quarta-feira, 30 de janeiro de 2019

JUÍZA PROÍBE LULA DE IR AO VELÓRIO DO IRMÃO


A juíza Carolina Lebbos, da Vara de Execuções Penais de Curitiba (PR), negou nesta 4ª feira (30.jan.2019) o pedido do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) de saída temporária da prisão para ir ao velório do irmão Genival Inácio da Silva, de 79 anos. Leia a íntegra da decisão.

Para a magistrada, “ponderando-se os interesses envolvidos no quadro apresentado, a par da concreta impossibilidade logística de proceder-se ao deslocamento, impõe-se a preservação da segurança pública e da integridade física do próprio preso”.

Vavá, como era conhecido o irmão do ex-presidente, morreu na 3ª feira (29.jan) em decorrência de 1 câncer de pulmão. O velório será realizado nesta 4ª feira, em São Bernardo do Campo (SP).

O não a Lula seguiu ofício da PF (Polícia Federal). De acordo com Luciano Flores de Lima, superintendente da PF no Paraná e responsável pela assinatura do documento, as aeronaves disponíveis para levar Lula estão sendo usadas para auxiliar os trabalhos em Brumadinho (MG).

“Feitas as considerações no tocante ao meio de deslocamento, o que por si só resta inviabilizado o atendimento ao pedido, seja porque os helicópteros da PF estão sendo utilizados no momento em Minas Gerais, para auxiliar nos resgastes de Brumadinho, seja pela ausência de tempo hábil para o deslocamento da única aeronave da PF disponível no momento, restam as ponderações relativas às análises de risco e do efetivo policial que seria necessário empregar para uma escolta como esta”, escreveu o policial.

A polícia fez uma “análise de risco” da operação. Citou a Vigília Lula Livre, que acampa em frente ao presídio em Curitiba. E listou os seguintes possíveis cenários: “1 – Fuga ou resgate do ex-presidente Lula; 2 – Atentado contra a vida do ex-presidente Lula; 3 – Atentados contra agentes públicos; 4 – Comprometimento da ordem pública; 5 – Protestos de simpatizantes e apoiadores do ex-presidente Lula; 6 – Protestos de grupos de pressão contrários ao ex-presidente Lula”.

A força-tarefa do Ministério Público do Paraná que compõe a Lava Jato também se manifestou contra a ida de Lula: “É necessário que se rememore que o custodiado não é 1 preso comum e que a logística para realizar a sua escolta depende de 1 tempo prévio de preparação e planejamento, não podendo ser realizada de inopino”.

A defesa de Lula se respaldou no artigo 120 da Lei de Execução Penal para fazer o pedido. O dispositivo estabelece que “os condenados que cumprem pena em regime fechado ou semiaberto e os presos provisórios poderão obter permissão para sair do estabelecimento, mediante escolta, quando ocorrer um dos seguintes fatos: falecimento ou doença grave do cônjuge, companheira, ascendente, descendente ou irmão”.

O petista está preso desde 7 de abril de 2018 na Superintendência da PF (Polícia Federal) em Curitiba. Foi condenado a 12 anos e 1 mês de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá (SP).

*Fonte: MSN Notícias

Um comentário:


  1. A convocação feita pelo moleque lindinho e a amante-coxa iria transformar o velório em ato público carnavalesco contra a prisão do Seboso, que é presidente de honra do partido. Fica claro e evidente que a Polícia paulista não tinha condição de garantir a segurança do evento. É evidente que a juíza não podia autorizar a ida do detento que está preso por roubo, apesar da previsão em lei que diz o seguinte: (na lei está escrito “poderão”). Portanto, a Juíza só faltou escrever em seu VEREDICTO: Chega de palhaçada!!!

    Em razão da turma da mortadela, o deslocamento de um verme imundo como o Lula requer planejamento prévio e que quando se apresentou para cumprir ordem de prisão houve tumulto no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, onde ele estava. Os procuradores dizem que desta vez não seria diferente e que há risco de protestos e tumultos generalizados causados pelos defensores de BANDIDO DE ESTIMAÇÃO e a turma do pão com mortadela e tubaína. O que esta abjeta e profana criatura queria mesmo era chacoalhar com o enterro do irmão.

    Prestem atenção para vocês saberem quem é o Verme Imundo do Seboso de Caetés e o amor que ele devota aos irmãos: o pilantra que hoje está preso por roubo, já era presidente quando, em 2004, nem sequer foi ao velório e tampouco ao sepultamento do irmão João Inácio de Góis, que faleceu vítima de câncer. Em janeiro de 2005, este mesmo presidiário que está mofando na jaula, também não compareceu ao enterro de outro irmão, Odair Inácio de Góis, que morreu após um ataque cardíaco.

    Aristides Inácio da Silva, pai do Seboso, sempre foi uma figura incômoda, um progenitor de poucas boas lembranças na memória de Lula e de seus irmãos. Aristides morreu em 1978, devido ao alcoolismo, e foi enterrado como INDIGENTE, no cemitério da cidade de Vicente de Carvalho. Nenhuma mulher ou ex-mulher que ficou sabendo do fato quis assumir a responsabilidade do corpo. Nenhum filho tentou tirá-lo da vala comum e conceder-lhe um túmulo. Estes foram os dias finais de seu Aristides que quando morreu feito um cachorro sarnento na rua da amargura seu filho era presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC.

    P.S.: - No velório da mulher o Seboso de Caetés, de microfone na mão, dançou um sapateado em cima do caixão da defunta; Por ser pernambucano, desta vez, o canastrão do Lula iria pular sobre os cascos no passo da marcha/frevo Vassourinhas...

    ResponderExcluir