Governo do Estado

Governo do Estado
Governo do Estado

quarta-feira, 3 de maio de 2017

MORRE O EX-DEPUTADO MAURÍLIO FERREIRA LIMA

O ex-deputado Maurílio Figueira de Ferreira Lima, 76 anos, faleceu nessa madrugada de quarta-feira, vítima de problemas coronarianos, doença relacionada ao músculo cardíaco. Ele estava internado há 60 dias em um hospital particular do Recife. O velório do parlamentar será no Cemitério Morada da Paz, em Paulista, a partir das 13h.

O corpo do ex-deputado será cremado às 19h. Natural de Limoeiro, no Agreste, ele nasceu em 29 de setembro de 1940. Formou-se em Ciências Jurídicas na Faculdade de Direito da Universidade do Brasil, atual Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), mas iniciou seus estudos na Faculdade de Direito do Recife. Ele deixou dois filhos e cinco netos.

Na política, Maurílio Ferreira Lima foi oficial e chefe de gabinete do ex-governador Miguel Arraes (PSB) além de exercer mandatos como deputado estadual e federal pelo MDB e, posteriormente, pelo PMDB. Teve o seu auge na época da ditadura quando se opunha aos governantes. Acabou cassado pela AI-5 em 1968 e exilado na Argélia. Retornou ao Brasil em 1979. (Fonte: Diário de Pernambuco).

PESAR - O senador Armando Monteiro (PTB) enviou ao blog a seguinte nota de pesar, pela morte de Maurílio:

É com consternação e profundo pesar que registro o falecimento do ex-deputado Maurílio Ferreira Lima. Combativo e corajoso, Maurílio teve papel de grande destaque na luta pela redemocratização durante o regime autoritário. Esse pernambucano de Limoeiro deixa um legado de retidão e dignidade, construído durante toda a sua longa trajetória como homem público.

Maurílio fará muita falta a todos os que, como eu, puderam conviver com ele não só como político, mas também conheceram sua dimensão humana. Formulo votos de solidariedade a sua família nesse doloroso momento.

Senador Armando Monteiro (PTB-PE)

O deputado Tadeu Alencar (PSB) também enviou mensagem lamentando a morte do político pernambucano:

"Com o desaparecimento do ex-deputado Maurílio Ferreira Lima, Pernambuco e o Brasil perdem um homem combativo, de posições firmes e com singular poder de compreensão da realidade nacional. Maurílio deixa um legado de lutas pela liberdade, de resistência à ditadura militar e de profunda dedicação a sua gente. Externo aqui meus votos de pesar e solidariedade à dor de seus amigos e familiares".

Um comentário:

  1. COM A CLT DO PT, COM PELO MENOS SEUS 80 ANOS DE EXISTÊNCIA, UM ÓTIMO FUNCIONÁRIO PÚBLICO DO BANCO DO BRASIL, POR EXEMPLO, COM UM TAMBÉM FUNCIONÁRIO DO BANCO DO BRASIL, DE PÉSSIMO DESEMPENHO EXERCENDO AS MESMAS FUNÇÕES GANHAM UM MESMO VALOR E O PIOR: O PATRÃO(GOVERNO), SE BOTAR O PREGUIÇOSO PRA FORA, PENSE NO ROLO QUE DÁ!!!

    COM A NOVA LEI, ESSES MESMOS DOIS FUNCIONÁRIO DE FERREIRA COSTA, SE TRABALHAR NAQUELA EMPRESA, POR EXEMPLO, A EMPRESA JOGA O PREGUIÇOSO IMPRODUTIVO NO OLHO DA RUA E, FERREIRA COSTA NÃO SERÁ CONDENADA EM NADA POR ESSA JUSTIÇA TRABALHISTA PENDENGA, ATRASADA E CARCOMIDA.

    P.S1.: - Por que nos Estados Unidos, nunca faltam trabalho pra ninguém do mundo inteiro?!?!?! Porque quem é bom se estabelece, mas quem é burro e preguiçoso que venha pro Brasil faça um concurso público e seja funcionário do Governo, para viver coçando o saco e se aposenta com 30 anos de serviços pelo TOPO. Existe(agora, existia) aposentadoria desse coçador de saco acima de cem mil reais... Mas não é por ano, não!!! É POR MÊS!!! ISSO MESMO, MAIS DE 100 MIL REAIS POR MÊS, AGORA PARA O TRABALHADOR DE FERREIRA COSTA(EMPRESA PRIVADA), ESSE MESMO FUNCIONÁRIO SE GANHAR 100 MIL POR MÊS SE APOSENTA COM O TETO DO INSS QUE HOJE É DE
    5.332,OO(cinco mil trezentos e trinta e dois reais). Agora tá tudo igual: acabou-se em definitivo o FUNCIONÁRIO MARAJÁ DO COLLOR DE MELLO.

    P.S2.: - Nos Estados Unidos o trabalhador discute seus bons serviços diretamente com o dono da empresa se for bom a empresa valoriza se não prestar bota no oco da rua. A LEI DE MICHEL TEMER BOTOU PRA "FUDER" NO PREGUIÇOSO, NO PELEGO, INCOMPETENTE E NO COÇADOR DE SACO...



    ResponderExcluir

Bienal

Bienal