ALEPE

ALEPE
ALEPE

GOVERNO DO ESTADO

GOVERNO DO ESTADO
GOVERNO DE PERNAMBUCO - FUNDARPE

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

UM DISCUSSÃO NECESSÁRIA SOBRE O PROJETO DE DUPLICAÇÃO DA BR-423


Do garanhuense Eraldo Ferreira dos Santos, o Eraldo do PT:

Recentemente tivemos a oportunidade de participar de uma audiência pública, aqui em Garanhuns, para tratar de um assunto extremamente importante para o desenvolvimento da nossa cidade e região. A discussão foi em torno do projeto de duplicação da BR-423.

Já no finalzinho da audiência, nos chamou a atenção a intervenção do Sr. José Sales da Silva sobre o tema que estava sendo debatido.

É público e notório o esforço desenvolvido por governantes municipais e populações em várias partes do País, no sentido de retirar de dentro das suas cidades as rodovias sejam elas Federais ou Estaduais, em decorrência dos transtornos ocasionados pelo trafego de caminhões e carretas.

É natural que estejamos todos deslumbrados pela perspectiva do Investimento de 500 milhões e dos benefícios decorrentes desta obra de infra-estrutura do Governo Federal.

Em tempo quero parabenizar o Sr. Sales pela sutil, porém importante observação. Foi então que comecei a questionar e analisar alguns, aspectos importantes.

1 - “Estamos navegando na contramão da história, até mesmo daquilo que está por ocorrer na região metropolitana do Recife” um anel viário ligando a  BR 101 norte à Br 101 sul.

2 -  Nós vamos colocar carretas e caminhões pesados dia e noite provocando  "ruído, fuligem e tudo mais " na cabeça dos pacientes da UPA ?

3 - recentemente tive a oportunidade de passar por Vitória da Conquista que investiu pesado para tirar a Br 116 de dentro da cidade, outro exemplo é Vitória de Santo Antão.  A cidade de Picos no Piauí daria tudo para tirar a Br do seu perímetro urbano, assim como Abreu e Lima, Paulista, Cabo de Santo Agostinho, e até o Recife.

4- Ainda recentemente o Governo Federal Torrou 12 milhões de reais para conter uma erosão aqui dentro da cidade bem ali próximo a UPA, diga-se de passagem, que aquela obra todo dia cede um pouquinho, então como é que vamos passar com uma duplicação ali em cima.

5 - A pergunta futurista, porque não fazer uma LIGAÇÃO A PARTIR DO TREVO DO AEROPORTO PASSANDO PELO PAPA TERRA  ATÉ  O BELAMENTE  NA BR  424  estrada que vai de Garanhuns a Caetés. 

Ainda há tempo para uma reflexão, não podemos esquecer que Garanhuns começa a se expandir na direção do Recife e adjacências.  

12 comentários:

  1. BR-432 de sao caitano, shope centro em garanhuns e copa do mundo no brasil tudo isso é historia da caroxinha

    ResponderExcluir
  2. Prezado Roberto,

    As observações são muito interessantes, podemos já somar que aquele trcho da BR logo após o 71 BI, tornou-se recentemente num vetor de crescimento da zona residencial urbana de Garanhuns e que por fatores como a propria topografia favorável à contruçoes é natural que para aquela região a cidade se expanda, sem contar com áreas já consolidadas como os bairros José Maria Dourado (Brahma) e Dom Tiago Postman tendo do outro lado da BR Heliópolis e São José. Logo esta estrada hoje existente no perímetro urbano de Garanhuns, tende a ser, em um futuro próximo, uma via expresssa do transito local, ou seja uma grande avenida.
    Concordo com sua preocupação e a do Sr. José Sales, é muito pertinente, é preciso pensar no futuro, planejar para evitar transtornos como os da cidades citadas na matéria, ainda há tempo.
    Sérgio Roberto de Melo Souto - Maceió/AL (Garanhuense sempre)

    ResponderExcluir
  3. hoje e o ultimo do mes cade a lista das casa

    ResponderExcluir
  4. JA SAIU ROBERTO A DIVULGAÇÃO DAS PESSOAS QUE FOROS COMTENPRADO COM AS CASA EU ESTOU ESPERANDO ERA ATE HOJE

    ResponderExcluir
  5. Parabés ao Sr. Sales e a Eraldo do PT por levantar essa discussão importante

    ResponderExcluir
  6. Sr. Roberto e leitores,

    isso é típico do povo de Garanhuns, em tudo vê um defeito.
    O pogresso inevitavelmente trás esse tipo de circunstância.É inverdade que, por exemplo, no caso de Vitória de Santo Antão isso tenha mudado.Ao invés de ir pela BR duplicada passe por dentro do municipio, como será aqui e veja o inferno de carros pesados que continua passando por ali.
    Recife acabou de construir a pouco o Hospital Pelópidas da Silveira e é bem na entrada da cidade recebendo em frente todo fluxo de transposte pesado.
    A cidade de Garanhuns foi mal projetada e terá que suportar esse problema se beneficiando dele e tentando amenizar seus efeitos.Não tem volta senhores(as), o progresso vem chegando e com ele atropelamentos, trânsito caótico, roubos, menores de rua,sinais de trânsito invadidos com limpadores de vidro entre outros problemas dos grandes centros.
    Não podemos querer que Garanhuns cresça sem trazer junto todas as mazelas destas grandes cidades.Garanhuns não terá a qualidade de vida que se têm hoje daqui a 10 ou 15 anos.
    E digo mais, o maior travamento de Garanhuns é seu povo.

    Gustavo
    Garanhuns-PE

    ResponderExcluir
  7. Sr. Gustavo,
    Acho que você distorceu a discussão, ou não entendeu a matéria. Entendo que o povo não tem interesse de travar o progresso da cidade, se fosse assim ninguém queria discutir este projeto, pois foi citado as cidades que estão arrependidas da estrada passar por dentro da cidade.
    Quanto a Vitória de Santo Antão, o povo queria a estrada por dentro da cidade, principalmente aqueles interessado nas gordas indenizações. O Governador Jarbas, não aceitou defendeu o projeto original, e em virtude do progresso da cidade com as indústrias se instalando as margem da rodovia BR 232. Agora a população diz que Jarbas estava certo na épca.
    Posso citar também a minha cidade que é Caicó(RN), uma cidade que tem aproximadamente 80.000 habitantes. Lá na época da construção da BR foi por dentro da cidade. Logo os problemas aparecerem, acidentes fatais, conflito de competência entre a policia estadual com a polícia rodoviária federal e foi parar no judiciário. Hoje estão construindo o rodoanel, e deve ficar pronto até o fim do ano. Existe uma expressão popular que diz o seguinte: "Nunca devemos começar, por onde os outros estão terminando". É o nosso caso, vamos ficar calados, mesmo com tantos exemplos?
    É bom que fique claro que uma obra desta magnitude será bem vinda de qualquer jeito. O Governador necessariamente não precisava ouvir o povo, mas já que ele(o governador) abriu a discussão em uma audiência publica, é porque ele quer ouvir a opinião da sociedade organizada, e nós como cidadãos, não devemos nos omitir. Sabemos perfeitamente que se o rodoanel não sair neste projeto, vai sair depois, pois conhecemos de muito perto o nosso prefeito e ele gosta do progresso e das coisas boas e bem feita, e irá lutar pelo rodoanel.
    Sales/Garanhuns.

    ResponderExcluir
  8. Moro no Bairro José Maria Dourado, quando saímos de casa e temos que atravessar a BR, praticamente não sabemos se voltamos. São carros que invadem o acostamento para tentar ultrapassar caminhões, sem contar que quando houve a reforma na entrada da cidade esqueceram que estes bairros existiam. Temos aqui no bairro, escolas igrejas, etc, que fazem com que um grande fluxo de pedestre (muitas crianças) atravessem diariamente a BR, sem mencionar o acesso com veículo que é um verdadeiro risco, uma vez que precisamos cruzar a BR para entrar no bairro. Espero que tudo isto entre em pauta porque sabemos que com a duplicação irá aumentar consideravelmente o fluxo de caminhões e carros. Lembrando que poucos motoristas reduzem a velocidade quando entram no perímetro urbano que não possuem radares nem lombadas.

    ResponderExcluir
  9. Sr. Sales,

    não discordo de suas posições, mas sou antagônico a elas.
    A BR sendo projetada da forma que está, apesar das mazelas, trás muito mais beneficios do que os rodoaneis.Lendo sobre rodoaneis é infinatamente claro que a maioria das opiniões dão conta que é a obra mais polêmica que existe e que provoca a maior mancha urbana que se pode ter.
    Dependendo do Rodoanel, ele ainda faz da cidade apenas rota de passagem e não a projeta para desenvolvimento dos pequenos e grandes empreendimentos que margeiam a BR.
    Outra questão é que ninguem se pronunciou quanto as questões levantadas aqui quando da audiência pública.
    Mas claro que os beneficios, seja como for executado o projeto, será superior aos males por ele causado.

    Gustavo
    Garanhuns-PE

    ResponderExcluir
  10. Queremos PROGRESSO com RESPONSABILIDADE.

    ResponderExcluir
  11. Se este Shopping sair do papel será um risco para toda a cidade, teremos que dividir o espaço com caminhões pesados, pois acho que será um único acesso ou um dos acessos. É uma questão de responsabilidade pública, tem que pensar no desenvolvimento futuro da cidade e dinheiro público tem que ser muito bem usado, porque depois vão querer retirar e lá se vai o dinheiro público novamente tendo que reparar obras mal pensadas e imediatistas.

    ResponderExcluir
  12. Amigo Sales,
    muito oportuna sua colocação.
    Acrescento ainda que esse assunto sobre a duplicação da BR 423 foi amplamente discutido em uma das reuniões mensais do PSB, antes do episódio " Antonio João Dourado", quando o então presidente da comissão provisória do partido, nosso companheiro e amigo Ivan Rodrigues, trouxe para Garanhuns dois engenheiros do DER para participarem da discussão. Naquela oportunidade várias colocações foram apresentadas, mas algumas tiveram maior relevância, como sendo:
    1) - que a construção da estrada duplicada não passasse no perímetro urbana da cidada, sendo desviada próximo ao acesso do aeroporto, seguindo pela região do papa terra indo encontrar a BR 424 nas proximidades do aterro sanitário, sítio belamente;
    2) - que fosse construido o anel viário de Garanhuns, como forma de desafogar o trânsito na perimetral e evitar que veículos pesados (cargas)trafeguem por dentro da cidade, causando problemas nas ruas e estourando as tubulações da Compesa;
    3) - que o canteiro de obras fosse em Garanhuns, de maneira a criar postos de trabalho no município e região;
    4) - que o posto da Polícia Rodoviária Federal fosse construido nas imideações da subestação da Celpe, próximo do acesso ao aeroporto.
    Apresentadas as colocações acima, fazemos algumas poderações para que se inicie uma ampla discussão sobre o atual projeto de duplicação da BR 423, antes do início da licitação, quais sejam:
    1) - dizer que a inclusão do anel viário impactaria a obra em 12 milhões - é o que se fala -, nos parece uma cifra irrisória diante do montante do projeto, 500 milhões;
    2) - no perímetro urbano de Garanhuns, no trecho compreendido entre a revenda da Volkswagen até o viaduto na saída oeste da cidade, com exceção de dois pequenos trechos, um no antigo posto nogueirão e outro na retífica meridional, temos um verdadeiro despenhario e de dificil contenção da erosão, como pode-se verificar na obra realizada em 2004 em frente ao executive e que hoje já se encontra em processo de grande desnível (piso abatido);
    3) - ainda no perímetro urbano temos dois locais perigosos e cauadores de acidentes (bairro da Brahma e bairro Dom Tiago Postman)que, apesar da instalação de lombadas eletrônicos não cessou o iminente perigo nas áreas;
    4) - a construção de 5 viadutos, só em Garanhuns, acreditamos que se faz desnecessário caso o projeto seja modificado e seja observada a sugestão anteriormente discutida para que a estrada passe pela região do papa terra;
    5) - a construção do Shopping deverá ser iniciada dentro em breve, ai teremos uma BR passando na porta do empreendimento causando todo tipo de problema e tornando a área bastante perigosa; e
    6) - a duplicação da BR 423 é de sua importância para Garanhuns e todo o Agreste Meridional, porém, devemos pensar nas melhores condições de vida do nosso povo.

    Marcos Regis

    ResponderExcluir