Governo do Estado

Governo do Estado
Governo do Estado

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

O NATAL E OS PERIGOS DO CARTÃO DE CRÉDITO

Por Adelson do Vale

Com pouco dinheiro no bolso e ainda sem emprego, o trabalhador brasileiro tenta suprir suas necessidades de consumo, principalmente agora com a chegada das festas de final de ano, quando a necessidade ainda é maior. O cartão de crédito acaba sendo uma alternativa para quem não tem dinheiro para comprar à vista.

É importante saber que antes de ir as compras você precisa fazer um planejamento financeiro, assim saberá o limite do seu crédito e fazer pesquisas dos preços dos produtos. Faça as primeiras compras do Natal de preferência com dinheiro, comprando onde oferecem melhores descontos nas compras à vista; compare os preços dos produtos para se saber qual a mercadoria melhor está sendo vendida,  numa promoção por exemplo.

Só use o cartão de crédito até seu orçamento suportar, faça o restante das compras parceladas no cartão, anote tudo e não deixe para fazer as compras de última hora. O ideal é providenciar as compras 15 dias no mínimo antes do Natal, assim você não corre o risco de não conseguir produtos nas prateleiras dos supermercados e ter que procurar outras marcas em outras lojas e comprar mais caro.

Seguindo essas dicas simples, recomendadas pelos economistas,  o consumidor tem um melhor controle da situação financeira e não vai para o SPC, ou SERASA, e para quem já está com o crédito negativado, a solução é negociar os débitos com os cartões o mais rápido possível e parar de comprar até que as contas sejam todas pagas.


Os especialistas financeiros recomendam ainda que não se deve fazer nenhum tipo de empréstimos para pagar dividas de cartões de créditos, parceladas com o dinheiro que se ganha dentro do mês, pois os cartões cobram juros abusivos.  Tente negociar com a bandeira do cartão, se não conseguir reduzir as taxas de juros você pode pedir a revisão de sua divida em juízo, podendo cair em até 67% a redução dos seus débitos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário