GOVERNO DO ESTADO

GOVERNO DO ESTADO
GOVERNO DE PERNAMBUCO - FUNDARPE

Alepe

Alepe
Alepe

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2019

POR FALTA DE BANHEIRO MORADOR MIJA NA RUA MESMO

Praça de Eventos da cidade de São João, município que fica apenas a 12 km de Garanhuns, se tornou o ponto de encontro da população local e de cidades circunvizinhas.

Jovens procuram um lugar para se divertir, porém existe um problema sério que a prefeitura teima em não resolver. É que é necessário construir banheiros para os usuários da praça.

Todas as noites, de segunda a segunda, diversas pessoas se deslocam à Praça de Eventos de São João para lanchar ou tomar alguns drinques e não existe banheiro para atender as pessoas.

As mulheres são as que mais sofrem com a questão, pois os homens fazem suas necessidades em via pública e transformam as ruas em um grande banheiro,  deixando alguns locais com um cheiro insuportável para os moradores.

Um proprietário de uma famosa lanchonete da praça se propôs a construir os banheiros com recursos próprios, mas a prefeitura não permitiu. "Não constrói e nem deixa ninguém construir", alguém se queixou.

“Senhor prefeito, tome iniciativa, ande lá pelo menos e verá o problema, pois andar só nos restaurantes de Garanhuns não permitirá ver isso”, apelou um morador de São João que preferiu não ter o nome divulgado.

Um comentário:



  1. Homem foi preso por cagar no muro de um prédio publico.--- Esse é o despacho do delegado no Rio Grande do Norte.

    “ Não vislumbro justa causa com vistas a justificar a lavratura de procedimento criminal contra o conduzido, por falta absoluta de provas. Inexistem autoria e materialidade. O conduzido é morador de rua , e não achou lugar melhor para dar de corpo, obrar, grosso modo, esvaziar o intestino grosso, cagar, como se diz no idioma espontâneo do povo.

    Trata-se de um brasileiro em típico estado de necessidade. Ele não tem casa nem privada onde possa “arriar o barro”, com o se diz lá em nós. E foi trazido a esta delegacia pelo simples fato de ter cagado no intramuros da repartição pública mal cuidada e mal vigiada, quando a cagada maior é dos administradores, a partir do momento em que não cuidam direito da segurança do prédio, um espaço destinado a prestar serviço público.

    Trata a presente ocorrência de uma cagalança geral: do prefeito ao secretário, passando pelo diretor do órgão, pelo vigilante de faz-de-conta, pelos membros da Guarda Municipal que conduziram um homem inocente até esta Delegacia, e porque não dizer da parte deste delegado, ora fazendo uso de linguagem pouco usual, porém vigorosa, para redigir o presente despacho ”.

    Fonte: Último Segundo - iG @ https://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2018-08-08/despacho-indignado-defecar-em-escola.html

    ResponderExcluir