GOVERNO DE PERNAMBUCO

GOVERNO DE PERNAMBUCO
Presença do Governo no Agreste Meridional

Natal de Garanhuns

Natal de Garanhuns
A Magia do Natal

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

ÁLVARO DIZ QUE GOVERNO DO ESTADO CHEGOU AO LIMITE

“O Governo Paulo Câmara deu evidências de que já chegou ao limite no que se refere à capacidade de combater a violência”. A afirmação foi feita na tarde desta segunda-feira (20.02) pelo deputado Álvaro Porto (PSD) na Assembleia Legislativa. Para o deputado, além dos altos índices de criminalidade que indicam o descontrole da violência, discursos e condutas oficiais atestam a fragilidade das políticas para o setor. “O Governo expõe dados sobre os milhões investidos, fala em contratações de pessoal e diz estar totalmente mobilizado para em resolver a questão. Porém, se há um esforço máximo e a violência só avança, conclui-se que há um claro limite na atuação da Secretaria Estadual de Defesa Social. A capacidade de ação do Governo se esgotou”, afirmou.

Para o deputado, o confronto entre a visão que o Estado tem do problema e a criminalidade galopante revela ainda que enquanto o Governo fracassa, a população é penalizada. “As evidências da incapacidade da gestão de Paulo Câmara em combater à criminalidade não está apenas nos números e nos fatos relatados em TVs, blogs e jornais. O principal termômetro é o pavor de quem não consegue mais viver sem sobressaltos. O temor é tão grande que as pessoas estão abrindo mão de brincar o carnaval. Isso mesmo: a violência já impede que o pernambucano fuja da principal festa do Estado, uma das nossas maiores paixões”, disse, se referindo à pesquisa divulgada no último sábado (18.02) pelo Instituto Maurício de Nassau que aponta que mais de 50% dos recifenses estão temerosos de encarar a folia de Momo.

Porto voltou a afirmar que o governador deve chamar para si o comando das políticas do setor e “não ficar afirmando por aí que a situação está desconfortável”. Foi este adjetivo usado por Câmara, em entrevista, para definir os altos números da violência no estado. No discurso, o deputado destacou que não dá para considerar apenas desconfortável o fato de Pernambuco ter registrado, em janeiro, 479 assassinatos. “Trata-se  do maior índice dos últimos dez anos, segundo a própria Secretaria de Defesa Social”, disse. “Do mesmo modo, não se pode banalizar os 148 estupros a mulheres, verificados também em janeiro. Este total, há que se salientar, aponta para uma média de cinco mulheres estupradas por dia no Estado”. Porto lembrou ainda que o roubo de celulares cresceu 47% entre 2015 e 2016, passando de 37 mil e 600 para 54 mil casos. E que mais de 500 assaltos ônibus observados apenas nos dois primeiros meses de 2017.


SEM RUMO  – O deputado registrou ainda que a troca de comando das polícias, promovida, segundo ele, na calada da noite, é mais um atestado da falta de rumo do Governo. “Há tempo que os fatos revelam que faltam estudo, estratégia, diálogo e humildade para se aprender com erros. E esses elementos, como se sabe, não sairão por osmose das polícias. Têm que partir de políticas adotadas pelo Palácio do Campos das Princesas para o setor. E isso, infelizmente, não vemos acontecer”.

3 comentários:

  1. Como a coisa está seria! Esse pronunciamento do deputado data de 20/02/2017, já nas primeiras horas de hoje dia 21/02/2017, por volta 03h aconteceu os que todos já sabem, a Av. Recife e adjacentes foram tomadas de assalto por vários bandidos fortemente armados, noticiado ao vivo pela rádio Jornal Recife. O que chama atenção mais ainda é a teimosia do governador em insistir com esse programa Pacto Pela Vida, essa metodologia de segurança vem se mostrando ineficaz, tem que mudar, mudar a forma e não o comando, se a forma estar errada, não adianta mudar o comando, vai continuar dando errado, outra coisa, se o estado não tem recursos pra manter serviços essenciais para população, por que manter programas sem necessidades? Escoando recursos importantes que poderia muito bem ir para segurança, por exemplo: Programas MÃE CUJA, que só serve para abrigar apadrinhados políticos(burguesinhas); Campanhas Publicitarias o tempo todo no Rádio e TV, com intuito de tira o foco da realidade(mentindo); Contratando pessoas sem concursos o tempo todo, preparando a reeleição, ou seja, o estado tem dinheiro, principalmente para atender os interesses pessoal do governador e seus aliados, mas não tem dinheiro para equipar e motivar os policias a trabalharem com afinco no combate a criminalidade, sem contar a besteira que fez em jogar uma categoria contra a outra, aumento diferenciados, Polícia Civil um valor, Polícia militar outro valor. Governador! Governe para todos! Governe com sabedoria, unindo os servidores e não os dividindo, governo sem servidor, é governo isolado, não faz nada. Independe o estado do servido, sejam efetivo, contratado, terceirizado, todos tem que ter os justos salários, sem discrepâncias, unidos, trabalhando com vontade, satisfeito, alegres, mas o PSB é mestre em fazer justamente o contrario, tem prazer em jogar um contra o outro, uma categoria contra a outra, perseguir, dar esmolas uma categoria, e gordos salários a outra. Agora colha os frutos do seu plantio ou beba do seu próprio veneno.

    ResponderExcluir
  2. ESSE GOVERNADOR DEVERIA ENTREGA O ESTADO A QUEM PODERIA FAZER ALGUMA COISA NESSE DOIS ÚLTIMOS ANOS , E VOLTA PARA ONDE ELE NEM DEVERIA TER SAÍDO. ESTAMOS VENDO UM ESTADO DESGOVERNÁVEL, ESTÁ CADA DIA PIOR, E INFELIZMENTE ESSE GOVERNADOR NÃO DISSE AINDA PRA QUE VEIO.

    CICERO FELIPE - HELIÓPOLIS- GARANHUNS

    ResponderExcluir
  3. 0s melhores discursos são das oposições que anteontem e ontem eram governo e hoje agem como se não soubessem de nada e não fossem responsáveis por nada.

    Foram 8 anos de PSDB e 8 anos de PT e as polícias aguardam a votação da PEC 300 e até hoje nada.As polícias são Estaduais,mas quem paga os salários das mesmas são as transferências federais.

    A municipalização da Educação e da Saúde foi bem vinda com a melhoria da Saúde e da Educação.Senão nenhuma das prefeituras e dos governos estaduais pagavam os pisos salariais.

    Da mesma forma deveria ser as polícias estaduais.A questão da segurança pública se chama dinheiro,salários justos e equipamentos para se trabalhar para enfrentar as quadrilhas sofisticadas e preparadas.

    O assalto a prestadora de serviço em Recife foi cinematográfico que testou o Estado para ver se tem armas de grosso calibre para enfrentar os homens ricos e inteligentes que estão roubando e arrombando os caixas eletrônicos e os bancos com suas asseguradoras.

    Nunca foi uma tarefa fácil enfrentar as crises que o país passa.Todos nós criticamos uns aos outros,mas quando era governo a nível federal com o PSDB não foi resolvido, quando se foi governo com o PT também não foi resolvido.

    Os ex-governadores enfrentaram situações piores e idênticas as de hoje.O diferencial é que antes ninguém sabia de nada,hoje a gente sabe,ninguém tinha nada registrado hoje a gente tem. A busca de informações do passado faz o administrador tirar conclusões.

    Alguns falam os conselhos da paz já era,o pacto pela vida já era,que nada,tudo faz parte de um passado e de um presente.

    Ninguém consegue fazer segurança total ,tudo é feito parcialmente para tentar encarar os bandidos sofisticados,formados,planejados,com radares e telefones sofisticados,com câmaras e tecnologias avançadas enquanto que as polícias ainda se arrastando e empurrando as viaturas.

    Passou Marco Maciel e Roberto Magalhães,Miguel Arraes e Jarbas Vasconcelos e Mendonça Filho e Eduardo Campos e hoje Paulo Câmara e muita coisa não progrediu foi nada.

    Governos sejam municipais ou estaduais e federal não devem e não podem ter medo de enfrentar quadrilhas de bandidos por mais sofisticada que sejam .É preciso primeiro pagar bem a essas polícias porque sem soldos elas ficam desanimadas e afastadas das ruas e das praças e é o que eles querem.

    Que o governador precisa ter coragem ao lado de seu efetivo policial confiável claro que sim.Mãos a obra, força e coragem!

    ResponderExcluir