SECRETARIA DE SAÚDE DO ESTADO

VALE A PENA ASSISTIR O FILME "PARASITA"



"Parasita", uma realização da Coreia do Sul, é um filmaço, tendo recebido quatro estatuetas na premiação do Oscar 2020, à frente de produções americanas e europeias.

No longa, de 2019, portanto bem atual, o diretor  Bong Joon-ho discute a realidade sul coreana, mostrando os contrastes entre os muito ricos e os extremamente pobres.

Direção e roteiro impecáveis, ótimos atores, boa trilha sonora, uma história bem contada e uma visão universal das disparidades sociais fazem de "Parasita" uma obra de arte difícil de esquecer.

Uma família pobre se infiltra aos poucos na casa de pessoas de classe média alta. A princípio, com seu oportunismo, charlatanismo, parecem ser eles os parasitas do título.

Mas os ricos, superficiais, preguiçosos, exploradores, egoístas, podem ser os verdadeiros sanguessugas. Cabe talvez ao expectador escolher de que lado ficar, ou repudiar todos.

O cineasta que realizou o filme não perdoa ninguém: traça um retrato duro, cruel, tanto dos abastados quanto dos pobretões.

Mesmo tratando de questões tão ásperas, "Parasita" não resvala para o intelectualismo, não é difícil de compreender, em nenhum momento é enfadonho.  Mantém o ritmo do começo ao fim, prendendo a atenção do expectador.

História, que se passa na Coreia do Sul, poderia acontecer no Brasil, nos Estados Unidos ou em qualquer país em que o capitalismo produz famílias muito ricas e outras miseráveis.

Filme, porém,  não tem ranço ideológico, não se prende a cartilhas de partidos políticos ou filosofias à esquerda.

É cinema mesmo, de primeira qualidade, retratando a realidade não com objetivo de fazer proselitismo e sim atendendo aos princípios estéticos da verdadeira arte.

"Parasita" não está na Netflix nem na Globoplay. Mas você pode conferir o filme baixando na internet, acessando pelo aplicativo Stremio ou, melhor ainda, assistindo numa das sessões do Cine Eldorado Garanhuns. 

Vale a pena!

Um comentário:

  1. Um dos piores filmes que eu já vi na vida. Uma história Chata, Com eventos grotescos insinuando que a pobreza é sempre justificativa para mau caratismo. Nada mais nada menos do que um Cidade de Deus sul coreano! Ridículo! A prova que esses prêmios internacionais como o Oscar, Nobel estão vendidos a vagabundos que não deixam nada a dever a qualquer traficante escroto de bocas de fumo em favelas do Rio de Janeiro!

    ResponderExcluir