SEBRAE

SEBRAE
SEBRAE

domingo, 24 de setembro de 2017

MARIANA É VÍTIMA DA VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER

Por José Fernandes Costa – jfc.costa15@gmail.com

Mariana Menezes Costa era sobrinha-neta do ex-presidente José Sarney. Classe média alta morava com as duas filhas (de nove e 11 anos) numa rua nobre de São Luís do Maranhão: Rua São Luís Rei de França. Nome nobre, para abrigar um crime tão ignóbil.

Mariana tinha 33 anos de idade. Era publicitária e professora na Universidade Ceuma, em São Luís. – Além disso, e das tarefas do lar, frequentava os cultos do Templo Evangélico Batista Olho D’Água. Era devota e lá ela entoava cânticos e orações.

No dia 13.11.2016, um domingo, Mariana saiu da igreja, onde celebravam a festa de aniversário do templo. Foi levada pra casa, com as duas filhas, pelo cunhado Lucas Leite Ribeiro Porto, 37 anos, que também estava no templo. Ao deixar Mariana em casa, Lucas voltou, em pouco tempo, ao apartamento dela. E cerca de 40 minutos após ter voltado, Lucas Ribeiro havia assassinado Mariana, por asfixia. O assassino Lucas, que dizem ser homossexual, está preso no Complexo Penitenciário de Pedrinhas. – Por ser “empresário bem-sucedido”, logo, logo poderá estar solto, pra matar mais mulheres, infelizmente.

Lucas Ribeiro Porto havia dado carona à cunhada Mariana, após participarem do ato festivo, naquele domingo fatídico. – Deixou-a em casa e saiu em cerca de três minutos. Mas voltou ao prédio onde morava Mariana, 45 minutos após. A porta do apartamento estava aberta, porque as crianças de Mariana estavam na piscina. – Lucas encontrou Mariana no quarto dela, saindo do banho. – Diz ele que Mariana estava despida.

Ao delegado de polícia o facínora Lucas disse que “tinha um desejo incontido de possuir sexualmente Mariana”. E aproveitou aquele momento, porque “não resistiu a vontade”! – Pergunta: por que Lucas voltou ao prédio, tão rapidamente? – Então, não foi o “momento”. Foi crime premeditado.

Mariana resistiu aos ataques do cunhado criminoso! Tanto que ele desceu do prédio, após consumar seus instintos escabrosos, bastante nervoso, transtornado. E com braços e rosto arranhados. Prova de que Mariana reagiu aos ataques do maldito cunhado, antes de ser desfalecida. – Dezenas de câmeras de monitoramento filmaram o criminoso na descida do prédio.

Irado, por ter encontrado resistência, Lucas sufocou Mariana com um travesseiro, até que ela agonizasse; em seguida, com ela já desmaiada, estupro-a e a matou. E, de Imediato, o homicida desceu pelas escadas, do 9º andar do prédio, onde se deu o crime. Não usou mais o elevador. Foi filmado pelas câmeras do edifício; não teve como negar. Confessou à polícia haver matado a cunhada. – Exames das secreções de Mariana confirmaram que houve o estupro.

Pelo que dizem, Lucas é homossexual, nada obstante ser casado. É gilete, como dizemos em gíria. – Mariana tomou conhecimento da homossexualidade do cunhado. E estava se preparando pra contar à irmã Carolina, esposa do dito monstro. Carol talvez não soubesse ainda de mais essa nódoa nas costas do marido. – Mariana, surpresa com essa descoberta, iria falar, também, para outras pessoas do seu ciclo familiar e de amizades. – Lucas ao saber do plano da cunhada, resolveu acabar com a vida dela.

Por enquanto, Lucas Ribeiro está em lugar “bom e seguro”. No Complexo Penitenciário de Pedrinhas. Essa penitenciária já ficou muito conhecida; e até “famosa” nacionalmente. – Numa rebelião entre três facções criminosas, os presos degolavam seus antagonistas do tráfico de drogas; e jogavam futebol com a cabeça do degolado. – É pena que Lucas possa sair de Pedrinhas antes de ser degolado.

Detalhe: A defesa de Lucas Porto entrou com pedido de incidente de insanidade mental; e quer "provar" que o endiabrado Lucas Ribeiro Porto é mentalmente insano?! - Isso são manobras cínicas de advogados!! - Essas chicanas ardilosas da defesa são do mês de agosto passado. - E o juiz do feito autorizou, em parte, o pedido. - Em suma: o pervertido Lucas Porto foi submetido a exame de sanidade mental, no dia 17 de agosto próximo findo, no Hospital Nina Rodrigues, em São Luís. - O laudo pericial deve ficar pronto em 60 dias, a partir daquela data!! - Tudo pode acontecer!! - Inclusive, Lucas Porto pode até ser posto em liberdade pra continuar sua fúria homicida contra MULHERES indefesas! - Dificilmente esse assassino será mandado para um manicômio judiciário! - Mas onde quer que ele fique, vai ter todas as regalias imagináveis.

Esse assassino conviveu por quase duas décadas com toda família da vítima; era casado com a irmã dela e "nunca demonstrou em todo esse tempo um mínimo sinal de desequilíbrio mental". - Estas últimas palavras são da própria ex-esposa dele, Carolina Menezes, irmã da vítima Mariana. - a) É muito fácil, agora, querer atestado de insanidade mental para se livrar do Tribunal do Júri. - Se a perícia não for "comprada", torna-se impossível comprovar que, à época do homicídio, Lucas Porto fosse inimputável, por distúrbios mentais ou quaisquer motivos outros.

Passado criminoso: - Há tempos que Lucas vive às voltas com a polícia, por vários crimes: estelionato; porte ilegal de armas; falsa comunicação de crime etc. - Ele havia forjado o roubo de um veículo de sua propriedade, pra receber a indenização da seguradora. – Essa era a rotina criminosa do Lucas.

E sua esposa, Carolina Costa, mantinha a rotina da irmã Mariana, no Templo Evangélico Batista Olho D’Água. – No sepultamento da irmã, Carol entoou, entre choro e soluços, este hino que Mariana mais gostava de cantar nos cultos: “Por toda a minha vida, Senhor, eu te louvarei; pois meu fôlego é tua vida e nunca me cansarei”.

De outra parte, o que se diz é que o marido de Mariana, Marcos Renato, um agropecuarista “quebrado”, era ausente na vida da esposa; e vivia em Itapecuru-Mirim, a 108 Km de São Luís. – Agora, por infelicidade, Mariana está morta; e Carol está não se sabe como. – Porque ter um marido envolvido em dezenas de crimes ou ter esse marido no Complexo de Pedrinhas, não faz muita diferença. – No dia seguinte ao homicídio (14.11) foi decretada a prisão preventiva de Lucas Porto. E ele foi encaminhado ao presídio.

Posto que logo após o crime, a polícia começou as investigações pra desvendar a morte de Mariana Costa. Em poucas horas, já sabia que ELA fora morta por asfixia e estrangulamento; em sua cama, no próprio apartamento, naquele domingo 13. – O cunhado homicida, Lucas Ribeiro Porto, diante das evidências, confessou ter matado Mariana. As câmeras mostraram que ele foi o único a entrar no apartamento dela, naquele curto espaço de tempo. – Assim, Lucas continua preso em Pedrinhas. – E Mariana pagou com a vida. – Mais uma monstruosidade contra as mulheres, entre tantas outras. /.


*FOTOS do Facebook de amigos e do Portal G1

Um comentário:

  1. AGRADEÇO ao amigo Roberto Almeida, pela publicação! - Ao mesmo tempo, peço DESCULPAS por não saber resumir o texto... Reconheço que ficou muito longo! - Tornando-se cansativo para aqueles / as que tenham interesse em ler. - Obrigadooo! - Abraço. /.

    ResponderExcluir