ALEPE

ALEPE
ALEPE

GOVERNO DO ESTADO

GOVERNO DO ESTADO
GOVERNO DE PERNAMBUCO - FUNDARPE

domingo, 21 de março de 2010

GRANDES NOMES DA MPB XIV



Abelim Maria da Cunha. Este nome tão feio (pelo menos o primeiro) batiza uma das maiores e melhores cantoras do Brasil de todos os tempos. Ela é conhecida como Ângela Maria (a voz), faz 82 anos em maio deste ano e já gravou sucessos inesquecíveis como "Cinderela", "Babalu", "Gente Humilde", "Tango para Tereza!, "Canto Paraguaio" e "Lábios de Mel". Nasceu no interior do Rio de Janeiro e começou a se apresentar em rádio ainda novinha. Fazia isso escondida dos pais e criou o nome artístico de "Ângela Maria" para não ser identificada por eles. A garota ganhava todos os prêmios e no futuro seria tão querida e famosa que não precisaria mostrar sua arte às escondidas. Mesmo com tanto tempo de carreira, a cantora chegou à década de 90 e ao século XXI ainda gravando e tendo público de sobra. Em 1996, no CD Amigos, juntou Roberto Carlos, Maria Betânia, Caetano Veloso e Chico Buarque. O disco vendeu à época 500 mil cópias, fato cada vez mais raro no Brasil, principalmente depois do advento da pirataria e de baixar música pela internet. Achando pouco, em 97 Ângela gravou um novo álbum: "Pela Saudade que me Invade", só com sucessos de outra diva da música nacional, a cantora Dalva de Oliveira. O CD do ano seguinte seria com participação de Aguinaldo Timóteo, que foi seu motorista e depois despontou como um dos grandes cantores românticos do país. O disco da dupla entrou na lista dos cem discos brasileiros mais vendidos de todos os tempos. Finalmente, em 2003, Ângela Maria gravou um disco juntando o novo e o velho: incluiu desde músicas de Dolores Duran (outra grande cantora e compositora na história da música popular brasileira) até canções produzidas pelo contemporâneo Djavan.
Ângela Maria, que já gravou também com João Bosco, Ney Matogrosso e outros grandes artistas de diferentes gerações. Sempre teve uma voz muito bela, limpa, capaz de encantar o seu público. Tem também uma forte presença de palco. Além de gravar discos desde 1951, a artista carioca também participou de vários filmes nacionais, usando mais a sua voz diferenciada do que um eventual talento de atriz. No final do ano passado, aos 81 anos, surpreendeu numa entrevista ao elogiar a participação cada vez maior da mulher na sociedade e defendeu a eleição de uma mulher para a presidência da República. Terminou dizendo ao repórter que votaria tranquilamente em Dilma Roussef para o cargo hoje ocupado por Lula. Mas isso aí é só uma curiosidade. Deixemos a política pra lá, pois o que interessa mesmo é a Ângela Maria cantora. Como canta essa mulher! Por isso merece figurar com honra na galeria dos grandes nomes da MPB de Todos os Tempos.

*O VÍDEO: Conseguir um vídeo bom de Ângela Maria deu trabalho. Eu queria Cinderela, mas a imagem era antiga e o som sofrível, além de muito curto. "Babalu", cantada em parceria com Ney Matogrosso está muito elétrica, parecendo um rock. Achei que não era a Ângela, não tinha a ver com o que ela representa. Um dueto com Roberto Carlos estava muito batido. "Canto Paraguaio" e "Tango para Tereza" também não tinham qualidades técnicas. Terminei encontrando uma gravação legal de "Alma Gêmea", composição de Peninha, conhecida na voz do Fábio Júnior. Não é tão antigo, a cantora interpreta a música divinamente e e o Fábio em nenhum momento atrapalha, se portou muito bem. Clique lá em cima, em ÂNGELA MARIA e confira a perfomance dessa grande cantora, ainda em forma aos 81 anos de idade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário