SECRETARIA DE SAÚDE DO ESTADO

GARANHUNS TEM MILITÂNCIA ORGANIZADA LGBTI+


Por Jorge Noronha

Prestes a completar um ano de fundação, a Militância Cores da Resistência já acumula uma trajetória visível de lutas em prol da comunidade LGBT+ e das classes menos favorecidas socialmente em Garanhuns e região. O grupo atua desde o final de setembro de 2018 e é formado atualmente por seis jovens que fizeram de Garanhuns palco de suas atuações pessoais, políticas e profissionais.


Foi na efervescência da popularização de discussões de gênero e sexualidade em Garanhuns que o grupo se juntou e começou a traçar objetivos de luta na cidade, a bandeira levantada é a de um movimento político não partidário que defende e busca políticas públicas específicas para a comunidade LGBT+ em Garanhuns e região sem fazer quaisquer distinção ou segregação entre as pessoas.


Marcado por ser o primeiro movimento LGBT+ do Agreste Meridional, o Cores da Resistência vem nos últimos meses se reunindo com lideranças governamentais, mecanismos jurídicos e movimentos sociais na busca por conhecimentos e parcerias que o leve a atuar coerentemente em defesa dos direitos da população LGBT+, previstos por lei.



Os integrantes do movimento já participaram de diversos eventos na cidade e estão sempre envolvidos nas mobilizações que buscam direitos sociais, previdenciários e em defesa da educação. Além de manter diálogo com as pessoas LGBT+ da cidade, conhecendo suas demandas e fortalecendo o seu empoderamento e potencial.


Recentemente a militância organizou a I Parada da Diversidade de Garanhuns, um momento de luta e festividade que contou com grande participação popular. Participaram da mobilização desde pessoas LGBT+, aliadas e simpatizantes da causa até lideranças de todo o Estado; movimentos sociais e estudantis; órgãos públicos e lideranças políticas; como a co-deputada pela “Juntas” do PSOL, Robeyoncé Lima.



A Miss Pernambuco Gay voto popular 2019, Safira Nunes (foto abaixo)de Cedro, Pernambuco, disse:



Fazer parte da I Parada da Diversidade de Garanhuns representou muito, ver a união e a força da comunidade LGBT+ empoderada na luta por respeito, o que não é fácil, mas que nos lembra que o amor sempre vence e que somos pessoas de direitos como qualquer outra, é algo gratificante.



O evento veio com o tema “Meu corpo é político” e reforçou a necessidade de se lutar pelas vidas e corpos LGBT+ que diariamente sofrem com o preconceito e a discriminação social nas ruas do nosso país. Mostrar a dimensão política do corpo e suas muitas maneiras de ser é uma necessidade atual frente ao cenário que enfrentamos de disseminação de ódio, binarismo político e propagação das Fake News.


A população de Garanhuns tem muito a comemorar, a I Parada foi um evento que com certeza ficará lembrado pelo colorido levado às ruas e pela pacificidade e respeito com que ocorreu. Foi um momento como nunca antes visto na cidade, pessoas de todas as classes sociais, raças religiões, sexualidades e gêneros se juntaram e mostraram a sociedade que maior do que o preconceito é a união, o respeito e a paz.


No mesmo final de semana da Parada aconteceu também na “Cidade das Flores”, o Seminário de Lideranças LGBT promovido pela Rede LGBT do interior de Pernambuco com apoio do governo do estado. Foram discutidas politicas públicas, mecanismos de proteção dos direitos da comunidade e demais assuntos pertinentes. Participaram do encontro, lideranças de todo estado, além do deputado estadual Isaltino Nascimento e da co-deputada Robyoncé Lima (foto), do Juntas.


A Militância continua na luta, se fortalecendo e possibilitando o fortalecimento integral da sua comunidade. O movimento é independente e sem fins lucrativos, que até o momento vem se mantendo e realizando suas ações com recursos advindos de doações. Seu crescimento vem sendo nítido e sua atuação vem se destacando no Agreste Meridional.


A luta pelo cumprimento das leis e pela criação de outras que ainda se fazem necessárias vem sendo objetivada pelo grupo, que já se prepara para mais um ano de resistência e conquistas em Garanhuns.


*Créditos das fotos: o Jorge Noronha
**Informações do grupo através do e-mail: 
militanciacoresdaresistencia@gmail.com

3 comentários:

  1. À luz dos dez mandamentos, dos sete sacramentos e dos aristotélicos sete pecados capitais, que fique bem claro de uma vez por toda: NÃO HÁ CURA PARA O QUE NÃO É DOENÇA... Portanto, se você não gosta do casamento gay, não se case com um viado!!!

    P.S.: - A bandeira que simboliza o movimento LGBT possui as cores de um arco-íris, já notaram?!?!?! Daí, deduz-se que: a cada nova cor reivindicada significa algemas quebradas... Amores coloridos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você está muito sabido e cheio de certezas nessa matéria de viadagens!

      Excluir