ALEPE

ALEPE
ALEPE

GOVERNO DO ESTADO

GOVERNO DO ESTADO
GOVERNO DE PERNAMBUCO - FUNDARPE

sábado, 14 de abril de 2012

O ABORTO LEGAL

O fato mais importante que aconteceu no Brasil, esta semana, possivelmente foi a decisão do Supremo Tribunal Federal de aprovar o aborto no caso de fetos sem cérebro. Um julgamento que se arrastou durante 8 anos e que dividiu as opiniões. Médicos, professores, cientistas, jornalistas, líderes feministas, políticos considerados progressistas aplaudiram os juízes do STF. Parlamentares conservadores, bispos, padres e pastores evangélicos desaprovaram a determinação do Supremo e alguns ainda falam em recorrer contra o ato da mais alta corte do país.

A partir de agora, o aborto no Brasil é legal em três casos: quando a mulher engravidar por conta de estupro, quando a gravidez coloca em risco a vida da gestante e quando o feto sofre de anencefalia (com a ausência do cérebro o futuro bebê não tem nenhuma chance de vida).

É uma decisão correta e não há argumento científico capaz de contestá-la. Os que são contra são levados pela ignorância e fanatismo religioso.

É preciso que fique bem claro uma coisa: o aborto é um crime quando praticado por uma mulher saudável, com todas as condições de ter um filho, que se sabe nascerá sem nenhum problema.

No caso de um estupro de uma menor de idade, de uma gravidez que põem em risco a vida da mulher ou de um feto com anencefalia, o crime é não interromper essa gestação.

Religiosos argumentam que só quem pode tirar a vida é Deus. Esse é um argumento atrasado e inconsistente. Se fosse levar isso ao pé da letra os médicos também não poderiam salvar homens e mulheres com os recursos que dispõem, pois estariam interferindo na vontade divina.

É preciso acreditar num Deus que deseja a vida, que intercede pelo bem. Não um ser disposto a punir, ou gerar sofrimento, impedir o progresso, como se desenha o Superior de alguns fanáticos ou pessoas agarradas a dogmas dos tempos em que não havia rádio, TV, computador, penicilina, ultra-som e tomografia.

NÚMEROS DO BLOG:

Acessos no dia 13/4 - 2.130
Visualizações dia 13  - 5.487
Visualizações de página nos últimos 30 dias - 116.936 (números do google).
Post mais lido no dia 13/4 - "Ivan Rodrigues - uma vítima do PSB de Garanhuns"
Post local mais lido na semana - "Mulheres são esquartejadas em Garanhuns"

17 comentários:

  1. Pra variar, a capa da revista VEJA desta semana vem rasgando com a bem comportada turma do PT.

    ResponderExcluir
  2. uma pessoa que se mostra tão "inteligente" devia respeitar a "vida" o aborto é uma crueldade que pode se comparar com o assustador caso de garanhuns . porque? simplismente é assassinar crianças antes até de sairem do ventre de sua mãe. já diz o salmo 138.13, Fostes vós que plasmastes as entranhas de meu corpo, vós me tecestes no seio de minha mãe.
    essa decisão é bem pior que a do rei herodes
    mateus 2.16
    Vendo, então, Herodes que tinha sido enganado pelos magos, ficou muito irado e mandou massacrar em Belém e nos seus arredores todos os meninos de dois anos para baixo, conforme o tempo exato que havia indagado dos magos.

    infelismente dessa vez as crianças não tem dois anos ou menos irão matar no ventre... país cristão??? ou país pagão???
    não sou fanático religioso sou apenas a favor da vida, respeito muito a sua brilhante carreira profissional mais não posso concordar com essa opinião pobre e infeliz. desejo a você e sua familia muita VIDA ... e antes de expressar tais opiniôes lembre-se que o DEUS que te criou, e te livrou da morte é a favor da VIDA, e só ele tem o direito de interferir na nossa jornada "que seja feita a tua vontade assim na terra como no céu" abç fk com DEUS...

    ResponderExcluir
  3. caro Roberto, acompanho sempre o seu blog, mas hoje estou profundamente decepcionado com este artigo seu. Você fala de fanatismo religioso como se a religião não fosse firmada sobre princípios morais, que refletem as verdades e valores de um povo. Nem todo mundo que é contra o aborto no caso de anencéfalos está ligado diretamente a uma "ideologia religiosa", porque como já disse, o direito à vida é algo que qualquer ser humano deve preservar, sendo religioso ou ateu. Você ainda fala que em alguns casos crime é não interromper a gestação. Como a vida é relativa pra você! Qual a diferença entre uma feto de uma casal que planejou um filho e um feto que foi gerado por estupro. Não são vidas iguais? Ou a criança torna-se menos digna? Um filho de traficante é menos humano que o filho de um empresário? Não, a vida é sempre vida em todos os casos. Não é relativa, não, jamais!!!!!! Voltando ao caso dos anencéfalos, partindo desse pressuposto do valor absoluto da vida, não seria necessário falar mais nada. É vida como outra vida. Entretanto vem o argumento de que se elas não tem cérebros são seres mortos, vegetais. Diga isso pra uma mãe de bebês anencéfalos que ela lhe dirá que não.A anencefalia não se constitui unicamente pela ausência total de cérebro, mas pela ausência parcial do encéfalo. Há vários tipos, sendo que na maioria há ainda resquícios de encéfalo.Portanto eles não são mortos, alguns ainda podem até respirar sem ajuda de aparelhos, e viver meses ou até anos. Imaginemos agora que uma mãe não queira MATAR seu filho anencéfalo. Esta criança terá direito a uma certidão de nascimento ou atestado de óbito, se o Estado a considera uma coisa morta? Tenho a certeza de que ninguém teria coragem de matar esta criança depois de ela ter nascido, porque nos acusaríamos.Então por covardia matam ela no ventre mesmo por não ter coragem de matá-a quando ela nascer.

    ResponderExcluir
  4. Também estou decepcionado com esse artigo cheio de chavões contra postura religioso contra o aborto. Acho que quem escreveu issso aí nem sequer leu uma linha do que os religiosos pensam e pasmem os religiosos estão sendo mais científicos do que os "arautos" da ciência. NO fundo essa questão da legalização do aborto no brasil não é uma questão técnica, científica, sanitária seja lá o que esses nazistas do STF e aquela ministra nazista do aborto ( acho que eleonora) O que se esconde atrás dessa legalização são as milhares de clínicas de aborto que a indústria da morte vai lucrar em cima da destruição do que ainda resta do valores cristãos do brasil... Olha o que está em jogo é algo nefasto...

    ResponderExcluir
  5. Perai, aborta e uma coisa. Fazerr justiça e outra. Eu como mulher não sou obrigada a ter um filho fruto de um estupro, gerar uam crinaça que vai morrer assim que nascer e muito menos correr risco de vida. Agora aborta por prevaricação e errado, temos q assumir o que fazemos o que somos culpado por ter acontecido. Vcs que são contra deveriam se colocar no lugar de nos mulheres.

    ResponderExcluir
  6. Não hesitaria em fazer um aborto se fosse constatado pelos médicos que o bebê não tem cérebro, da mesma forma se corresse sério risco de vida ou fosse estuprada por um desses monstros que anda aparecendo em Garanhuns. Nem por isso deixo de ser filha do meu Deus e defender sempre o bem; conheço dezenas de pessoas que frequentam a igreja da Boa Vista nos domingos sem perder uma missa e com cara de santas; são essas e esses que defendem as mesmas idéias da IGREJA MEDIEVAL são más com o próximo, um poço de ressentimento e de maldades; existe muita ignorância e hipocrisia em torno desse assunto.

    ResponderExcluir
  7. Concordo Ipsis Literis com o que o Robson Paz escreveu. E o que o gustavo falou sobre clínicas de aborto é mais óbvia verdade que ninguém fala.

    ResponderExcluir
  8. José Fernandes Costa14 de abril de 2012 19:48

    As igrejas em geral carregam a dupla moral em seu ventre. Isto é, a cantilena do "façam o que eu mando, mas não façam o que eu faço." - E ainda nos vêm com essa ladainha do "a favor da vida"! - O que fazem pastores e padres, em sua grande maioria, além de beatos e beatas, quando encontram centenas de crianças famintas nas portas dos templos e nas ruas? Crianças com os dias contados pra morrerem de desnutrição, juntamente com suas mães, que só têm a pele e os ossos! - Esses "religiosos", torcem o focinho, em sinal de repugnância! - Então, afastem esse discurso fingido, farisaico. - E pelos escritos dos que são contra a decisão do STF, nota-se que tais dissimulados NEM sabem ler uma bíblia. - Mas se metem a pregar essa moral dúbia! - Que futuro tem um recém-nascido sem cérebro? E o sofrimento de uma mãe e de toda a família que acompanham, impotentes, o desfecho da morte iminente dos que teriam o infortúnio de nascer com tal deformidade! - Ora, ora. - Parem com essa hipocrisia!/.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que dupla moral, rapazinho ? Você não sabe do que está falando! Não confunda a conduta de um ou outro padre, de um ou outro católico com a postura da IGREJA EM SI como um corpo de doutrina. A IGREJA é coerente com seus príncipios cristãos de defender o direito de existência do feto precisamente contra o poder de vida e morte da mãe. Você usa de desonestidade ao tentar difamar a igreja usando esse argumento de adolescente que leu cretinos como voltaire e acham que sabem tudo.

      Excluir
  9. Aquele que pratica aborto nunca deixará de ser filho de Deus, porque Ele ama o não-amável, diferente de nós.Entendo que para uma mulher o aborto não será uma opção fácil, mas ela não tem direito algum de matar aquele que ela não ama, só porque é fruto de estupro ou anencéfalo. Toda mulher tem o total direito de fazer o que quiser no SEU corpo, no da criança não. E por fim, a igreja não é medieval. Medieval é matar um semelhante assim como o caso do esquizofrênico daqui. talvez eu esteja sendo duro demais, mas quem pratica aborto é um assassino do mesmo jeito, só que fundamentado em uma ideologia hipócrita-relativista.

    ResponderExcluir
  10. Bem, eu sou, segundo você, ignorante e religiosamente fanático, porque eu sou TOTALMENTE CONTRA O ABORTO. Concordo com aquilo que fala o Robson Paz, o aborto é uma afronta à ética e à moral, não só a "religião", é uma afronta à natureza e à dignidade humana, que é aquilo que veementemente a Igreja defende e promove.
    Você afirma que há casos em que "o crime é não interromper essa gestação", quer dizer que deixar uma criança nascer, mesmo que ela não nasça "perfeita", não privar um ser humano do direito à vida é crime, enquanto matá-la não é? Você está sendo coerente com o quê?
    No final do seu post, você diz ainda que "É preciso acreditar num Deus que deseja a vida", e é exatamente por isso que os crentes se manifestam. Com esta frase parece que você também acredita nesse Deus, só que mais uma vez é incoerente defendendo o holocausto de inocentes. É porque Deus deseja tanto a vida, e a vida humana tem tanto valor que muitos são contra o aborto. E não venha me dar o falho argumento que sempre é dado dizendo que não é um "ser vivo" nos casos de anencefalia. Ah, e aproveitando pra corrigir "com a ausência do cérebro o futuro bebê não tem nenhuma chance de vida", há sim! Minutos, horas, dias, semanas e até meses de vida, VIDA, V-I-D-A! Que ninguém tem o direito de privá-lo!
    E você ainda diz que Deus não quer impedir o progresso, como querem os fanáticos religiosos, então o progresso é a cultura de morte, é fazer com que outros decidam (YO DECIDO) se uma pessoa deve ou não morrer? Tem certeza que Deus é a favor desse "progresso"? Acho pouco provável. Eu prefiro, pois, "ser conservador" a ser conivente com assassinatos!

    ResponderExcluir
  11. O argumento mais usado pelos detratores do aborto é a defesa da vida. Fazem de tudo para dar um tom de obrigatoriedade à medida do STF, que apenas descriminalizou o aborto em certas situações. Não sei se não sabem que sempre houve abortos no país, que as clínicas ilegais de aborto sempre lucraram com o ato e que as mulheres que precisavam fazê-lo sempre correram sérios riscos com procedimentos feitos sem segurança e higiene. Me parece que, enquanto todo aborto era ilegal e acontecia debaixo dos panos, esses cidadãos estavam hipocritamente contentes com seus dogmas não-oficialmente feridos ou, àqueles desligados de religiões, apenas moralmente contentes. Não se preocupavam com os milhares de abortos cometidos anualmente no país, tampouco em suas implicações para a vida de milhares de mulheres. Estavam calados, de braços cruzados, tranquilos por não ter que se preocupar com as vidas perdidas por debaixo dos panos. O que fizeram para defender a suposta vida dos fetos abortados e das mães que, não raro, morriam no procedimento? Estão afinal mais preocupados com vidas ou com estatísticas oficiais? Ah! E mesmo com a concessão do STF, podem ter certeza que a maioria dos abortos continuará sendo ilegal. O aborto de anencéfalos continuará sendo uma pequena fatia de um problema muito mais complexo do que podem conceber. Mas, mesmo consciente dessa realidade, não vejo ninguém falando nada das perdas de vidas que acontecem na ilegalidade. Menos hipocrisia Brasil!

    ResponderExcluir
  12. José Fernandes Costa15 de abril de 2012 12:33

    O Leandro disse muitas verdades sobre a hipocrisia desses "religiosos" de ocasião. - Será que esses "religiosos" de meia-tigela não sabem dos inúmeros abortos feitos com agulha de crochê? Como esses SEMPRE acontecem em bairros pobres, muitos são feitos em casas de parteiras, onde acerca de 500 metros ou menos, está lá uma igreja evangélica arrecadando o dinheiro minguado dos seus "fiéis". - Assim, os tais "defensores" da vida deveriam estar decepcionados com os furtos e outros atos ilícitos praticados no meio de muitos deles. - É ISSO./.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo inteiramente com o gustavo e o robson. Ess josé ffernandes quando não tem argumento fica atacando as igrejas. Ele tem que entender que corrupção acontece em todo meio. E a igreja não é imune a isso. Nem por isso as igrejas vai deixar de ter seu enorme papel civilizador.

      Excluir
  13. José Fernandes Costa16 de abril de 2012 13:35

    Mara, eu só ataco as igrejas porque todas têm rabo de palha. - Se os que fazem as igrejas seguissem o que Cristo ensinou, eu não as atacaria. - E NÃO é só corrupção que corrói as igrejas, não. - Existem outros crimes dentro delas. Além de muitos e muitos maus comportamentos dos seus representantes. - Se você não lê nada sobre religiões, é bom ler para melhor entender. - Não basta ficar decorando trechos das bíblias, NÃO. - É ISSO./.

    ResponderExcluir
  14. José fernandes tem uma visão de religião de um moleque adolescente, uma visão totalmente periférica. Ele pega a fé professada pelo frentista de posto de gasolina, da empregadinha doméstica que sai com a bíblica debaixo do braço recitando textos decorados e acha que isso é a religião. Ou pior pega os piores da igreja para definir a própria igreja e acha que isso tudo. Uma visão tacanha, mediana de quem não sabe o que fala
    O que FAZ a Igreja são os seus milagres são os seus maiores expoentes ( seus grandes doutores e teólogos, seus martires, os grandes santos, cristãos reais que estão dentro da igreja que faz a IGREJA SER O QUE É. Que atualiza e revigora a igreja de tempos em tempos Você quer definir a igreja a partir daqueles que se infiltram nela para corroê-la por dentro e não pela sua parte que a mantém e que é a sua essência. Uma igreja não estaria de pé se na sua base não tivesse aqueles que são fiés ao ensinamentos de cristo.

    Tenho uma bibliografia vasta para vc começar a entender um pouco sobre religão para não ficar falando tanta asneira nesse blog.

    ResponderExcluir
  15. Leandro Vanderley você está muito enganado!
    A Igreja sempre defendeu a vida, sempre foi contra o aborto, sempre se manifestou diante dos abortos ilegais. Só que não é papel da Igreja investigar, controlar, fiscalizar e fechar essas clínicas clandestinas, o trabalho da Igreja é conscientizar a população e exigir soluções para estas práticas criminais.
    A Igreja através dos meios de comunicação sempre fez o seu trabalho humanístico, caso você não se lembre a Campanha da Fraternidade de 2008 (bem antes dessa palhaçada ser aprovada pelo STF) teve o lema ESCOLHE, POIS A VIDA, e gerou exatamente o debate sobre o aborto, tanto suplicando soluções do Governo, das autoridades constituídas, a essa infâmia da saúde pública, quanto sensibilizar as mães e futuras gestantes a não optarem pelo homicídio. Sempre houve circulação (não só na época da CF) de depoimentos, testemunhos (veja grande repercussão do testemunho de Elba Ramalho, bastante difundido pelo Sistema Canção Nova de Comunicação), músicas (Deixe-me nascer - Celina Borges 1996; Escolhe, pois a vida - MAV 2011), documentários (Holocausto dos Inocentes - Comunidade Católica Shalom), sem contar o trabalho da Pastoral da Criança, que há 30 anos, acaba por cuidar também das mães.
    Veja o que já dizia JP II: “Dentre todos os crimes que o homem pode cometer contra a vida, o aborto provocado apresenta características que o tornam particularmente perverso e abominável.” (João Paulo II, Evangelium Vitae, nº 58), e nesse contexto o aborto "ainda era crime". E isso, meu irmão, é só o que é do meu conhecimento, com certeza muitas foram as manifestações que nem aqui caberiam.
    E a Igreja sabe que o caso da anencefalia (assim como o do estupro e do risco letal) não será metade das causas de aborto no nosso país. E a Igreja também teme a venda de laudos de anencefalia que servirá de pretexto para o assassinato ocorrer.
    É engraçado como você e o José Fernandes falam cobrando os resultados da Igreja, mas o trabalho maior é do Governo,cobremos dele, oras! A Igreja está fazendo o seu trabalho. E o que o Governo faz? Sai descriminalizando o aborto e ainda sob o pretexto de saúde pública, enquanto o aborto clandestino continua a passar batido.
    Querem um conselho? Pesquisem de forma concreta! Não fique só com aquilo que mídia promulga e faz questão de não divulgar sobre a Igreja, porque a mídia "não sabe nada" da Igreja, e é, infelizmente, o que sabem também aqueles que se contentam com suas informações. Deus os abençoe!

    ResponderExcluir