sexta-feira, 8 de fevereiro de 2019

FICAR DO LADO DOS POBRES É RISCO DE VIDA



Do jornalista e historiador Emiliano José

A cabeça de Lucas Dantas, espetada no Campo do Dique.
A de Manuel Faustino, no Cruzeiro de São Francisco.
A de João de Deus, na Rua Direita do Palácio.
A de Luís Gonzaga, na Praça da Piedade, onde os quatro foram enforcados, e os corpos, esquartejados, no dia 8 de novembro de 1799.

Na Revolução dos Alfaiates foram escolhidos para dar exemplo, para pobre nenhum se meter mais a besta de querer mudar o mundo. De 48, acusados pegaram quatro pobres, dois alfaiates e dois soldados.
Durante cinco dias, a população de Salvador, olhou nos olhos mortos dos quatro, para suas cabeças despregadas dos corpos, espetáculo macabro.

As cabeças só foram retiradas no dia 13 de novembro, cinco dias após o enforcamento.
Gostariam de fazer o mesmo com Lula.
A crueldade, perversidade, violência de nossas classes dominantes são as mesmas.
Sua mentalidade escravocrata persiste, seu sadismo é incontrolável.
Lula, como aqueles mártires, paga o preço de ter lado e de ter sido pobre.

Tentam, como há 220 anos, esquartejá-lo.
Como não podem fazê-lo como dantes, não obstante o desejo, tentam esquartejar sua alma, arrebentá-lo por dentro cumulando-o de penas, com sentenças esdrúxulas. Sabem de sua inocência, e tornam essas penas uma demonstração de que podem condenar, apesar da inexistência de qualquer culpa.

É culpado por ter feito um governo para os pobres.
Querem esquartejá-lo por dentro, exibir esse esquartejamento, para que outros pobres não se metam mais a besta.
Têm a pretensão de que ele morra preso.
Lula tem demonstrado uma resistência impressionante.
E a solidariedade a ele cresce aqui e em todo o mundo.
Os quatro mártires da Revolução dos Alfaiates tornaram-se heróis da pátria, por decisão da Câmara Federal.
Lula, vivo, já é um herói da Pátria.
E tanto mais se torna quanto mais tentam impor-lhe penas absurdas e aumentar seu sofrimento.
Lula livre!

*Reproduzido do Conversa Afiada

Nenhum comentário:

Postar um comentário