Governo do Estado

Governo do Estado
Governo do Estado

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

PROFESSORES INCENTIVAM REFLORESTAMENTO DO RIO UNA

Erivaldo Bento e José Francisco (Zezinho), professores do Colégio Municipal José Soares de Almeida puseram em prática iniciativa de reflorestamento de área próxima à nascente do Rio Una, localizada na zona rural do município de Capoeiras. 

A ação foi realizada junto aos alunos da EJA-Educação de Jovens e Adultos do turno noturno do Colégio Municipal José Soares de Almeida e em parceria com a professora Ielma Clementino de Araújo professora da Escola Municipal Rafael Alves de Azevedo, localizada no Sítio Piado, próximo à nascente do Rio Una.

Foram plantadas mudas de várias espécies de árvores. Evidentemente é uma iniciativa minúscula diante dos problemas da seca e necessidades de soluções ambientais do Rio, mas é um simples gesto que deve ser somado a outras iniciativas de ONGs e do poder público.

Sabemos da importância do reflorestamento nas nascentes dos rios. De acordo com Mauro Armelin, coordenador do Programa da WWF-Brasil “Nascente de água é aquela água que brota no solo. Se deixamos ela exposta ao sol ou com uma cultura por cima que não está integrada com o regime hídrico, ela vai secar.

Aí, alguém vai dizer: ‘Ah, mas é só um olho d’água’. Sim, é um aqui, outro ali e daqui a pouco não temos mais água, O jeito, então, é devolver às nascentes as espécies típicas dali, de forma a proteger as fontes de água. A floresta tem função na regulação. No caso do reflorestamento nas margens, além da função física, de construção civil, de segurar a barranca com suas raízes, as espécies plantadas nas margens também protegem a vegetação lateral do rio, que é a chamada mata ciliar. Além de não perder solo, que pode assorear o rio,. 
A floresta replantada na margem do rio também ajuda a alimentar os peixes, porque dali saem insetos, frutas e folhas. No caso das nascentes, o reflorestamento tem como objetivo evitar o ressecamento dos olhos d’água”. explica Mauro Armelin.

Dentre as espécies de árvores plantadas estão a Aroeira e o Jamelão. A Aroeira, também chamada de aroeira-do-campo, aroeira-da-serra ou urundeúva, é nativa da caatinga e do cerrado, desde o Ceará até o Paraná. Alguns tipos de Aroeira são muito apreciados na culinária e outros servem para fazerem infusões na medicina popular. É uma árvore nativa do Brasil. O Jamelão é uma árvore que pode chegar até dez metros de altura.


No Nordeste, a planta adaptou-se tão bem que se tornou espécie subespontânea, sendo chamada de azeitona-preta, ameixa roxa ou "brinco-de-viúva". A fim de assegurar a sobrevivência e adaptação das árvores plantadas os pequenos alunos da escola Rafael Alves de Azevedo irão cuidar das mesmas através do projeto de aulas-passeio, realizado pela professora Ielma da turma multi seriada da escola.​

*Texto e fotos enviados ao blog pelo professor Erivaldo Bento.


Nenhum comentário:

Postar um comentário