Natal de Garanhuns

Natal de Garanhuns
A Magia do Natal

Governo do Estado

Governo do Estado
Governo do Estado

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

DONALD TRUMP E JAIR BOLSONARO

A carta de agradecimento de Hillary ao final da campanha postada aqui no Medium é conciliadora, mas mostra claramente o que ela pensa de Trump: um sujeito perigoso que precisa ser monitorado por quem perdeu a campanha. Essa postura reflete em parte os motivos que levaram Trump a vencer: o descompasso entre Hillary e Trump está, justamente, nos corações das pessoas que votaram nele, e que estão pouco preocupadas com as questões mais caras ao que se convenciona chamar de esquerda nos Estados Unidos.

Lembrei de um mini-documentário do The Guardian feito em uma cidade do interior do país. Era um povoado em torno de uma mina de carvão abandonada. Desemprego galopante e pobreza pra todo lado, quase toda a pequena população votaria em Trump. Por que?

Porque ele oferecia soluções claras para problemas reais, mesmo que soluções aparentemente impossíveis de executar (como reativar a mina). Olhando pelo lado das pessoas: promessas por promessas, todos os políticos fazem, e boa parte delas são demagogias de campanha. O povo daquela cidade votaria nas promessas que faziam sentido pra eles, e pra boa parte do povo americano que viu os empregos sumirem e a renda derreter na última década.

Trump não está preocupado com as pautas da Internet (os ativismos de direitos civis que vemos todos os dias, que nos últimos tempos se refletem nos movimentos de ocupação e nas passeatas). Ele deveria se preocupar com essas pautas? Claro que sim, elas são importantes. Mas ele sentiu que a população clamava por algo anterior a poder andar de bicicleta, casar com alguém do mesmo sexo ou fumar maconha em paz. Os trabalhadores, nos EUA, se sentem abandonados, acham que a Ásia roubou suas fábricas e que os imigrantes roubarão seus empregos — mesmo muitos imigrantes pensam isso, o cara saiu do México e foi pros EUA mas não quer que mais mexicanos se mudem pra lá. O mundo de 20 anos atrás, mesmo com maconha proibida, era melhor que o de hoje, na visão dessas pessoas. Elas pagavam a casa, o carro, tiravam férias e viviam felizes no sonho americano.

Mesmo que não sejam coisas excludentes (é possível ter pleno emprego e legalização das drogas), as campanhas políticas fazem isso, elas jogam com as falsas dicotomias para que as pessoas tenham ideias claras, mesmo que fantasiosas, ao fazerem suas escolhas: qual desses dois mundos você quer, o que tenha emprego ou o que se preocupe com o feminismo? É uma racionalização quase primitiva, mas é assim que funciona na cabeça de muitas pessoas. E parte da militância da esquerda tem culpa nisso, por levar essas dicotomias até o fim.

Não vivo em uma cidade americana nem sou especialista em política americana, mas de longe me parece que essa leitura tem algum sentido.

No Brasil teremos esse teste nas próximas eleições, com Bolsonaro, Ciro e quem mais vier. Nenhum deles é igual a Trump, mas é bom ficar de olho neles. Não por eles, mas para quem eles discursam, basicamente a pessoa que perdeu renda e direitos nos últimos anos, que viu o Minha Casa, Minha Vida ter juros maiores, que viu o salário encolher, o supermercado ficar mais caro, o FIES ter “um problema técnico” que levou gente a perder o financiamento, que teve que entregar o carro pra financeira, que está com o cartão de crédito no limite do insuportável. Acho que boa parte de nós pode se ver em algumas dessas situações. A chave é essa: Trump, Bolsonaro e outros não falam “pra meia dúzia de malucos como eles”, falam pra maioria, ou, no caso do Brasil, a “classe média” que tanto se insiste em demonizar e culpar pelos males do mundo. É ali que o jogo é jogado.


Fonte: Leandro Demori, editor do portal Medium Brasil. Enviado por Homero Fonseca

8 comentários:

  1. UMA DAS RAZÕES DEU VOTAR NO CACHORRO LOUCO DO DONALD TRUMP FOI SUA PROMESSA DE DIZIMAR DA FACE DA TERRA TODO E QUALQUER TERRORISTA INSTALADO NAQUELA NAÇÃO. JÁ PENSOU, SE O TROGLODITA DO BOLSONARO TIVESSE ESTA MESMA OPINIÃO A RESPEITO DOS PETRALHAS, HEIN?!?!?!

    P.S.: - É de fazer pena os honoráveis defensores da causa perdida... Aliás, o discurso petralha é sempre muito cretino e imbecil. Afinal de contas, a petralhada safada e seus asseclas juntamente com os coiteiros nunca foram cegos. Eles só fazem de conta que são...

    ResponderExcluir
  2. Há notícias de que Hillary Clinton pôs-se a chorar incontrolavelmente ao se dar conta de que sua carreira política acabara. Certamente a aflige também a probabilidade de um longo retiro na cadeia pelos e-mail's enviados e recebidos. Esse comportamento demonstra que a Dilma dos Estados Unidos jamais teve os atributos indispensáveis para liderar coisa alguma, não, com certeza, uma potência nuclear. Isso é o que podemos chamar de lágrimas de crocrodillo, afinal, aos governantes só se permitem lágrimas se forem de amor ao próprio país e ao seu povo ou então como homenagem a heróis mortos em combate. Já a reação do cachorro louco foi um tapa de luvas na picaretagem que torcia pela sua derrota. Como diz o jornalista Sérgio Caldieri, "A reação inicial de Donald Trump à vitória foi sóbria, digna e calma. A reação histérica de Hillary à derrota foi horrenda. As reações contrastantes de Donald Trump e Hillary Clinton aos resultados das eleições nos EUA oferecem instrutivo de discernimento ou perspicácia quanto ao estado de prontidão individual de cada um para ser presidente".

    P.S.: - A DILMA AMERICANA NÃO TEM SEQUER A DIGNIDADE DE MANTER A COMPOSTURA ANTE A SURRA ELEITORAL QUE LEVOU DO CACHORRO LOUCO QUE NEM LHE CUSTOU A VIDA, E PODE, CERTAMENTE, SALVAR DA MORTE MUITOS OUTROS SERES HUMANOS, CUJO SANGUE PERMANECE EM SUAS MÃOS QUANDO FOI SECRETÁRIA DE ESTADO DO NEGÃO OBAMA, O PIOR PRESIDENTE DA HISTÓRIA AMERICANA.

    ResponderExcluir
  3. eu nao sabia que altamir era norte americano e foi la vota no trump.é outro gil pm da vida virou celebidade foi.dilma ja se foi deicha ela em paz ,se der uma caganeira em tu ai tu vai culpa dilma.que cara sem noçao.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É sem noção não, é a loucura da cachaça. Indivíduo com 300 anos de idade, desocupado, cachaceiro e que ainda mora com a mãe. Daí esses belos argumentos, que não precisa nem ler, é sempre a mesma coisa.

      Excluir
  4. Quando digo que esses jornalistas de esquerda estão no mundo de BOB... KKKKKKKK

    Eu queria saber quem foi que colocou na cabeça desses imbecis que maconheiro, viado e feministas têm voto??? HAUAHUAAUHAUHAUHAUHAUHAHU

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom é tirar print do seu comentário e ir no ministério público. Preconceito, racismo e misoginia ainda são crimes. Cuidado, melhor ir se vacinar no postinho contra raiva, já anda espumando.

      Excluir
  5. ou norteamericano desde criancinha, seu pilantra Seu filha da puta, seu safado!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tu adora um americano desde criancinha? Hummm. Deve ser por isso que adora um "nenem". Parecidoa não?

      Excluir