SEBRAE

SEBRAE
SEBRAE

ALEPE

ALEPE
ALEPE

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

INSTABILIDADE EMOCIONAL - Por Magno Martins

Eduardo e Marina tiveram muitas dificuldades na relação, mas nunca deixaram vir a público. Substituto natural do ex-governador pernambucano na presidência nacional do PSB, o ex-ministro Roberto Amaral não esconde de ninguém suas indiferenças com Marina.
Afastado ontem do comitê-financeiro da campanha, o secretário-geral do PSB, Carlos Siqueira, teve que engolir sapos e marimbondos de fogo para conviver com a ex-senadora e o seu grupo político da Rede, futuro partido dela.
Sabendo das dificuldades que enfrentaria, o ex-vice-prefeito do Recife, Milton Coelho, renunciou também à função de coordenador de mobilização e articulação. Com fama de encrenqueira, Marina acabará sem ninguém do núcleo socialista pernambucano na sua campanha.
Com a saída de Siqueira, um arraesista histórico, fiel escudeiro de Eduardo, a agora candidata do PSB ao Planalto gerou uma crise sem precedentes em sua campanha. Como não tem jogo de cintura nem paciência para aturar quem não integra seu núcleo duro, Marina é uma bomba ambulante, que pode explodir a qualquer momento.
As circunstâncias provocadas pela tragédia que tirou a vida de Eduardo empurraram Marina na corrida presidencial. Ela tem amplas chances de vitória, conforme as pesquisas já atestam, mas também, proporcionalmente, chances de transformar sua campanha num barril de pólvora.
Devido à sua instabilidade emocional, sua forma de tratar as pessoas, de enxergar o mundo, além do seu fundamentalismo religioso. O que poderia, então, ser uma trajetória fácil, um voo curto ao poder, se avizinha com um aroma ruim e sinais de incerteza.
Uma pena que Marina nessa convivência tão próxima com Eduardo não tenha aprendido a ser dócil, humilde, fina no trato, e mais do que isso, a arte da sedução. O ex-governador poderia ter todos os defeitos, como todo político, mas sabia seduzir e conjugar o verbo ampliar.

5 comentários:

  1. José Fernandes Costa22 de agosto de 2014 08:25

    A cada segundo, após a morte de Eduardo Campos, convenço-me de que Marina Silva não reúne condições de governar este país! - Sem tato e sem modos pra conviver com os contrários, Marina daria de cara com um Congresso Nacional, acostumado a negociatas. - E o que ela faria, juntamente com seus radicais seguidores? - Como iria formar maioria pra governar? - 2. Por essas e outras, continuo com a certeza do meu voto em DILMA. – DILMA já provou que governa, mesmo que lhe chamem de antipática e autoritária. - Mas, DILMA precisa e quer, contorna situações difíceis. – Já deu prova disso. /.

    ResponderExcluir
  2. Concordo inteiramente com os argumentos do senhor José Fernandes; Marina Silva não tem condições emocionais de governar o Brasil; aliás esta senhora saiu do PT porque queria o apoio de Lula para ser candidata a presidente e ele preferiu a Dilma; caso ela vença, pois tudo é possível nesse clima de emoção será possivelmente mais um a não concluir o mandato a exemplo do instável Jânio Quadros e do alucinado Fernando Collor de Mello.

    ResponderExcluir
  3. A dupla voltou. eu fui..................................

    ResponderExcluir
  4. Eu discordo dessa Telma. Eu não voto em ladrao e quem é do PT não é santa rouba muito. Ja tem dois escandalos do PT na praça, um é da presidente da Pretobas que passou os bem dela pos parente o outro é o tesoreiro do PT(tesoreiro de novo), o tesoreiro roubou dinheiro do INPS da pretobas. Até isso eles tira dinheiro do povo que vai se aposentar é diLmais

    ResponderExcluir
  5. Concordo. Dois bofe pedante

    ResponderExcluir