SEBRAE

SEBRAE
SEBRAE

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

DECRETO DO GOVERNO ASSUSTA O COMÉRCIO

A preocupação dos empresários e Contabilistas de Garanhuns fez com que o auditório da CDL ficasse lotado, no último final de semana,  para um fórum de esclarecimentos sobre a lei e os decretos concernentes à Substituição Tributária implantada pelo Governador Eduardo campos com início em 1º de Novembro. A iniciativa da reunião foi da Câmara dos Dirigentes Lojistas e do Conselho Regional de Contabilistas.

Essa mudança feita pelo Governo está causando sério prejuízos aos comerciantes e podem levar vários pequenos empresários a fechar as portas, segundo revelou ao blog um profissional da área de contabilidade.  

Estiveram presentes na CDL O Dr. Jesus Ivandro Campos, Secretário Executivo da FECOMÉRCIO, vindo da Capital, e o Auditor Estadual, Júlio Cezar de Oliveira Barros, que explicou tecnicamente como funcionam os decretos e respondeu as dúvidas do auditório. Por sua vez, Jesus Campos falou de um movimento estadual visando pressionar e sensibilizar o Governador para conceder um prazo maior para o início das medidas aplicadas.

O professor. Josias Albuquerque, Presidente da FECOMÉRCIO-PE e Ricardo Essinger, Presidente em exercício da FIEP estão encabeçando Um movimento que consta de uma carta de solicitação ao Governador para reavaliar estas datas e seguir o Exemplo do Governo de São Paulo que deu tempo para adaptação e ainda dividiu ao pagamento dos impostos dos estoquem em até 60 meses. 

Em Pernambuco aconteceu o caso de decreto datado do segundo semestre de Outubro para entrar em vigor em 1º de novembro o que pegou Contabilistas e empresários de surpresa. Este grupo terá a participação de diversas entidades representativas com é o caso das CDL’s, Sindicatos, Associações comerciais e uma boa representatividade de Parlamentares. Nesta terça-feira 16, visitarão o secretário de Economia do Estado e quando o Governador, que está viajando retornar a Recife irão ter com ele.

Presentes ao evento, Fernando do Couto Soares, Presidente da CDL, João de Barros e Silva, Presidente do Sindicato dos Comerciários e José Paulo da Silva, Presidente do Conselho Federal de Contabilidade Região Garanhuns, Luiz Carlos Andrade, presidente da Associação Dom José Center e Roberto Ivo Presidente da ACIG.

Pelo visto, desta vez não haverá passividade por parte dos prejudicados.(Com informações de Carlos Calvino).

*Na foto o presidente da CDL, Fernando Couto, fala diante de um auditório lotado.

Um comentário:

  1. Roberto Almeida,
    Sou micro empresário, passei vários emails sobre este tema pra vários colunistas(exceto você) e por incrível que pareça ninguém comentou nada.Fiz campanha pra Eduardo Campos e pra surpresa no dia 01/11/10 recebi um email de um fornecedor de SP avisando que iria aumentar os preços devido estes decretos do governador.No 1º governo de Eduardo Campos ele fez o mesmo, aumentou o imposto de fronteira de 5% para 10% ou seja, 100% de aumento.Sem dúvida ele era melhor opção que JARBAS, mas agora sei que ele não se preocupa em aumentar a carga tributária. Haja visto que o retorno da CPMF foi lançado por ele. Lamentável.

    ResponderExcluir