SEBRAE

SEBRAE
SEBRAE

quinta-feira, 10 de outubro de 2019

APOSENTADA DE CAPOEIRAS PAGA PROMESSA À NOSSA SENHORA COM FESTA PARA CRIANÇAS CARENTES

Por  Junior Almeida

Em Capoeiras o dia dedicado a Nossa Senhora Aparecida, Padroeira do Brasil, é celebrado em três capelas do município; Povoado Alegre, sítios Moqueca e Pedra Miúda, além da casinha de orações no alto da Serra Branca, no Sítio Bom Destino, sendo esse último local, um lugar de romarias e que recebe milhares de pessoas todo dia 12 de outubro.


Como o feriado nacional também tem a data comercial do dia da criança, a dona de casa Maria Luíza da Silva Vasconcelos, conhecida por Dora de Mané do Saco, junta o útil ao agradável, aproveitando para rezar e agradecer a Nossa Senhora uma graça alcançada, além de fazer uma festa para as crianças carentes da cidade, distribuindo brinquedos, balas e algodão doce. 


Tudo começou em 2004, quando Dora, na época feirante, depois de um exaustivo dia de trabalho, perdeu toda sua mercadoria quando retornava da feira de Venturosa para Capoeiras. Tudo que possuía havia caído do bagageiro do carro em que viajava, então, tome aperreio! À noite, já em casa, Dora só chorava, pois além de ter ficado sem nada para vender, teria ainda que pagar o que tinha comprado fiado e perdido na estrada.


Foi aí que, com muita fé, Dora pediu à Santa que a ajudasse, que resolvesse sua situação, e que se isso acontecesse, enquanto  vida tivesse, comprometia-se a realizar todos os anos uma festa para as crianças pobres de Capoeiras. Naquela mesma noite a dona de casa sonhou com um local às margens da estrada que liga as duas cidades, e um homem vestindo azul, dizendo que tinha guardado a sua mercadoria.



Dora acordou esperançosa e, logo cedo foi atrás de um conhecido que tinha um carro de aluguel, pra levá-la até o local do seu sonho. Quando soube o que se passava, o dono da velha Caravan tentou a convencer não viajar, pois segundo ele, se a situação já estava ruim com o prejuízo da perda da mercadoria, então, iria piorar mais ainda, por ela ter que pagar o  fretamento do carro.


Não adiantou o dono do carro argumentar. Dora estava convencida, pois, segundo ela, algo muito maior dizia que ela estava certa. E não é que estava?! Perto da Serra do Tará, Dora encontrou o lugar que tinha “visto” enquanto dormia e, nesse local o homem exatamente como lhe fora revelado em sonho. O motorista parecia não acreditar no que via. Sabendo do relato de sua passageira, ele dizia tal situação não ser possível, mas Dora sabia exatamente a quem creditar o milagre.


Já em outubro daquele ano ela organizou uma pequena festa. No comércio da cidade pediu ajuda e arrecadou pipoca, balas, doces e brinquedos, principalmente bolas e bonecas, e distribuiu com aproximadamente 50 crianças. Ano após ano a festa vem crescendo e, no ano passado perto de 500 meninos e meninas pobres da cidade receberam suas lembrancinhas, além de passarem o dia brincando com Dora e alguns voluntários, que chegam até se fantasiar, para entreter os pequenos.


Durante o evento, a organizadora que todos os anos se veste de palhaça, e que hoje em dia já está aposentada, não deixa de fazer a alegria dos pequenos carentes de Capoeiras. Ela revelou ao blog que separa o dinheiro seu salário de setembro, e gasta tudo em brinquedos e guloseimas para as crianças, além de pedir doações no comércio local.


Dora diz que este ano quer superar o passado em número de crianças, doces e brinquedos, e para isso conta com a colaboração dos amigos, principalmente os de Capoeiras, que doam itens para ser distribuídos durante a festa.


A festa para as crianças de Capoeiras, organizada por Dora, acontece todos os anos em frente à sua residência na Rua Quirino Correia, a popular Rua da Palha, sempre pela manhã, depois que termina a Missa da Matriz de São José, dedicada à Padroeira de todos os brasileiros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário