vamos fortalecer as unidades de saúde do interior com a compra de respiradores e equipamentos de segurança para os profissionais de saúde, como máscaras e luvas”, explicou o deputado.


De acordo com Romário, essas emendas estavam destinadas anteriormente para obras de infraestrutura e para reforço na área de saúde dos municípios. ”Fui um dos primeiros apoiadores da ideia de remanejarmos as emendas parlamentares para as ações de combate à pandemia. Todos estamos unidos numa mesma corrente, cada um fazendo sua parte, para salvarmos o maior número possível de vítimas”, concluiu.  

PRECISAMOS VER ALÉM DO NOSSO SOFÁ


Por Homero Fonseca*
Nós, que compreendemos a necessidade do isolamento social e temos condições de praticá-lo, lembremo-nos daqueles que não têm meios de sobreviver na quarentena. Só uma ajuda financeira direta e maciça do governo pode salvá-los. Como aliás estão fazendo grandes economias capitalistas, como EUA e Reino Unido. Do contrário, eles irão para as ruas em busca da sobrevivência (e estão sendo incentivados pelo próprio chefe do governo, que nada está fazendo para ampará-los). Morrerão como moscas. E espalharão o vírus.
Roguemos pelos humilhados e ofendidos. Façamos barulho: cobremos medidas concretas para os mais pobres poderem suportar a pandemia. O fornecimento de uma renda básica para milhões de trabalhadores informais envolve uma logística monumental, que não se constrói da noite para o dia. Quanto mais demorar, pior.
Pensemos no que podemos fazer, além de compartilhar dicas sobre como tornar mais confortável nosso confinamento. É certo bater panelas, protestar nas redes sociais. Aplaudir os médicos e enfermeiros? Certíssimo. Aplaudamos também os garis, os garotos entregadores, os balconistas e as
caixas dos supermercados, padarias e farmácias. Os jornalistas, os taxistas e policiais que estão nas ruas.
E ponhamos a mão na consciência: quem puder liberar (ou ao menos reduzir a jornada) suas empregadas domésticas sem cortar salário deve se sentir moralmente compelido a fazê-lo.
Não estou querendo ser sentimental. Estou apelando à nossa Humanidade.
*Homero Fonseca é jornalista, escritor e consultor literário. Foi editor da revista Continente. Autor do romance "Roliúde", entre outros livros.

OITO DIAS - Por Givaldo Calado de Freitas



Hoje, oito dias de exílio, de isolamento, de... E dizem que a “festa” nem começou. Sair dele? Nem pensar. Vou cumprir o que dizem a OMS, o governo, a cúpula da saúde, daqui, e do planeta. Afinal, eles existem para isso, sobretudo, a OMS.

“Pitaco”, daqui e dali, não quero nem ouvir. Até porque não sou de ouvi-los, sobretudo quando o assunto é saúde, e essa no grau que se coloca: pandemia, mesmo. Em todo o planeta.

Às vezes fico a pensar... e dizem que penso muito. “Ele está absorto”. “Longe da gente”. Será que o doido do Seixas previu tudo isso em sua canção? “O dia em que a terra parou”. Previsão? Coincidência? O fato é que o planeta está parado. E a gente todo dia, toda hora, confere pelas notícias que nos chegam.
Fico a pensar. Aliás, nesses dias de exílio, de isolamento... que me resta, além de ler, de escrever ou de assistir a um filme? Nem telefonar devo. Primeiro, porque não gosto de falar ao telefone. Segundo, por conta da pandemia não quero incomodar as pessoas em suas orações, em suas meditações.



Ah. Lembrei! Charles Chaplin dizia que “Nada é para sempre neste mundo, nem mesmo os nossos problemas.”

Já sei: vou ter paciência. Vou pedir paciência porque esse pandemônio vai passar. Ele, que dizem que ainda não chegou por aqui. Mas que vai chegar. E vai passar. Com as graças de Deus, sem fazer qualquer maldade à gente da minha “Cidade Encanto”, “Cidade Poesia” de Garanhuns.  

Daqui absorto, outra de Charles me vem à cabeça, e repito sem que ninguém me veja. Ninguém? Mas eu não estou só desde sábado, 21? “Eu gosto de andar na chuva porque ninguém pode ver minhas lágrimas.”

*Givaldo Calado é empresário, advogado e cronista. Foi vereador e Secretário de Cultura de Garanhuns. 

PARÓQUIA DE SÃO JOSÉ DE CAPOEIRAS TEM SITE E APLICATIVO DE CELULAR PARA LEVAR A PALAVRA DE DEUS ATÉ SEUS FIÉIS


Por Junior Almeida

Enquanto o mundo inteiro vive sua quarentena forçada por conta do Covid-19, mesmo contra a vontade do presidente Bolsonaro, que acha que todas as pessoas do planeta estão erradas e ele está certo, as missas do Brasil estão acontecendo com as igrejas de portas fechadas.

Em Capoeiras não é diferente. A recomendação do Bispo Diocesano, Dom Paulo Jackson, vem sendo cumprida à risca, para tristeza dos fiéis, em especial dos de mais idade.


Para levar a Palavra de Deus a todas as pessoas que não podem ir às Missas, além da rádio local, que transmite as celebrações dos domingos e a reza do terço todos os dias às 18 horas, a Paróquia de São José conta agora com um site, psj.tv.br, e um aplicativo para celular, criados pelo fotógrafo capoeirense Roberto Barros.


Que acessa a grande rede e o App no celular tem acesso a várias informações, como histórico da Paróquia, com sua matriz e capelas, avisos de interesse público e vários vídeos de conteúdo católico. Neste domingo (29) a Missa da manhã foi transmitida ao vivo pelo site pela primeira vez. Na igreja havia apenas dez pessoas: Padre Valdevan, o celebrante, um sacristão, uma cantora do coral, quatro pessoas da liturgia e três da equipe de transmissão.


Durante a celebração passava de uma centena de pessoas que assistiam a Missa ao vivo pelo site, e várias outras pessoas pelo celular, que segundo Roberto Barros, criador do site, não tem como contar. É a modernidade chegando aos confins do interior, através da maravilhosa ferramenta da internet.


Parafraseando um famoso slogan da Rádio Jornal, não é Pernambuco, mas é “Capoeiras falando para o mundo”.


*Brasão da Paróquia de São José de Capoeiras.
**Acesse aqui e entre no site da Paróquia e aqui para o Google Play para baixar o aplicativo.

JORNALISTA SUGERE DERRUBADA DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA


Por Mário Sérgio Conti

Bolsonaro é um bobo alegre e perigoso. Não liga para a lógica e a coerência. Despreza os fatos, o real, a verdade. Não tem compromisso com os brasileiros. Como foi eleito, se acha no direito de arrotar absurdos. Mas não se é presidente impunemente.
Em 15 de janeiro de 1793, um advogado de 25 anos, autor de um poema épico-libertino que açoitava a corte de Versalhes, associou o exercício do poder não apenas à responsabilidade — mas ao dolo, à culpa e à condenação. Chamava-se Louis Antoine Léon de Saint-Just.
Na notável peça oratória com a qual acusou Luis 16 de ser inimigo do povo, ele tonitruou: “Não se pode reinar inocentemente: a loucura é demasiado evidente”.
O jovem de traços finos não deu chance ao meio-termo: “Esse homem deve reinar ou morrer”. Foram 361 os deputados da Convenção que concordaram com Saint-Just. A cabeça do rei rolou uma semana depois.
Como os tempos são outros, a invectiva do Arcanjo da Revolução deve ser suavizada: a loucura de Bolsonaro é demasiado evidente, esse homem deve governar ou ser derrubado. Não se pode permitir que sabote o combate à pandemia, que aumente a dor e a desordem.
Não se trata só da sua estupidez. Seu governo ineficaz transformou-se num inimigo. Veja-se o ministro da Saúde. Ao invés de dizer se o confinamento é necessário ou não, fez média. Mas empostou a voz, deu-se ares de sumidade e fugiu das perguntas de repórteres. Revelou-se um politiqueiro pomposo e servil.
No aspecto prático, foi pior. Os equipamentos que prometeu não chegaram aos hospitais: alegou que não recebera os endereços. Não apresenta números que possam orientar o combate à propagação do vírus. É prolixo e opaco.
No Ministério da Economia, o tagarela de todas as tevês emudeceu. Ele nem sequer alinhavou meia dúzia de medidas imprescindíveis. Não tem ideia de como fará chegar algum dinheiro aos desafortunados.
Numa situação de emergência, seus dogmas ideológicos o paralisam.
Mandetta e Guedes são os bumbos da charanga regida por um ignorante que crê piamente em remédios não testados. Que acha melhor que “uns velhinhos” morram a ele mesmo se aplicar e trabalhar. Que opõe questões sanitárias à economia sem saber o que são uma e outra.
O resultado é o que se vê. Ausência de testes para detectar o vírus. Falta de UTIs e ventiladores pulmonares. Governadores a favor do confinamento e outros contra. Comerciantes sem saber se abrem ou fecham suas lojas. Panelaços contra o presidente e carreatas a seu favor.
Há mais. Um ministro senil que rompe a quarentena. Pastores argentários que promovem cultos de massa nos quais extorquem o dízimo.
Traficantes e milícias decretando toque de recolher em favelas. Saques aqui e ali. Boatos, baderna, vale-tudo.
A anarquia aumentará à medida que a Covid-19 congestione hospitais. O pico da pandemia tende a pegar o país pela proa, abatendo-o sabe-se lá por quanto tempo. É preciso fazer algo —dizem todos. Mas o quê?
Saint-Just, que, além de resoluto era realista, talvez tenha algo a nos dizer. “Não há grandes homens, só há grandes conflitos”, escreveu.
E ainda: “A força das coisas nos conduziu talvez a resultados nos quais não havíamos pensado”. E arrematou: “Ousem!”.
Não há o que esperar de Bolsonaro e sua tropa de néscios, da horda de odiosos que ele atiça. Mas é preciso lhes opor os argumentos da ciência e da solidariedade. Contra a força das coisas, a força da razão virtuosa. Política não é chicana, é rigidez contra o mal.
Ainda que hoje a política esteja reduzida à retórica. Ao contrário de Saint-Just, vivemos dias de anomia. Ele dizia não haver barulho mais belo do que o de um povo que discute e delibera o seu destino. E nós aqui, encerrados em bolhas virtuais, falando a língua das panelas. Ousar como?
Estamos em boa medida na dependência daqueles que detêm poder factual e prático. Ou seja, da elite — seja ela econômica, parlamentar, científica, institucional, midiática ou jurídica.
Dado o prontuário histórico dos mandachuvas do Brasil, dá vontade de chorar. Tanto que pululam os que querem lucrar com a crise; os demagogos impenitentes; os atravessadores desabusados; os pilantras sem pejo. Mas a força das coisas não é unívoca nem unilateral.
Há gente séria e empenhada despontando. Cientistas que pesquisam e buscam saídas. Médicas e enfermeiras que vivem dias macabros. Políticos tradicionais que se insurgem contra os palermas do Planalto. Que eles ousem tirar o problema Bolsonaro do caminho.
* Mário Sérgio Conti é um jornalista renomado, autor do livro "Notícias do Planalto", sobre a ascensão e queda de Fernando Collor. 
*Reproduzido da Folha de São Paulo, via blog de Magno Martins. 
**Foto de Mário Sérgio Conti: Jair Magri