sábado, 14 de abril de 2012

J. EDGAR E CLINT EASTWOOD

Clint Eastwood primeiro foi ator. Dos bons. E depois como diretor foi o responsável por bons filmes como Os Imperdoáveis, Gran Torino, Menina de Ouro, As Pontes de Madison, Fuga de Alcatraz, Poder Absoluto, O Cavaleiro Solitário e O Estranho sem Nome.

Está com mais de 80 anos e talvez não precisasse fazer mais nada em termos de cinema. No final de 2011, no entanto, foi lançado J. Edgar, um bom trabalho com as digitais de Eastwood.

O filme não recebeu boa acolhida por parte de alguns críticos, embora tenha grandes qualidades e poucos defeitos.

Conta a história de John Edgar Hoover criador e diretor do FBI durante muitos anos. O diretor está acima das questões ideológicas e deixa para o expectador filtrar e avaliar o comportamento do policial, um obcecado na luta contra o comunismo, o crime e outros fantasmas que durante décadas assombraram a sociedade americana.

O personagem está muito bem interpretado pelo ator Leonardo DiCaprio, que em J. Edgar nem parece o mocinho romântico de Titanic. O homossexualismo do chefão do FBI é revelado de forma gradativa, a meu ver de forma honesta, despida de preconceitos.

Aplausos para o velho Eastwood, muito melhor do que alguns jovens experimentalistas que se acham o tal.

(A sequência de fotos com Leonardo DiCaprio é do Blog da Luzia, que escreveu uma excelente resenha do filme. Aqui temos apenas um breve comentário, uma dica).

Um comentário: