terça-feira, 23 de julho de 2013

BANDA QUEROSENE JACARÉ É ACUSADA DE INCENTIVAR VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA A MULHER

Ronaldo César divulgou em seu blog um assunto muito sério que merece a atenção da imprensa de Garanhuns, do Agreste e da capital. Também das autoridades municipais e estaduais e dos organizadores do Festival de Inverno. Estou me referindo ao desabafo da estudante Agatha Salcedo, do mestrado de literatura da UFAL, que acusa Ortinho, da Banda Querosene Jacaré, de incentivar a violência contra a mulher, durante o show no Parque Euclides Dourado, no último sábado.

“Só respeitem as mulheres grávidas (ou foi as mulheres casadas?). Nas outras podem meter o dedo no parreco, que elas querem dar. Podem meter o dedo, que todo mundo quer foder....”

Esse teria sido o discurso machista do cantor, que irritou Ágatha e suas amigas. A estudante deixou claro no Facebook que não é conservadora em matéria de sexo, mas não tem dúvida de que o artista exagerou e “não foi força de expressão”. Segundo ela, muitos dos presentes no Palco Pop não gostaram, inclusive muitos homens. “Isso não pode passar em branco. E eu realmente espero que não passe”, cobrou a universitária.

O texto completo da garota você pode conferir no blog de Ronaldo. Acho que o prefeito Izaías Régis ou a responsável pela Coordenadoria da Mulher em Garanhuns, Eliane Simões, precisam se posicionar sobre este episódio. Essa banda e seu vocalista têm de se explicar.

O Governo do Estado e a Fundarpe também têm a obrigação de comentar o caso. Quando se luta tanto contra a violência que atinge as mulheres não pode um grupo musical, em pleno Festival de Inverno, cometer uma infelicidade dessas.

7 comentários:

  1. É a falta de pessoas com a coragem e a iniciativa dessa menina que ajuda a pessoas como o tal artista a continuarem ofendendo e se achando com o direito de cometer grosserias em nome da arte. A liberdade de expressão é o ideal de todo ambiente democrático, mas o respeito e a educação estão bem à frente de qualquer forma de expressão, sem puritanismos nem demagogia. APENAS RESPEITO. Que os organizadores do Festival saibam agir da melhor forma possível para punir e inibir certo tipo de comportamento repugnante. Jaqueline Dantas

    ResponderExcluir
  2. Minha filha para quem anda nesses lugares e escuta um tipo de musica daquele não deve ser surpresa esperar essa atitude do vocalista. Acho que a cultura deve ser difundida sim, mas com relação a certas bandas não existe cultura! É um lixo!
    O que mais me impressiona é o que FUNDARPE faz aqui na cidade. Enche os palcos de lixo e os verdadeiros artistas ficam de fora. As coisas só funcionaria se a própria população se manifestassem mas aqui na terra das sete colinas ... nem isso...

    ResponderExcluir
  3. PARABÉNS A FUNDARPE QUE TRÁS ESSES LIXO DE RECIFE.

    ResponderExcluir
  4. Qual foi o critério usado para trazer um lixo como esse para o festival? quem aprovou este projeto? Isto é um absurdo.

    ResponderExcluir
  5. o "lixo" não é de Recife, anônimo, mas sim de Caruaru. Eu não estou defendendo o vocalista da banda, mas ele possui um currículo belo e grandes trabalhos com parcerias de Arnaldo Antunes, Marcelo Jeneci e outros grandes músicos. Acho que o show foi LAMENTÁVEL, foi um ato CRIMINOSO e merece SIM ser punido, mas entendo a FUNDARPE em convidar a banda querosene jacaré por ser uma banda que moveu multidões que curtiam ROCK nos anos 90, além de que o vocalista Ortinho (apesar dos pesares) possui um belo currículo ARTÍSTICO. Deu errado? Sim. Foi um erro da FUNDARPE? Não.

    ResponderExcluir
  6. Nao sei por onde começar. Primeiramente, gostaria de separar duas coisas: Querosene Jacaré como grupo musical e a atitude do cantor. Vamos por partes. Gosto musical cada um tem o seu. Alguns gostam de Roberto Carlos e outros de Bob Marley e por esta e outras razoes o panorama musical do Brasil (acredito eu ainda que possa parecer ingênuo) tem lugar para todos. Mas a atitude do cantor é, como dizer isso sem insultá-lo, patética, machista, deplorável, vergonhosa! Ainda que pedindo desculpas que, desde o meu ponto de vista soaram como palavras ridiculamente elaboradas e de pouca auto-reflexao, nao vejo suficiente. Se o antes Planet Hemp foi criticado (se me lembro bem, os membros da banda passaram um dia na delegacia - me corrijam se estou errada) por apologia à maconha, esse "senhor" (se é que se pode chamar assim) utiliza como subterfúgios para tais aberraçoes verbais o álcool, sugiro que este "homem" seja indiciado por incitaçao à agressao sexual contra as mulheres e afastado de qualquer apresentaçao até que o caso seja apurado. Sem sombra de dúvidas, esse "cantor e artista" (nao entro em questoes de produçao artística nem história musical do grupo) nao merece o respeito do público, muito menos um espaço público onde possa abrir a boca para dizer tais absurdos. E tenho dito!

    ResponderExcluir
  7. O Que Posso Dizer é Um Absurdo Em Publico Um Mal Exemplo de Um Artista, Onde Todos Esperavam Um Grande Show e o Que Viram Foi Um Incentivo a Violência Podendo Ter Um Tumulto Generalizado.

    ResponderExcluir