domingo, 10 de fevereiro de 2019

O SOCIÓLOGO E O PEIXEIRO


Por Junior Almeida

O Mestre Ariano Suassuna conta-nos que certa vez um sociólogo foi à sua Taperoá, na Paraíba, para realizar uma pesquisa sociocultural. Queria medir o conhecimento do homem do povo naquela região. Encontrou um vendedor de peixes com seu balaio cheio de tilápias, curimatãs, tucunarés, caraopepas e traíras. Passou a entrevistá-lo:


-O Senhor sabe onde fica o Distrito Federal?

-Não sei não, senhor. Respondeu o peixeiro.

-O senhor sabe a cotação do dólar? Quis saber o sociólogo.

-Nem sei o que é dólar, nem sei o que é cotação. Respondeu.

-Então o senhor é um ignorante mesmo, não é? Disse o deselegante letrado.

O vendedor de peixes não se deu por vencido. Puxou do balaio uma tilápia e perguntou:

-O Senhor sabe que peixe é este?

-Não sei. Respondeu o sociólogo entrevistador.

- O Senhor sabe que peixe é este? Perguntou o vendedor exibindo uma curimatã.

-Não sei. Disse o sociólogo.

- O Senhor sabe que peixe é este? Perguntou pela terceira vez o peixeiro, agora exibindo um tucunaré.

-Não sei. De novo respondeu o sociólogo.

-Pois é, seu moço. Disse o vendedor.

-Cada “quá” com sua ignorância. Concluiu.


*Do livro "Na Sombra do Umbuzeiro: História da Paróquia de São Sebastião do Umbuzeiro", do Padre João Jorge Rietveld.

Nenhum comentário:

Postar um comentário