sábado, 18 de junho de 2011

DOM MOURA: 70% DAS VÍTIMAS SÃO MOTOQUEIROS

Com base em informações fornecidas pela Secretaria de Saúde do Estado e Hospital Regional Dom Moura, a Quinta Geres – Gerência Regional de Saúde – sediada em Garanhuns, fez a constatação que cerca de 70% dos pacientes vítimas de acidentes que dão entrada no HRDM, estavam em uma motocicleta quando se feriram. Com base nesses dados alarmantes, o Gestor daquela instituição, Dr. Elenilson Liberato (foto), vem estudando a possibilidade de contactar órgãos de trânsito e concessionárias de motos em nossa região agreste com o objetivo de conjuntamente realizar ações educativas e preventivas. De acordo com o médico, “Os acidentes envolvendo motocicletas crescem assustadoramente e a população sente o reflexo diariamente, com a perda de vidas jovens ou em alguns casos, a incapacitação permanente desses condutores”. Ainda de acordo com o Dr. Elenilson, que também atua como Diretor Médico do Dom Moura, “O consumo de bebidas alcoólicas associada à falta de bom senso desses acidentados, que não discernem o perigo a que se expõem, vem causando também enormes prejuízos ao cofres públicos do estado, já que as vítimas passam a superlotar unidades de saúde, como o HRDM, inviabilizando ou mesmo dificultado o atendimento a outros casos também de risco”. E complementa: “Os acidentes estão ligados principalmente a imprudência dos condutores nas ruas”. Além da gravidade dessa informação, constatou-se também que cerca de 70% dos motociclistas acidentados que deram entrada no HRDM não tem habilitação para condução desse tipo de veículo. (Texto de Marcelo Jorge).

5 comentários:

  1. NÃO sei em Garanhuns, mas aqui em Recife, motoqueiros agem como marginais, no sentido de maus elementos. NÃO respeitam carros nem pedestres. Cortam pela direita, pela esquerda, espremem-se entre dois ou três carros etc. Arranham os carros e vão embora "numa boa". Aqui e acolá encontro um morto no chão. Sendo levado pelo Serviço de Verificação de Óbitos. Ou ferido sendo socorrido pelo Samu. Mas isso não serve de lição para eles. Pois os outros motoqueiros passam, olham a cena e partem em alta velocidade. Cometendo todas as irresponsabilidades a que se julgam com direito. 2. E os estados são responsáveis por esse caos nos hospitais. Por que os estados não cumprem a sua obrigação, sendo severos na fiscalização. Isto é, ao pegar sem habilitação, apreender a moto e não entregar a nenhuma pessoa habilitada. Até que o irresponsável faça curso de capacitação e passe por outros testes, inclusive psicotécnico, para provar que pode pilotar motos, sem expor os semelhantes a riscos. NEM ocupar os leitos dos hospitais, que já são precários para atender a tanta gente trabalhadora e mal remunerada. Então, os estados e a Nação, são coniventes com essas ilicitudes reinantes e explícitas./.

    ResponderExcluir
  2. Lamentável que um rapáz tão inteligente como esse Marcelo Jorge se passse para prestar informação de um hospítal dirigido por corruptos, muito lamentável!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  3. Esse Blog tá muito babão.............

    ResponderExcluir
  4. PARABÉNS POR ABORDAR UM ASSUNTO RELEVANTE E ASSUSTADOR.


    É uma questão de utilidade pública gravíssimo.

    Em todas as cidades os acidentes de motos assustam e muito.

    Álcool, imprudência, irresponsabilidade, falta de atenção, velocidade em excesso, falta de conhecimento das regras de trânsito, falta de policiamento, capacetes, exibição em cima da moto, egocentrismo,enfim, são tantos os fatores que, o quadro mostrado acima é estarrecedor.


    E as autoridades públicas o que estão fazendo? Muito pouco.

    E a Escola o que está fazendo? Quase nada.

    E os pais o que estão fazendo? Indiferente.

    Enfim, o descaso é muito grande.

    Com isso os acidentes aumentam assustadoramente e preocupa muito os médicos que vêem tudo isso acontecer e são pouco ouvidos pela população em geral.

    Está na hora de a Imprensa escrita, falada, televiosionada e os Blogs insistirem numa Campanha Educativa para esses jovens que estão morrendo a mingua e aos montões!!!

    Que tristeza, é de dar dó.Todos nós estamos chorando e muito.

    ResponderExcluir
  5. Interessante é que colocam a culpa nos que andam de motocicleta, que são imprudentes e coisa e tal, mas ao trafegar em garanhuns constatem tambem a imprudencia de varios motoristas que por estarem em seus carros acham que são os donos do transito, o engraçado é que usar a seta sugere um ato simples, básico, primário para qualquer motorista e de fato é. Mas quem já não presenciou a situação de um motorista vindo todo tranquilo pela rua e, subitamente, pisa no freio e vira para algum lado sem aviso prévio, como se atrás dele trafegasse um saco de plumas. Além de perigosa, a atitude também colabora para deixar nosso trânsito ainda mais devagar, como se o trânsito de Garanhuns já não estivesse um caos, isto tambem gera nos motociclistas medo pois não se sabe se o carro da frente vai continuar, ou vai para a direita o esquerda.
    Fica a dica para os motoristas usem setas para indicar que vão entrar ANTES DE FAZÊ-LO, e não quando ja estão virando.
    Como utilizar a seta?
    Sim, parece brincadeira, mas muitos motoristas não sabem utilizar a seta. Quando você tiver a intenção de mudar para a faixa da direita, ou for virar para a rua a direita, basta levantar a alavanca que fica do lado esquerdo do volante, e uma luz vai começar a pistar.
    Da mesma forma, se a intenção for mudar para a faixa da esquerda, ou entrar numa rua à sua esquerda, basta abaixar a alavanca e sua ação também será sinalizada por uma luz piscante.


    Mitos
    Para quem ficou assustado ao ler os ítens anteriores, posto aqui alguns mitos a respeito da SETA:
    dar a seta não consome bateria;
    dar a seta não dói
    dar a seta não é careta
    dar a seta não é só para quem não sabe dirigir (muito pelo contrário).
    A seta não serve para o próprio motorista que a utiliza, mas sim, para alertar aos demais, portanto, se você acha que está cercado de motoristas ruins a sua volta, utilize a seta e eles saberão o que pretende fazer. Isso diminiu em grande parte o índice de barbeiragem que assola a o transito de Garanhuns.

    ResponderExcluir