SEBRAE

SEBRAE
SEBRAE

sábado, 15 de maio de 2010

GRANDES NOMES DA MPB XXII



*Clicando no nome da artista, acima, você acessa um vídeo recente da cantora em grande forma, interpretando da maneira arrojada "Você Vai Ser Meu Escândalo", uma composição de Roberto e Erasmo.

Wanderléia Charlup Boere Salim é mineira de Governador Valadares e nasceu no dia 5 de junho de 1946. Aos 9 anos os pais mudaram para o Rio de Janeiro e Wandeca com apenas 10 anos se apresentou no rádio e começou a se destacar, inclusive vencendo os primeiros concursos. Em 1962 gravaria o primeiro disco, um compacto simples e no ano seguinte um LP, com 12 músicas. A cantora se tornou uma grande musa da Jovem Guarda, formando um trio conhecido em todo o Brasil, juntamente com Roberto e Erasmo Carlos. Os anos 60 foram de muito romantismo, de canções ingênuas falando sobretudo de amor. Das mulheres daquela época, a que mais se destacava era Wanderléia, apelidada de Ternurinha. “Uma vez você falou, que era meu o seu amor e que ninguém mais vai separar você de mim”. Os belos versos desta música, uma versão de Rossini Pinto, impulsionaram a vida da artista e inspiraram o seu apelido. Em 1977, o próprio Roberto Carlos gravaria esta canção, num vinil que traria ainda Cavalgada e Jovens Tardes de Domingo, esta celebrando exatamente os “bons tempos” da Jovem Guarda.

A rainha da Jovem Guarda usava saias bem curtas e cantava gesticulando demais. Sua coreografia não era lá essas coisas. Suas pernas, no entanto, eram bonitas e a foz afinada. Aliada a um repertório correto, a um certo charme e a ligação com o movimento da Juventude daqueles tempos, Wanderléia reinou durante todos os anos 60. O Casamento, Foi Assim, Finalmente Encontrei Você e Prova de Fogo foram outros grandes sucessos da cantora. Após o fim da Jovem Guarda, a artista mineira, assim como Rosemary, Wanderley Cardoso, Jerry Adriany, Deni e Dino, Os Vips, Golden Boys, Renato e seus Blue Caps e Martinha sumiram da mídia.

As grandes cantoras da MPB, caso de Maria Betânia, Gal Costa, Elis Regina, depois Simone e Marisa Monte consolidaram suas carreiras e outros nomes foram surgindo. Adriana Calcanhoto, Renata Arruda, mais recentemente Isabela Taviani, que inclusive fez uma releitura de Ternura... Temos, felizmente, uma seleção de grandes divas na área muscial. Sem esquecer o passado: Eliseth Cardoso, Ângela Maria, Dalva de Oliveira, Dolores Duran.

Apesar de tanta gente boa, das mudanças, do fim da Jovem Guarda, seria injusto deixar Wanderléia restrita só ao sucesso passageiro de uma certa época. Ela é uma grande cantora, tem uma voz incrível e com o tempo ficou até mais bonita, perdeu os trejeitos meio ridículos do início da carreira e hoje tem uma presença de palco invejável. Esteve não faz muito tempo duas vezes em Garanhuns, no Festival de Inverno e quem foi assistir o show pôde conferir a performance de uma artista ainda em forma.

Anos atrás, ele perdeu um filho de apenas dois anos, afogado na piscina de casa. Um trauma que tem de carregar até hoje. Passou 10 anos sem gravar e no começo desta década lançou um novo álbum, incluindo uma música de sua autoria dedicada ao filho que morreu tão cedo. Recentemente, brilhou num especial da Globo cantando “Você vai ser meu Escândalo”, uma canção incrível de Roberto que não foi gravada pelo rei.

Ela pode não ter um repertório tão bom quanto o da Simone, uma voz expressiva quanto Elis ou Betânia, a doçura de Gal, mas Wanderléia merece ser incluída na relação dos Grandes Nomes da MPB. É uma questão de justiça pela sua bela voz, por estar aí, perto de 65 anos ainda cantando como uma menina e pelo legado dela à música nacional em mais de quatro décadas, gravando alguns sucessos realmente inesquecíveis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário