ALEPE

ALEPE
ALEPE

GOVERNO DO ESTADO

GOVERNO DO ESTADO
GOVERNO DE PERNAMBUCO - FUNDARPE

sábado, 16 de abril de 2016

RADIOLA DE FICHA E A MÚSICA BREGA

Marcos Cardoso, no programa “Radiola de Ficha”, resgatou hoje o nome do cantor Roberto Muller (foto), que fez muito sucesso nos anos 60 com músicas bregas como “Entre Espumas”, “Castiga-me” e “Dois lençóis na Cama”.

Roberto Muller é natural do Piauí e o Governo do seu Estado, tempos atrás,  publicou um livro didático que dava o artista como morto.

Quando um amigo mostrou ao cantor a informação, ele não teve dúvidas: processou o Estado, confessando que sua agenda de shows tinha caído muito e isso certamente tinha a ver com a invenção sobre sua morte.

Em 2010, já depois dessa mancada do Governo do Piauí, Muller teve um AVC, no Recife, e foi internado no Hospital da Restauração.

Segundo Marcos Cardoso disse em seu programa o cantor está numa cadeira de rodas, mas mesmo assim ainda faz shows pelo Brasil. Completou em fevereiro passado 79 anos.

O programa Radiola de Ficha é um fenômeno popular em Garanhuns e região por resgatar grandes nomes da música brega.

Esses artistas não têm mais vez na grande mídia e principalmente na televisão, especialmente na TV Globo.

Mas cantores como Aguinaldo Timóteo, Amado Batista, Paulo Sérgio, Odair José, José Ribeiro, José Augusto, Reginaldo Rossi, Fernando Mendes, Roberta Miranda, Diana, Waldick Soriano sempre tiveram um grande público e ainda hoje são lembrados com carinho.

Esses cantores sempre foram esnobados pela crítica especializada e pela intelectualidade.

Coube ao jornalista e escritor Paulo César Araújo, autor  da biografia Roberto Carlos em Detalhes, censurado pelo “rei”, lançar um livro - Eu Não Sou Cachorro Não - mostrando o valor dos chamados bregas.

Um artista intelectualizado que nunca teve preconceitos contra os bregas foi Caetano Veloso, que fez show junto com Odair José e regravou sucessos de Fernando Mendes e Peninha, inclusive com grande êxito.

Zeca Baleiro, que o ano passado produziu um disco de Vanusa (leia matéria abaixo), também valoriza os bregas, vítimas de diversos tipos de preconceito. O maranhense já cantou com Odair José e compôs uma música em sua homenagem. Também regravou antigos sucessos de Luiz Ayrão, Benito de Paula, Roberto Carlos e do sambista Martinho da Vila, mostrando o quanto é eclético.

Quem também fez um senhor tributo ao brega foi a atriz Patrícia Pillar. Ela produziu e dirigiu um documentário contando a vida de Valdick Soriano. É um relato emocionante de um cantor que teve bons momentos em sua carreira e chegou ao fim da vida pobre e esquecido pelos fãs.

O êxito de “Radiola de Ficha”, assim, tem uma explicação. O programa não é uma simples brincadeira. É uma trincheira de resistência de um tipo de cultura popular que é achincalhado pela mídia e pela intelectualidade.

Um comentário:

  1. As palavras citadas acima mostraM realmente uma realidade e faz jus as velhas canções românticas que alegram,fortalecem e enriquecem o espírito dos mais velhos e educam aos mais novos a dar valor as belas artes e as culturas produzidas pelos talentos dos grandes cantores brasileiro.

    A Rádio MaranoFM de Garanhuns de propriedade da Família do Dr."TINOCO" que foi Médico dos meus pais por muitos anos e teve uma passagem brilhante como político representando a Suíça pernambucana em Brasília e que tem no Marcos Cardoso um grande comunicador trazendo sempre fatos e fenômenos aos ouvintes do Agreste Meridional,de Pernambuco,do Nordeste e do Brasil.

    Parabéns,pelo belo texto escrito!

    PROFESSOR ZECA BARBOSA -LAGOA DO OURO -PE.

    ResponderExcluir