SECRETARIA DE SAÚDE DO ESTADO

ALERTA DO JORNAL EL PAÍS AOS BRASILEIROS

Por Adriano Machado, da agência Reuters

Os covardes machistas podem fingir que não são covardes machistas, mas em algum momento eles se revelam. E não há momento mais oportuno para os atores públicos do Brasil mostrarem que não o são, longe de serem coniventes com a baixaria empreendida pelo presidente Jair Bolsonaro contra a repórter Patrícia Campos Mello, da Folha de S.Paulo, na manhã desta terça-feira. Num país em que 52% do eleitorado é feminino, deputados e senadores deveriam ficar alertas. Eles têm a grande oportunidade de mostrar que não vão deixar a vulgaridade assumir o Brasil, rasgando todo e qualquer senso de decência do Estado em relação a uma mulher, deixando que se propague uma mentira orquestrada dentro do Congresso. Deixem de lado o fato de Patrícia ser jornalista. Ela é mulher. Poderia ser uma economista, uma copeira, uma faxineira, uma jogadora de futebol. Ela foi exposta com insinuações sexuais por um presidente, como nunca o Brasil viu. Ele não está na mesa de bar com amigos, está na frente das televisões dizendo que Patrícia queria “dar um furo a qualquer preço”, sugerindo sexo em troca de informação que é o mesmo que chamar uma mulher de prostituta. Só uma cabeça pervertida pode se sentir tão à vontade para dizê-lo em alto e bom som.
Nunca na democracia um chefe de Estado havia caído tão baixo apelando à vulgaridade para falsear a realidade. Quiçá no mundo. Nem Donald Trump chegou a tanto. O Congresso tem as provas à mão para admitir que Hans River do Rio Nascimento mentiu na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI). A insinuação asquerosa de Bolsonaro, pai de uma filha de 9 anos, chega a um patamar nunca visto no Brasil. Todo mundo sabia do que Bolsonaro era capaz, desde que ele xingou uma repórter em abril de 2014. Mas editou a si próprio para fazer sua campanha e venceu. Legitimamente. Desde então, empreende uma guerra grosseira, agressiva e mentirosa contra a realidade para esquivar-se de suas próprias capivarasA morte de Adriano da Nóbrega, que convenientemente morreu nas mãos da polícia da Bahia, governada pelo Partido dos Trabalhadores, foi um presente no colo de Bolsonaro que agora se tornou o maior defensor de presos assassinos, embora repetisse sempre que “direitos humanos era para humanos direitos”, e seja um dos que faz coro ao jargão “bandido bom é bandido morto”. De onde vem essa mudança? Os homens públicos deste país, empresários e agentes da Justiça vão deixar que o que já se construiu em termos de sociedade vá para o ralo? Em nome de quê?
Senhores deputados e senadores, vocês podem ter um papel tremendamente decisivo neste início de 2020. Pelas suas filhas, pelas suas mães, pelas suas eleitoras, pelas suas irmãs. Não desprezem a construção que mulheres têm feito até aqui por um país mais decente e menos violento. A violência das palavras de um chefe de Estado reverbera em todas as esquinas e rincões do Brasil. Já se matam uma mulher a cada duas horas aqui, um estupro acontece a cada 11 minutos. Tenham decência, coragem, de estancar esta sangria desatada que abriu as portas para uma perversidade gratuita. Vocês foram eleitos para que o Brasil fosse um país melhor, mais próspero, mais respeitado, mais ético. Não há melhora onde uma mentira é naturalizada na Casa em que vocês representam cada brasileira. Não há prosperidade num país onde se quer estabelecer o medo como forma de governo. Não há respeito por um país que fecha os olhos e silencia diante dos disparates que estamos assistindo. Isso também é corrupção. Corromper seu papel público em nome do poder.

*Fonte: Jornal El País.

3 comentários:

  1. ACHEI INCRÍVEL QUE A JORNALISTA PATRÍCIA É AMICÍSSIMA DE VERDEVALDO... SOA ESTRANHO, NÃO!!! SERÁ QUE ESSAS DUAS FIGURAS SÃO VIRGENS, HEIN?!?!?! SERÁ QUE SÃO DUAS BISCATES QUE ANDAM OFERECENDO PRAZER AOS SEUS ALVOS, NO INTUITO DE CONSEGUIR FURO DE REPORTAGENS... FAÇAM SUAS APOSTAS!!!

    ResponderExcluir
  2. Eu apenas fico lendo e tirando minhas próprias conclusões.Que falta de conhecimento gerais de um homem que não estava,não está e nem estará preparado para conviver com as críticas mesmo aquelas que fere e machuca o coração de um homem de bem.

    Eu sei o que a Manuel D!avila sofreu com as mentiras e acusações levianas durante a campanha política de 2018.A pior delas reproduzidas em série pelas redes sociais,WHTASAPP E FACEBOOK, foi que ela teria dado 18 telefonemas para Adélio Bispo de Oliveira matar o presidente.

    Eu sei e me lembro o quanto Cristina Tavares Correia sofreu quando no meios dos machados fazia e discursava e grande parte dos homens e mulheres diziam que "lugar de mulher era na cozinha"."Que coisa feia uma mulher no meio dos homens".

    As nossas primeiras professorinhas foram as nossas mães.Foram elas que nos ensinaram a andar,a amar,a estudar, a pensar e ser grande no dia de amanhã.

    Minha mãe,IRACEMA CARVALHO DA LUZ, nascida na Barra do Brejo em Bom Conselho hoje com 89 anos saiu da ESCOLA tirada pelos pais aos 9 anos por sabia ler e escrever cartas.E meus avós disseram a ela assim: "minha filha,você não vai mais estudar porque você já sabe demais".

    A melhor caligrafia da família foi de minha mãe até aos 80 anos quando escrevia.Hoje ela não escreve mais. Viva as mulheres do Brasil e do mundo. Contra os covardes que lhes atiram pedras.Numa mulher não se bate nem com uma flor,a mulher se dá carinho e se dá amor!

    ResponderExcluir
  3. 0 governo peca e cai com as próprias pernas e com sua língua solta.Gosta de soltar o verbo ameaçando todo mundo.Inclusive os seus não escapou quase ninguém como por exemplos: Gustavo Bebiano, General Santos Cruz, Delegado Valdir,Joice,Alexandre Frota, Luciano Bivar,os governadores de São Paulo e do Rio de Janeiro que votaram nele para presidente. Até a Janaina Pachoal andou dizendo que nunca foi bolsonarista.Até o guru do presidente soltou o verbo e chamou o general Mourão de merda e o General Carlos Alberto Santos Cruz de bosta e a Joice chamou de doido.Eita,gota serena,não escapa ninguém!.Também com 33 anos o cara já estava aposentado ganhando R$ 10.000,00 mensal!

    ResponderExcluir