Governo do Estado

Governo do Estado
Governo do Estado

sexta-feira, 22 de abril de 2016

O GOLPE SEGUNDO A IMPRENSA INTERNACIONAL

A presidente Dilma Rousseff está em Nova Iorque. Ela discursa hoje na ONU e pretende caracterizar como um golpe a decisão da Câmara Federal, favorável ao seu afastamento do cargo. O posicionamento da petista incomoda setores da mídia, do judiciário e da oposição. Tentaram, inclusive, impedir a viagem da dirigente política aos Estados Unidos, mas não conseguiram.

A argumentação de alguns jornalistas, especialmente da Rede Globo, é que Dilma vai “manchar a imagem do país”, com seu pronunciamento. Já o site Brasil 247, alinhado ao governo, defende que “o golpe em si é que está estragando a nossa imagem no exterior.

IMPRENSA INTERNACIONAL - Diante da repercussão internacional negativa da sessão que aprovou o pedido de impeachment da presidente Dilma, a TV Globo voltou a se preocupar esta semana com a expressão golpe, usada por amplos setores em relação ao processo parlamentar. Jornais como o New York Times (EUA) Financial Times (Inglaterra), La Nación (Argentina) e El País (Espanha), criticaram o baixo nível dos deputados brasileiros e a maneira como a dirigente brasileira está sendo afastada do poder.

Alguns integrantes do Supremo foram entrevistados pela Globo e em falas editadas aparecem legitimando a votação de domingo passado.

Mas não é preciso ser do STF ou advogado para saber que um pedido de impeachment sem crime de responsabilidade, que entrou em pauta na Câmara Federal e foi votado sob o comando de um ladrão - como foi chamado pelos próprios colegas de casa -, Eduardo Cunha, é imoral e transforma o Brasil em mais uma “República Bananeira”.

A expressão acima começou a ser usada principalmente nos anos 60, em referência a países pequenos sujeitos a golpes militares e institucionais. O Brasil de certa maneira está retrocedendo àquela época.

Golpes nunca são chamados pelo seu nome verdadeiro. Em 1964, quando os militares derrubaram João Goulart e assumiram o poder, usavam a expressão “Revolução”, numa tentativa de legitimar o movimento truculento de supressão da democracia.

No Brasil de 2016, com os militares de fora do processo, as armas são outras: a utilização do Congresso Nacional, da mídia, de setores do Ministério Público e do Judiciário.

O golpe está sendo dado “dentro da Lei”, com respaldo no impeachment previsto na Constituição Federal. O fato de juízes e promotores respaldarem o processo atual não é propriamente uma novidade.


Em 1964 não tínhamos um Ministério Público como hoje, mas muitos nomes importantes do Judiciário serviram à ditadura em tribunais diversos.

16 comentários:

  1. Esse povo ainda fala de golpe, meu deus do ceu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando um vice-presidente articular com os seus pares a derrubada da presidente do Brasil publicamente e com publicação em vídeo antes da votação e por ter assinado R$ 10 bilhões dessas mesmas pedaladas e créditos suplementares,com certeza,isto se chama GOLPE PARAGUAIO.

      Excluir
    2. UM BANDIDO,UM LADRÃO COMANDAR O IMPEACHMENT DE UMA MULHER QUE NÃO TEVE SUAS CONTAS JULGADAS PELOS DEPUTADOS E SENADORES VIA PRESTAÇÃO DE CONTAS, É OU NÃO UM GOLPE DE ESTADO? CLARO QUE É.POR ISSO QUE RESISTE E NÃO DESISTE NUNCA!

      Excluir
  2. PRECISAMOS LER O CONTRADITÓRIO DAS COISAS.CAPITULO i.

    Estrategista político com 20 anos de atividade em campanhas eleitorais do PT, graduado em Gestão Pública e Pós-Graduando em Administração Pública. Coordenou o Monitoramento Participativo do Plano Plurianual 2012-2015 do Governo Federal e o Programa de Governo para Desenvolvimento Regional da reeleição da presidenta Dilma Rousseff
    Quem disse que Temer poderia montar um governo?
    22 de Abril de 2016

    Independente dos motivos é, sem dúvida, um motivo de vergonha e indignação que um vice-presidente articule abertamente a derrota da sua companheira de chapa e presidente de um país, no Congresso Nacional.

    No mesmo sentido, é vergonhoso e indigno que, sem sequer a abertura do processo ter sido autorizada no Senado Federal, este mesmo vice-presidente já esteja, em público, montando seu suposto governo.

    Agora, o fim dos mundos é que ele, em nenhum momento, veio à sociedade se posicionar sobre o mérito das acusações. Afinal, Temer acredita ou não que Dilma cometeu crime de responsabilidade?

    Temer, se fosse digno, não teria apenas articulado os votos para que a Câmara abrisse autorizasse a abertura do processo de Impeachment, mas o conteúdo das intervenções parlamentares, com a qualidade de argumentos ofertados por um especialista para caracterizar indubitavelmente que a presidenta cometera tal crime.

    Temer não vem a público discutir o mérito do processo porque assinou decretos que são usados para se afirmar que houve crime de responsabilidade. E os assinou por saber que não eram criminosos, mas um esforço para fechar as contas públicas sem comprometer as políticas sociais. Ou, ainda, como diz demagogicamente a oposição à qual se alia hoje, facilitar a reeleição do governo do qual era vice-presidente, cuja chapa eleitoral o reconduziu ao cargo.

    ResponderExcluir
  3. PRECISAMOS SIM LER O CONTRADITÓRIO DAS COISAS. CAPITULO II.

    Temer articula a derrubada do próprio governo porque acredita que ele não tem mais governabilidade. Governabilidade esta que ele mesmo ajudou a recompor quando chefiou a articulação política. Logo, o vice sabe que é possível recompor a governabilidade.

    O que ele deseja mesmo é ser o artífice disso na posição de comando e não de contribuinte, como ele mesmo revelou em sua carta à Dilma reclamando de ter um papel secundário. Todavia, secundário é como é definido o papel da vice-presidência no Brasil e em qualquer país do mundo.

    Infelizmente, para ele, a Constituição não prevê Impeachment em razão de uma avaliação individual de que não é mais possível o apoio do parlamento.

    Por isso, há uma questão que precisa ser discutida urgentemente pela sociedade e, sobretudo, pelo Supremo Tribunal Federal: quem disse que, em caso de afastamento cautelar da presidenta, pela admissibilidade da abertura do processo de Impeachment pelo Senado da República, Temer poderá montar um governo?

    Não há jurisprudência e nem uma analogia política possível, pois, quando do impedimento do ex-presidente Collor, este havia renunciado horas antes do julgamento da admissibilidade do processo pela Câmara. Não havia mais tempo jurídico para ele evitar a cassação de seus direitos políticos. Assim, a decisão da Câmara unicamente foi de retirá-lo da vida pública pelo período previsto em lei. Itamar Franco montaria seu governo independente de qualquer juízo sobre poder ou não fazê-lo na medida em que não havia mais o mandato do presidente eleito por motivo de renúncia.

    Como Dilma não renunciará, caso o Senado admita abrir o processo, ela será afastada provisoriamente, podendo ser reconduzida caso o Senado a absolva no mérito. O que certamente ocorrerá caso lhe seja favorável a apreciação dos senadores.

    Desta feita, enquanto o governo trata da estratégia de defesa presidencial no mérito, a sociedade civil - sindicatos de base, associações comunitárias, advogados, entidades de classe (como a tal associação médica que arguiu a maior parte das ações contra a posse do ministro Luis Inácio) - tem o dever de questionar o Supremo se Temer pode ou não montar um governo como se presidente efetivo (e não provisório) fosse.

    Isso porque, além de ser provisório no cargo, é inquestionável que as ações dele neste sentido se traduziriam em vantagem do vice para assumir a cadeira da eleita pelo voto popular, sendo público e notório seu interesse. Além do mais, este poderia, estando apenas provisoriamente no cargo, tomar medidas contrárias ao mandato recebido pelas urnas, basicamente o de proteger empregos, salários e políticas sociais.

    Os índices de desemprego e retração da economia não podem igualar Dilma e Temer no argumento de desvio do cumprimento do mandato, pois Dilma reduziu meta fiscal e apresentou orçamento com déficit para proteger investimentos no sentido de defender os empregos, os salários e as políticas sociais. Foi pela crise política, dirigida por Eduardo Cunha, e econômica fora de seu controle (impactos internacionais e Lava Jato) que não conseguiu no nível pretendido.

    Já Temer endossa o documento chamado indevidamente de Ponte para o Futuro. Um atentado à vontade das urnas.

    Pode-se dizer o que quiser sobre tais aventamentos, principalmente dos advogados e líderes políticos mais cautelosos, incrédulos e céticos. Mas, a interpretação da lei precisa ser provocada, destacadamente por ausência de jurisprudência ou, no mínimo, hermenêutica universal formulada.

    E que o STF escolha se chancelará que qualquer crise política espontânea ou dirigida e que qualquer vaidade pessoal poderá derrubar um governo; ou se não. Depois, que a sociedade aprove ou não sua suprema corte.

    ResponderExcluir
  4. Golpe autorizado pelo legislativo e regulado pelo Supremo indicado por Dilma!!


    Democracia só é o Socialismo Criminoso do PT!!!

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    ResponderExcluir
  5. ALIÁS SÓ LEMBRANDO!!!


    DEMOCRACIA NÃO É SOMENTE ELEIÇÃO!!

    PARA SE DIZER DEMOCRACIA UM PAÍS TEM QUE TER UM JUDICIÁRIO FUNCIONANDO E UM LEGISLATIVO ATUANTE.

    O GOVERNO ONDE SÓ A JUMENTA PETISTA DITA AS COISAS E TODO MUNDO DIZ AMÉM É DITADURA SOCIALISTA!

    NÃO ADIANTA REPETIR, PORQUE NÃO COLA MAIS!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mentira pura.A Dilma foi atropelada por um impostor e corrupto e psicopata que aprovou uma pauta bomba dentro da Câmara Federal para dar aumento de 78% aos servidores da justiça e por ter aprovado todas as roubalheiras do Brasil via doação empresarial aos partidos e políticos.

      Excluir
    2. Não, não é o fato de a democracia brasileira ter sido golpeada por políticos corruptos, que se somaram aos derrotados na última eleição presidencial, que mancha a imagem do Brasil no exterior, mas sim o fato de se pretender denunciar este golpe ao mundo; essa é a lógica dos que tentam censurar a presidente Dilma Rousseff e impedi-la de dizer ao mundo o que as principais publicações do mundo já afirmam abertamente: a trama que culminou no vergonhoso 17 de abril nada mais é do que uma conspiração golpista.

      Excluir
    3. EM PERNAMBUCO QUANDO O EX-GOVERNADOR MIGUEL ARRAES DE ALENCAR EMITIU OS TÍTULOS DOS PRECATÓRIOS E VENDEU A CELPE,O EX-GOVERNADOR JARBAS VASCONCELOS PASSOU 20 ANOS ACUSANDO ELE E EDUARDO CAMPOS DE REI DOS PRECATÓRIOS E DE TEREM QUEBRADO O ESTADO DE PERNAMBUCO.

      HOJE TÁ JARBAS VASCONCELOS NO PALANQUE DOS EX-GOVERNADORES E TÁ TAMBÉM TAXANDO O EDUARDO CUNHA DO PMDB DE CORRUPTO E PSICOPATA.

      FHC PRATICOU AS MESMAS PEDALADAS E ASSINOU OS MESMOS CRÉDITOS SUPLEMENTARES E O LULA TAMBÉM O FEZ E O TCU APROVOU TUDO. UM PESO E DUAS MEDIDAS.ESTÁ CORRETO O JOAQUIM BARBOSA QUANDO AFIRMA QUE OS 16 GOVERNADORES DO BRASIL PRATICARAM E PRATICAM AS MESMAS COISAS E NÃO ACONTECE NADA?

      VEJA O CASO DAS ARENAS CONSTRUÍDAS NO BRASIL.ATÉ O AGRIPINO MAIA DO DEMOCRATAS ESTÁ ENVOLVIDO EM CORRUPÇÃO.QUE FOI UM GOLPE DADO PELO VICE PRESIDENTE DO BRASIL MICHEL TEMER,ISTO EU NÃO TENHO A MENOR DÚVIDA DISTO.

      AONDE ESTÁ AQUELE VÍDEO MOSTRANDO O GOLPE?

      Excluir
    4. Eu assisti aquele espetáculo circense do dia 17 de abril de 2016.Em nenhum momento me alegrei com nada.Apenas fiquei matutando e vendo tantos traíras e covardes que blasfemavam e gritavam que em nome da democracia,da ética,da moral e dos bons costumes; contra a corrupção,o roubo,os assaltos aos cofres públicos,e voto sim.Mas quem estava presidindo a sessão? EDUARDO CUNHA,segundo Jarbas Vasconcelos do PMDB,um CORRUPTO E PSICOPATA.

      Quem estava lá alegres e vibrantes os partidos mais corruptos do BRASIL: PP do Maluf,PMDB do Eduardo Cunha e Sarney, o PSD do Kassab que foi criado para ser auxiliar do PT no Governo Lula e Dilma.

      Excluir
    5. Em palestra concedida no laboratório de mídia do MIT, em Nova York, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, disse nesta sexta-feira 22 que "em breve" apresentará ao STF mais duas denúncias contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que já é réu na corte em uma das ações da Operação Lava Jato; segundo Janot, dos "seis inquéritos instaurados, todos com fatos ilícitos diferentes (...), dois estão bem adiantados e rapidamente, acho, virão aí mais duas.


      ESTE SIM,FOI O HONESTO QUE PRESIDIU O GOLPE PARAGUAIO.

      Excluir
  6. O Supremo Tribunal Federal autorizou a quebra dos sigilos bancário e fiscal do presidente do DEM, senador José Agripino Maia (RN), do deputado Felipe Maia (DEM-RN), seu filho, e de mais 14 pessoas em inquérito que investiga um "complexo" esquema de corrupção e lavagem de dinheiro; a decisão é do ministro Luís Roberto Barroso, que atendeu a pedido da Procuradoria-Geral da República; Agripino é alvo de um inquérito que apura se o parlamentar negociou o pagamento de propina da empreiteira OAS durante a construção da Arena das Dunas.

    Engraçado se não fosse um paradoxo,os governos estaduais tiveram participação na construção das ARENAS em todo o Brasil e hoje muitos deles tiraram o corpo fora,agora sim as denúncias estão vindo à tona.

    Michel Temer e Eduardo programaram um GOLPE CONTRA O BRASIL,caso passe pelo Senado,vocês verão a OPERAÇÃO LAVA JATO pegar os dois de calças curtas.Querem sim acabar com essa operação porque lhes atingem totalmente.

    ResponderExcluir
  7. Calma ewerton não baixe o nove, tenho notado que vc ta com algum problema sempre tanto ódio tão nervoso sempre tão mal educado, calma ta.

    ResponderExcluir
  8. Nada do que foi dito até agora sobre esse assunto não significa nada, a realidade é que o Brasil já estava na pior antes do impeachment, e vai piorar ainda mais depois dele, não se enganem ao pensar o contrario.

    ResponderExcluir
  9. Até sexta-feira,15 de abril,os meios de comunicações de massa,internet,televisão,jornais em geral,blogs em geral,todos repetiam exaustivamente,o Lula e a Dilma,estão trocando cargos por votos e comprando apoios políticos.

    Muitos diziam que os deputados federais estavam indo embora.Muitos se ausentarão,mas que nada. No dia estavam lá para votar 511 dos 513 deputados federais.

    Foram 367 votos sim,137 votos não t abstenções.Depois de assistir aquele espetáculo de homens e mulheres falando bobagens me veio na cabeça as seguintes interrogações:

    Primeiro: por que o dinheiro do Lula e a Dilma não compraram os Deputados do PP,PSD E PR do Maluf,Kassab e Inocêncio de Oliveira?

    Segundo: por que a máquina pública não fora capaz de comprar e domar 97 deputados federais citados dos partidos acima quando faltou apenas 35 votos e eles seriam a base de sustentação política do Lula e da Dilma com o PT?


    Terceiro: minha conclusão clara e evidente. A lista da Andrade Gutierrez e da Odebrich, com a prisão do Lula e a delação premiada do Delcídio Amaral explodiu a REPÚBLICA DE CURITIBA e por tabela explodiu o governo Dilma com o PT.

    Quarto: agora sim,com Michel Temer e Eduardo Cunha,essa operação lava jato e vazajato vai para as profundas dos infernos.Michel Temer e Eduardo Cunha vão explodi-la senão ela derrubará o velho PMDB e PSDB com o DEM pelo meio.Quem viver verá sim!

    Quinto: de 1994 a 2002 eram PSDB-PMDB E DEM.De 2003 a 2014 eram PT-PMDB E PSB.Hoje retornam ao comando PMDB-PSDB-DEM.Todos a favor que esta operação lava jato termine e todas as doações empresariais voltem ao normal.Empresários,empreiteiras,doleiros,bancos,firmas, lobistas tem é que financiar os políticos mesmo e dar todo dinheiro aos eleitores. E pobre que exploda,afinal,eles receberam as bolsas famílias,votaram em Dilma e Lula,mas se venderam nos 367 deputados federais para acabar esses programas sociais.

    ResponderExcluir