SEBRAE

SEBRAE
SEBRAE

terça-feira, 23 de outubro de 2012

UM TOCADOR DE VIOLA NA PREFEITURA DE TABIRA

Poeta, repentista, tocador de viola. Sebastião Dias, artista popular, é agora o prefeito eleito de Tabira, no Sertão do Pajeú. Mesmo já tendo exercido o mandato de vereador e secretário do município, debocharam com ele na campanha, alegando que um poeta popular não poderia ser prefeito.

Mas as eleições municipais deste ano trouxeram muitas novidades. O prefeito eleito de Garanhuns começou a vida vendendo confeitos, num fiteiro, o de Brejão quando começou a trabalhar foi servente  de pedreiro, o de São João é filho de plantador de mandioca, mesmo Dra. Débora, em São Bento do Una, quando criança morava e estudava em escola de zona rural.
Fatos como esses mostram que hoje há mobilidade social no Brasil. Lula e Dilma – independente de mensalão ou coisas parecidas – quebraram paradigmas e a democracia brasileira avança e amadurece.
Com relação à eleição de Sebastião Dias, reproduzimos abaixo uma carta do jornalista olindense Ruy Sarinho, enviada ao prefeito eleito de Tabira.


Carta Aberta a Sebastião Dias e ao povo de Tabira

Viva, uma viola na Prefeitura!

 Brotou poesia das urnas de Tabira. A eleição, pela primeira vez no Brasil, de um repentista cantador de viola e mestre na sua arte, Sebastião Dias, de uma tacada só, derrubou preconceitos e a prepotência dos políticos doutores entre aspas desta Cidade do Sertão do Pajeú pernambucano, que respira cultura viva e vocação poética por todos os seus recantos e pelo meio do mato e até no canto dos passarinhos.

Foi um grito violado de uma população sempre tratada com arrogância e olhar superior por aqueles que se acham donos da consciência do povo. Aquela gente política que se impõe pelo poder econômico, tratando-se mutuamente por doutores, que nem de longe são de sabedoria, para perpetuar essas elites no comando político.

Sebastião Dias foi eleito prefeito sem o apoio de caciques locais, mas embalado pelos acordes de sua viola que tentaram ridicularizar, pois queriam destruir a réplica de uma grande viola montada em praça pública, após a derrota do candidato-cantador.

         Não conseguiram quebrar a viola.
         Quebraram foi a cara!

 Pinto do Monteiro, lá do alto das estrelas que iluminam no firmamento a sua verve poética, está festejando em suas rimas geniais a vitória da sabedoria popular que botou na Prefeitura de Tabira um menestrel violeiro.      

Graças a Deus, não sou doutor; muito menos, gosto dos que se impõem doutores.

Com certeza, dois cearenses os que mais admiro também estão aplaudindo lá de cima a vitória de Sebastião Dias: Dom Helder Câmara e Miguel Arraes de Alencar, que carregavam dentro de si a alma do povo.

Uma vitória que está inundando de felicidade a gente simples de Tabira.
         
Aqui, da minha Olinda, vibro com a inteligência dos eleitores tabirenses que romperam a mordaça que os calava e se libertaram pelos versos e com os versos do poeta Sebastião Dias.

 Meu amigo Sebastião Dias, minha ligação com a cultura popular vem de sempre, da beira do mar e do vai-e-vem das ondas de Olinda do Largo de Nossa Senhora da Santa Cruz dos Milagres, na entrada da Cidade, onde morei desde o nascimento até a idade adulta. Das histórias contadas pelos mais velhos da lendária Troça Carnavalesca Donzelinhos dos Milagres. Vem do maracatu rudimentar que descia do Guadalupe, trazido na folia por sua rainha, a vigorosa guerreira Celina, antiga lavadeira que prestava seu dedicado serviço na casa dos meus pais, e que se orgulhava e encantava o carnaval com sua calunga negra na mão, numa coreografia pura nascida do próprio povo.

Da minha amizade com Bajado – Um Artista de Olinda, ao convívio, até hoje, com o italiano mais olindense que conheci, Giusepe Bacaro, também seu amigo, que realizava os inesquecíveis e imbatíveis Torneios de Repentistas de Olinda e as Caravanas da Poesia Popular, País afora, e que participei de uma das caravanas, pelo Nordeste, ao seu lado..
        
Como estudante de jornalismo fui o autor de um projeto na formatura de minha turma, concluinte de 1983, que defendia e denunciava a falta de projetos culturais pelos governos para a cultura raiz do nosso povo, bem como a penúria em que viviam nossos artistas geniais. Contrariando o modelo antigo, e viciado, de escolher para patrono da turma um rico empresário da comunicação para bancar a festa, que seria Paes Mendonça, apresentei a ideia que encantou toda a turma, de ter como patrono nosso cantador maior: Pinto do Monteiro. Outros homenageados foram o pintor Bajado, que pintou num grande quadro em folha de compensado, como placa de formatura que esdtá no auditório da Unicap; um santeiro de barro desconhecido de Goiana e o poeta Delarme Monteiro, que escreveu o convite-cordel da formatura, aqui ilustrado pela estrofe abaixo:

                                     “A turma do Padre Mosca                                        
                                      Para manter seu cartaz
                                      Terá como paraninfo
                                      A dona Vera Ferraz,
                                      E patrono o violeiro
                                      Que é Pinto do Monteiro
                                      Um repentista capaz.”

Sem o tradicional baile de formatura, a grande festa foi o encerramento do VIII Torneio de Repentistas de Olinda, no dia 22 de janeiro de 1984, seguido por um encontro informal entre os novos jornalistas, convidados e os gênios da cantoria e da poesia, como você, Louro do Pajeú, João Furiba, Patativa do Assaré, Ivanildo Vilanova, Oliveira de Panelas, João Paraibano, Guriatã do Norte, Sinésio Pereira, Antônio Lisboa, Edmilson Ferreira, Cachimbinho e tantos outros que fazem e faziam da poesia do improviso a arte do bem viver, todos reunidos no anfiteatro da Casa das Crianças de Olinda, dirigida por Bacaro.

Daí, minha felicidade por poder cumprimentá-lo como o novo prefeito de Tabira, a partir de primeiro de janeiro de 2013.

Como não sou poeta, encerro minha homenagem com mais uma estrofe do para sempre Delarme Monteiro, desejando que você seja na Prefeitura de Tabira quase tão genial como é na beleza dos seus versos e na força da sua indomável viola:

                                        “Porque de fato um poema
                                        Como faz o menestrél
                                        Cantando ao som da viola
                                        Tem a doçura do mel
                                        Poesia doce e pura
                                        Extraída da cultura
                                        Que chamamos de cordel.”

Um grande abraço, meu Poeta-Prefeito, Sebastião Dias.
Olinda, 23 de outubro de 2012.     

4 comentários:

  1. CARO ROBERTO, VENHO SOLICITAR SUA AJUDA PARA NOVAMENTE DENUNCIAR A DESGRAÇA QUE ESTÁ O DOM MOURA, HOJE UM RAPAZ FOI BALEADO NO ABDOMEM, NA CIDADE DE SÃO JOÃO, E TEVE QUE SER ENCAMINHADO PARA CARUARU POIS AQUI NÃO TINHA CIRURGIÃO, É INACREDITÁVEL ISSO CARUARU JÁ GANHA DE NÓS EM TUDO, E ATÉ EM MÉDICOS AGORA GANHA TAMBÉM.

    ResponderExcluir
  2. José Fernandes Costa23 de outubro de 2012 20:08

    Lá vem o Sebastião Dias
    O prefeito de Tabira
    Um autêntico violeiro
    E o povo acertou na mira
    Para tirar os "doutores"
    Cai a troca de favores
    O povo elege e ninguém tira.

    Saúdo o Sebastião
    Faço coro com Sarinho
    Na alegria sincera
    Dias chegou de mansinho
    Trazendo a maestria
    De quem faz a poesia
    Embalado no seu pinho.



    ResponderExcluir
  3. O POETA SEBSTIÃO DIAS
    LUTOU E CONSEGUIU
    TRANSFORMAR EM ALEGRIA
    A CIDADE DE TABIRA

    FOI UMA VITÓRIA ESMAGADORA
    QUE O POVO APLAUDIU
    VALEU O SACRIFÍCIO
    DE 2 EM 2 REAIS O POVO CONTRIBUIU
    O CORONEL FOI DERROTADO E O POETA VENCEU
    VALEU SEBASTIÃO DIAS VOCÊ SE TORNOU HERÓI MEU.

    QUE COISA BONITA.QUE LAÇOS DE AMIZADE FRATERNA.
    SOMENTE EXISTEM 3 MANEIRAS DE SE FAZER POLÍTICA:

    Primeira: a amizade
    Segunda: serviços prestados
    Terceira: dinheiro.

    Ainda bem que o dinheiro vem durrubando os coronéis da região e do Estado.Querem fazer o povo de besta e de idiota.O Governador de Pernambuco que se cuide.A lapada foi grande em todo o Agreste Meridional e no Estado também.Quem manda subir no palanque dos adversários e inimigos e meter porrada na senzala.Bem feito!

    ResponderExcluir
  4. Nascido no seridó
    Sua força é o repente
    Que dedilhava na viola
    Sua cantigas recente
    Sebastião Dias cantador
    Um politico inteligente...

    ResponderExcluir