Natal de Garanhuns

Natal de Garanhuns
A Magia do Natal

Governo do Estado

Governo do Estado
Governo do Estado

quarta-feira, 27 de abril de 2016

OS DESDOBRAMENTOS DA CRISE POLÍTICA


Por Michel Zaidan Filho*

Neste último fim de semana um amigo e editor de BLOG me perguntou se estava tudo bem. Se for possível separar a vida privada da vida pública, posso responder que sim. Afinal a vida de professor não é tão ruim como se pensa. Mas se pensarmos da perspectiva da vida do cidadão brasileiro, aí a coisa muda de figura. Não há quem não sinta um verdadeiro asco da política brasileira.

Antes mesmo do Senado instalar a comissão que vai decidir sobre a admissibilidade do pedido da Câmara sobre o afastamento ou não da Presidente Dilma, reconhecidamente ilegal, os conspiradores se movimentam impudentemente para formar um novo governo, distribuindo cargos, nomeando ministros, anunciando agendas e procurando convencer o mundo de que o que foi feito, foi de acordo com a Constituição do país.

Falta, naturalmente, acordar com o povo brasileiro que deu 54 milhões de votos à Presidenta da República. Transformar um golpe de mão, mesmo embalado numa pseudo-legalidade não é fácil. Sobretudo no ambiente de suspeição interna e externa ao Brasil. É possível que os aliados de Temer e Eduardo Cunha achem que, na ausência de apoio popular, podem simplesmente reprimir pela força as manifestações de protesto que pipocarão pelo país, de ponta-a-ponta contra a manobra golpista.

A essa altura vai ficando claro as reais motivações do golpe. Elas nada têm a ver com qualquer fundamento legal ou jurídico para esse processo. Trata-se de uma imensa coligação de interesses espúrios, antirrepublicanos que conjuga a crença na impunidade do judiciário e da polícia federal em relação aos deputados e senadores hoje investigados, o revanchismo da oposição e a ambição do senhor Michel Temer de se tornar Presidente do Brasil a qualquer preço.

A manobra vai custar caro ao povo brasileiro. Ela deve radicalizar o corte orçamentário (o chamado superavit primário) para agradar os portadores da dívida pública brasileira, os bancos, a plutocracia da Avenida de Paulista, os evangélicos e sua agenda reacionária, os agroexportadores e as empresas multinacionais, de olho do que resta do patrimônio público nacional, a ser oferecido por Temer e seus asseclas na bacia das almas, a preço de banana, como contrapartida ao endividamento do país.


Ninguém espere tranquilidade ou pacificação, neste governo de traição. Tanto os movimentos sociais progressistas como os deputados e senadores fiéis à Constituição prometem obstruir as votações dessa agenda iníqua, antipopular e antinacional. Deve se esperar um governo refém dos interesses que o ajudaram e uma imensa dificuldade de convencer à sociedade que dispõe de legitimidade para encaminhar propostas que tirem o país da crise econômica e social. Os acenos que serão dirigidos aos setores de cima, como forma de quitar a fatura do Impeachment agravarão a crise dos de baixo, a estabilidade do emprego, a garantia de que as dotações orçamentárias para saúde e educação não seja ameaçada. Os servidores públicos e os aposentados ou os que ainda vão se aposentar.

E o Judiciário, o que tem a dizer sobre isso? - Vai cruzar os braços e dizer que o processo é de competência do Legislativo e que não interfere, mesmo diante de flagrantes ilegalidades ou vícios de origem? - Os nossos magistrados terão que assumir a sua parcela de responsabilidade pelo que vier acontecer no país. Quando há uma evidente crise nos demais poderes, a judicialização das questões políticas é inevitável. Se furtar dela é entregar o país ao caos, a ingovernabilidade, à força dos mais fortes, dos mais poderosos, não necessariamente dos que estão com a razão.

*Michel Zaidan Filho é garanhuense, escritor, cientista político e professor da Universidade Federal de Pernambuco na área de Ciências Humanas. É colaborador do blog.

6 comentários:

  1. Na minha pública desde os meus 17 anos eu nunca vi um vice -presidente tão fraco e golpista feito o Michel Temer.

    Recebeu todo o apoio do governo Lula e Dilma e faltando apenas uma semana proclama o rebanho debandar depois de usufruírem do governo com 7 ministérios e centenas de cargos de 2º e 3º escalão.

    Com apenas 67 deputados federais resolveu dar um golpe paragauio numa mulher honesta e que praticou todas as pedalas iguais aos 16 governadores do Brasil e tal e qual praticou FHC e Lula.Joaquim Michel Temer Silvério dos Reis.Fostes e estás sendo traidor e golpista.

    Professor, Michael Zaidan muito bem feito seu artigo de hoje.

    ResponderExcluir
  2. José Fernandes Costa27 de abril de 2016 22:10

    Só os idiotas se deixam seduzir pelo canto dessa sereia! - O país está ruim com Dilma?! - Ficará muito pior com a saída dela. - QUE NINGUÉM SE ENGANE!! - O PMDB vai querer a metade dos ministérios!! - O PSDB quer a outra metade!! - E os demais partidos que ajudaram a concretizar o GOLPE BAIXO, vão ficar como?? - PSB; PPS; PP e tantos e mais tantos outros Ps, que puta que os pariu!!! /.

    ResponderExcluir
  3. Dilma matou muita gente do coração. Temer vai recuperar muita gente que estar no fundo do poço.

    ResponderExcluir
  4. PRIVATIZAÇÕES: De 1994 a 2002 o Brasil conheceu o período das privatizações.Naquele época se questionava o porquê de tantas privatizações e onde iam todo o dinheiro arrecado.

    As privatizações a Vale do Rio Doce,das telecomunicações esta sim deu certo.E as outras? Naquela época existiram denúncias e mais denúncias e até livro foi escrito chamado de privatizaria.

    Os órgãos de fiscalização hoje com a operação lava vem mostrando uma corrupção entre o público e o privado.

    A pergunta é: privatizando tudo como quer o GOLPISTA Michel Temer,o Brasil poderá celebrar o fim da corrupção? Nada.Mentira.

    Essas denúncias que hoje são delatadas pelos operadores do dinheiro fácil (doleiros e lobistas) e diretores das empresas está encravada entre o público e o privado.Vai acabar? Não .

    E quem foi quem proporcionou essas roubalheiras toda? Os políticos e os partidos.

    Neste golpe que está sendo dado no Brasil pelo vice -presidente do Brasil é para salvar o Brasil? Não.Mentira.Quem é o PMDB do Michel Temer e Eduardo Cunha? O partido que soube estar de cima por 50 anos da vida pública do Brasil.

    Nenhum partido do Brasil conhece mais o galinheiro do que o PMDB.Tanto é verdade que eles receberam tudo do povo e do governo e achando pouco traiu e conseguiu trazer outros traidores como PSDB e DEM antigo PFL.

    E o que faz PMDB DA CÂMARA FEDERAL do Eduardo Cunha se juntam ao PSDB do Aécio Neves e do Mendonça Filho do DEM com os outros partidos pequenos e formam hoje um blocão.É para o bem do Brasil ? Não.Mentira.

    Como acreditar nessa gente se foram exatamente eles que se reuniram e formaram esse blocão para aprovar uma proposta de emenda constitucional legalizando todas as doações empresariais aos partidos e aos políticos.

    Como melhorar se continuará tudo como estar? As empresas e firmas ganham as licitações e depois que conseguem com o estado vem a empresa e doa dinheiro para o meu e o teu partido doarem aos políticos para doarem aos eleitores.Isto é compra de votos.


    TUDO ISTO É PARA DISFARÇAR O GOLPE PARAGUAIO QUE ESTÁ SENDO DADO NO BRASIL.ACREDITAR NO PMDB DE MICHEL TEMER E EDUARDO CUNHA? ISTO É UMA PIADA.

    ResponderExcluir
  5. SE
    O VICE -PRESIDENTE DO BRASIL TIVESSE TIDO UM COMPORTAMENTO EXEMPLAR CONFORME TEVE ITAMAR FRANCO EM 1992,EU NÃO DIRIA QUE É UM GOLPE.

    SE
    O PMDB TIVESSE DEIXADO O GOVERNO FALTANDO UNS 4 OU 5 MESES E TIVESSE ENTREGUE TODOS OS 7 MINISTÉRIOS E MAIS DE 600 CARGOS EM COMISSÃO, EU NÃO
    DIRIA QUE É UM GOLPE.

    SE
    FHC E O LULA NÃO TIVESSEM PRATICADO AS MESMAS PEDALADAS FISCAIS E EMISSÃO DE CRÉDITOS SUPLEMENTARES E OS 16 GOVERNADORES DE TODO O BRASIL HOJE,SIMPLESMENTE , EU NÃO DIRIA QUE É UM GOLPE.

    SE
    OS DEPUTADOS FEDERAIS E OS SENADORES NÃO TIVESSEM SITO ELEITOS E REELEITOS NOS MESMOS ESQUEMAS DE COMPRA DE
    VOTOS E DE APOIO COM RECURSOS ORIUNDOS DAS MESMAS EMPRESAS,EU NÃO DIRIA QUE É GOLPE.

    SE
    O PMDB DO EDUARDO CUNHA E MICHEL TEMER NÃO
    TIVESSEM SEUS NOMES COM VÁRIOS DEPUTADOS E SENADORES ENVOLVIDOS NA OPERAÇÃO LAVA JATO, EU NÃO DIRIA QUE É GOLPE.

    SE
    A DILMA TIVESSE RECEBIDO QUALQUER QUANTIA EM DINHEIRO OU EM ESPÉCIE QUALQUER RECEBIDO DE ALGUM
    EMPRESÁRIO,EMPREITEIRO,BANCOS,LOBISTAS E DOLEIROS,CERTAMENTE,EU DIRIA SIM , PODE GOLPEÁ-LA DO PODER QUE ELA MERECE SIM.

    NA DÚVIDA,EU ABSOLVO A MESMA EM GÊNERO, NÚMERO E GRAU.AGORA AQUI PARA NÓS, QUE É GOLPE É!

    O
    PMDB NÃO DEVERIA TER SE SERVIDO DE ESCUDO E PODE EXPIATÓRIO PARA O
    PSDB,DEM,PP,PR,PSD,PROS,PTB,PR,PSC,DEM,PSB E TANTOS OUTROS APLICAREM UM GESTO ANTIDEMOCRÁTICO DIANTE DE UMA POPULAÇÃO BRASILEIRA CUJOS ELEITORES EM SUA MAIORIA ABSOLUTA VOTAM APENAS POR ÓDIO E VINGANÇA, MONEY, MEDO E
    MENTIRA.... O TEMPO DIRÁ SE VOCÊS ESTAVAM CERTOS OU ERRADOS!.

    ResponderExcluir