Assembleia Legislativa

Assembleia Legislativa
Assembleia Legislativa

quarta-feira, 20 de maio de 2015

PADRE DE PESQUEIRA É PUNIDO PELA DIOCESE

A Diocese de Pesqueira, no Agreste de Pernambuco, afastou o padre Severino Ézio de Melo por causa da divulgação de fotografias “comprometedoras da moral em redes sociais". 

Nas fotos, o sacerdote aparece segurando uma taça de bebida ao lado de um homem. Os dois estão sem camisa. Em comunicado divulgado no site da instituição, a diocese afirma que o padre foi afastado e recebeu uma primeira advertência canônica. Ele não teria obedecido a advertência e teve suspenso o uso de ordens.

A nota afirma ainda que em consequencia desta medida, o padre fica privado de suas funções e não “poderá presidir ou administrar qualquer Sacramento ou Sacramental, impedido de celebrar ou concelebrar a Eucaristia, com a presença de fiés cristãos, a não ser que lhe faculta o Direito, ou seja, atendimento de fiéis que encontram em perigo de morte”.

INVESTIGAÇÃO - A Polícia Civil está investigando uma tentativa de extorsão sofrida pelo padre. O homem que aparece nas fotos ao lado do sacerdote teria exigido dinheiro para não divulgar os registros. Uma coletiva de imprensa será realizada na sede do Grupo de Operações Especiais (GOE), no Recife.

A Polícia Civil está investigando uma tentativa de extorsão sofrida pelo padre. 

O homem que aparece nas fotos ao lado do sacerdote teria exigido dinheiro para não divulgar os registros. Uma coletiva de imprensa será realizada na sede do Grupo de Operações Especiais (GOE), no Recife. (NE 10). 

CLAREZA  - A Igreja e a imprensa da região não têm sido muito claras na divulgação dos fatos, mas as evidências são de que o religioso está envolvido em escândalo sexual. Sempre que surge um caso assim o burburinho é grande e se levanta a discussão sobre o celibato e tendências homossexuais.

A polêmica é antiga e começou quando a Igreja proibiu o casamento entre os sacerdotes, mais de mil anos atrás. Os historiadores registram que os primeiros papas e religiosos casavam e tinham filhos. Com a mudança, segundo alguns para preservar os bens dos católicos, criou-se o dogma que dura até hoje, provocando críticas e contestações que duram até hoje.

O Papa Francisco tem tido maior abertura do que seus antecessores nessas questões e evitou criminalizar os gays, como muitos fizeram e fazem.


Mas nem todos compartilham das posições do líder dos católicos e quando alguém não segue a Lei da Igreja, como o padre de Pesqueira, a confusão está formada e sempre há grande repercussão local ou até mesmo nacional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário