quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019

PROFESSOR MÁRCIO TAMBÉM REJEITA CARRO DA CÂMARA


Da mesma maneira que o Audálio Ramos, o vereador Cláudio Umberto, conhecido como Professor Márcio, também comunicou à coordenadoria de Controle de Câmara a decisão de não aceitar que um veículo locado pelo Poder Legislativo fique à sua disposição.

Com a atitude dos dois vereadores, é dado um bom exemplo aos demais parlamentares e se atende aos clamores da sociedade garanhuense.

A população tem demonstrado através das rádios e das mídias sociais que não concorda com o gasto de mais de meio milhão de reais para locar carros para os parlamentares com assento a Casa Raimundo de Morais.

Na matéria abaixo, sobre a decisão de Audálio Ramos, o leitor saberá mais detalhes sobre a proposta vergonhosa dos vereadores de Garanhuns.

Enquanto o povo sofre sem emprego, com o atendimento da saúde precário, salários aviltados e todo tipo de exploração, os vereadores querem se mostrar “bonzinhos” fazendo assistencialismo barato com dinheiro público.

O sentimento no município é de indignação e de revolta com os farsantes que se dizem representantes do povo.

2 comentários:

  1. Quero falar aqui de um político que tenho muito respeito é admiração, trata-se de Jorge kajuru, hoje senador da República por Goiás, como senador Jorge como os demais tem o direito de vários penduricalhos absurdos como auxílio almoço auxílio jantar, carro oficial pago com o meu e o seu dinheiro, apartamento funcional, auxílio paletó e mais um bando de tapa na cara da sociedade. Dos 81 senadores da eleitos Jorge foi o único a recusar reforma do seu gabinete, incluído a troca da mobília e recusou também todo esse absurdo que acabei de mencionar acima, quero parabenizar aos vereadores de Garanhuns que recusaram, assim como kajuru lá em Goiás esse escárnio com dinheiro público.

    ResponderExcluir
  2. Espera-se que esse vereador, publique nas redes sociais a data do seu ofício como fez o nobre vereador AUDÁLIO FILHO, para que não venha a ser taxado como simples CARONEIRO e só abdicou do pleito após o barco ter afundado...

    ResponderExcluir